8 de agosto de 2014

Panquecas de banana e chocolate com molho de amendoim e uma crise existencial.

'Este país preocupa-me, este país dói-me. E aflige-me a apatia, aflige-me a indiferença, aflige-me o egoísmo profundo em que esta sociedade vive. De vez em quando, como somos um povo de fogos de palha, ardemos muito, mas queimamos depressa.'

José Saramago


Preparem-se, porque a confissão de hoje é feia.

Eu não me sinto lá muito portuguesa. Não me identifico com a personalidade portuguesa, não me sinto particularmente bem enquadrada no meio da malta tipicamente portuguesa e adorava ter a experiência de viver em vários outros sítios do mundo, da Escandinávia ao Dubai.

Nunca fui ao piquenique do Continente, acho que a selecção joga mal, não conheço uma única música do Anselmo Ralph e nunca vi um episódio da Casa dos Segredos (ou outros do género). Não vou ao Algarve há quinze anos e não gosto de falar mal do Cristiano Ronaldo ou de pessoas famosas em geral (até porque não sei quem são a esmagadora maioria delas). Não voto sempre nos mesmos partidos sem saber ao certo o que defendem e não passo o tempo todo a queixar-me sem mudar nada. Não sou fatalista nem pessimista e gosto de ser pontual.


'O povo português é, essencialmente, cosmopolita. Nunca um verdadeiro português foi português: foi sempre tudo.'

Fernando Pessoa

Nunca comi coelho, cabidela, pipis, moelas, orelha de porco, mão de vaca, entrecosto e uma data de outras coisas típicas. Não gosto de vinho nem de imperiais. Não aprecio particularmente caracóis ou amêijoas. Não como bolas de Berlim na praia. Não conheço nenhum dos restaurantes de hambúrgueres que estão na moda.

Acho que Portugal é um dos países mais bonitos do mundo (e os portugueses são um dos povos mais simpáticos!), mas muitas vezes sinto-me estrangeira aqui. Por outro lado, não há mais nenhum país com o qual me identifique, por isso por agora vou ter que me conformar com não me sentir de nacionalidade nenhuma.


'Dizem que temos valor, mas que nos falta dinheiro e união; e todos nos prognosticam os fados que naturalmente se seguem destas infelizes premissas.'

Padre António Vieira (já no século XVII tínhamos esta fama)

Apesar disso, decididamente não sou americana - embora me esteja a tornar perigosamente apreciadora da combinação de manteiga de amendoim com banana. Vai daí decidi satisfazer a minha barriguinha juntando os dois nestas panquecas deliciosamente decadentes, que foram o nosso almoço num Domingo mais preguiçoso :)


Enquanto isso eu vou continuando a pensar onde raios me insiro. E lembro-me que adoro caldo verde e pão com chouriço feito no forno a lenha, acho secretamente libertador buzinar quando vou na estrada e adoro visitar Sintra, por isso talvez ainda tenha salvação.

'Ser português é ser capaz de ser igual a com quem se está. Se temos uma virtude e capacidade, é essa. Temos uma costela de todas as carcaças que há no mundo. Se não formos isso, não somos nada.'

Miguel Esteves Cardoso


Panquecas de banana e chocolate com molho de amendoim (podem ver a minha receita de panquecas de banana simples aqui)

Ingredientes (para seis panquecas):

* Uma chávena de chá de farinha de trigo;
* Uma colher de chá de fermento;
* Três colheres de sopa de açúcar;
* 50g de pepitas de chocolate de leite;
* Meia chávena de chá de leite;
* Um ovo;
* Uma banana cortada em rodelas;
* Três colheres de sopa de manteiga de amendoim caseira (receita aqui);
* Cinco colheres de sopa de leite.

Confecção:

* Numa tigela juntar a farinha de trigo, o fermento, o açúcar e as pepitas de chocolate e misturar bem;

* Juntar o leite e o ovo e bater bem até fcar uma massa homogénea;

* Untar uma frigideira anti-aderente com um pouco de manteiga e levar a lume médio até aquecer;

* Colocar uma concha de massa e acrescentar três rodelas de banana;

* Quando se formarem pequenas bolhinhas de ar virar a panqueca do lado oposto e deixar cozinhar;

* Repetir o processo até terminar a massa;

* Derreter a manteiga de amendoim com o leite e mexer bem;

* Servir as panquecas cobertas com o molho de amendoim e com pepitas de chocolate.


Tenham um óptimo fim-de-semana :D

4 comentários:

  1. Adoro essa cobertura de manteiga de amendoim!

    nomorepancinha.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  2. Se saíres de Portugal, isso passa-te... a malta vem embora muito revoltada e duas semanas depois já chora pelas francesinhas e pela broa de milho =P

    ResponderEliminar
  3. Olá Joana!

    Tropecei no teu blog por acaso, comecei a lê-lo do início e já devorei todos os posts até aqui (e que bom que ainda vou em Agosto). Estou encantada. :)

    Decidi comentar neste post porque me identifiquei com a maioria das razões que deste para não te sentires lá muito portuguesa, mas ao contrário do que acontece contigo nunca me senti "expatriada" por esses motivos. Podes não apreciar caracóis, mas aposto que não ficas indiferente ao cheirinho do pão acabado de cozer, não conheces nenhuma música do Anselmo Ralph, mas mesmo que não gostes de fado, reconhecerás os acordes de uma guitarra portuguesa em qualquer parte do mundo, nunca foste ao piquenique do Continente mas já notaste, certamente, que não há céu azul como o nosso. Enfim, posso estar a mandar um tiro completamente ao lado, mas a minha humilde opinião é que há várias maneiras de se sentir Portugal e aquela que toca à maioria está longe de ser a única válida. :)

    Beijinho!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. De facto concordo com o que escreveste :) No fundo isto foi uma generalização, e todas as generalizações pecam por não serem totalmente correctas. Mas às vezes sinto mesmo que talvez devesse viver noutro país qualquer... É claro que depois visito a casa dos meus pais (sou do Porto, estou actualmente a viver em Lisboa) e isso passa-me, porque não há nada como a nossa casinha :D

      Beijinhos e tem um bom dia :D

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...r: 0" />