24 de novembro de 2015

Pregnancy Diary #10

Durante o curso vi, literalmente, dezenas de partos - a grande maioria deles partos normais, uma pequena percentagem de cesarianas. Achei os partos normais lindíssimos, e era frequente chorar (numa das vezes eu e a Joana até chorámos abraçadas como duas miúdas histéricas). Achei tudo incrivelmente emocionante, e ainda hoje consigo reconhecer na rua algumas das mães a cujos partos assisti.

(Já as cesarianas, achei um bocadinho mais assustadoras. Aquele 'puxa-daqui-puxa-dali' fez-me alguma confusão, confesso)

Curiosamente, acabei o curso a achar que nunca nunca nunca nunca nunca teria um filho pela pipi. O dos outros? Absolutamente maravilhoso. O meu? NO WAY.

Haha, labor and delivery humor. I dont know why, but i kinda thought of Kevin when i read this:



Como é óbvio, sei todas as implicações médicas que uma intervenção cirúrgica possivelmente desnecessária pode trazer. Sei que a cesariana é uma opção mais arriscada para ambos. Mas tomei uma decisão informada e consciente: não queria passar por aquilo.

E depois engravidei.

Talvez isto soe melodramático, mas algo mudou profundamente dentro de mim quando percebi que ia ser mãe. A histeria deu lugar ao choque, ao pânico e, por fim, a uma epifania iluminada:

Nunca deixarei de estar preocupada com alguma coisa.

Agora estou preocupada se o meu bebé está bem dentro da minha barriga. Posteriormente estarei preocupada com o parto e com o facto de ele nascer bem. Depois vou preocupar-me com o facto de ele crescer bem, de se desenvolver de forma adequada, de aprender bem na escola, de ter amigos, de não se meter na ganza, de escolher um percurso académico e/ou profissional que o faça feliz, de ter uma companheira (ou um companheiro) que o preencha, de ter saúde, de ter estabilidade... Nunca vou deixar de estar preocupada com algo.

Porque é isto que é ser mãe. Bolas.

Por isso, hoje estou sinceramente a borrifar-me para a forma como vou trazer o meu bebé ao mundo. Comparando com a exigência do resto do percurso, essa parece-me até a parte mais simples e fácil.

E que seja o que tiver que ser.

I never thought I would be talking about the things I talk about when I started my admin career:
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...r: 0" />