30.1.15

Coquinhos de limão e Limoncello para a fome pós-jantar.

'An empty stomach is not a good political adviser.'

Albert Einstein

 

Creio que o desconsolo pós-jantar é um fenómeno omnipresente no mundo ocidental: podemos ter comido uma refeição bem consistente com uma sopinha reconfortante, um prato equilibrado e até uma peça de fruta a transbordar de vitaminas boas, mas mal encostamos o lombinho no sofá parece que despertamos o alarme da vontade de comer docinhos.


Para vos ser muito sincera, eu nem sempre fui assim - até agora chegava a casa a meio da tarde, fazia um lanchinho consistente, relaxava um bocado, jantava calmamente e dividia-me entre as minhas tarefas até serem horas de ir para a cama. Mas com o início da especialidade este fenómeno tão curioso começou também a acontecer cá em casa, provavelmente porque agora o horário é menos simpático, a exigência física e mental é bem maior e as refeições ainda são (aparentemente) demasiado escassas para manter os meus níveis de glicémia estáveis ao longo do dia.

E por isso, lamento informar que me tornei membro do clube da vontade de comer lambarices depois do jantar.


Lidar com isto foi relativamente fácil: cá em casa raramente há chocolates, bolachas, doces ou gulodices do género, por isso quando me sinto desconsolada normalmente faço um cházinho e a tontice passa-me. Mas há dias em que o chá não resulta.


Nesses dias adapto a receita maravilhosa da minha mãe e faço coquinhos. São fáceis, são rápidos e são pequenos, por isso basta comerem um e garanto que a vontade de comer docinhos fica um bocadinho mais simpática.

Se não resultar? Comam dois ou três. Afinal, um dia não são dias :)


Coquinhos de limão e Limoncello

Ingredientes (para cerca de vinte coquinhos):

* 200g de coco ralado;
* 200g de açúcar branco;
* Três gemas de ovo (depende do tamanho das gemas);
* Três colheres de sopa de Limoncello;
* Raspa de um limão.

Confecção:

* Misturar o coco ralado, o açúcar branco e as gemas de ovo e mexer bem;

* Juntar o Limoncello e a raspa de limão e envolver;

* Colocar em forminhas e levar ao forno pré-aquecido a 180º durante cerca de quinze minutos, dependendo do gosto.




Tenham um óptimo fim-de-semana! :D

28.1.15

Empadão de vaca e cogumelos para o início de uma nova fase :)

So this is what you meant when you said that you were spent?
And now it's time to build from the bottom of the pit, right to the top.
Don't hold back, packing my bags and giving the academy a rain check.

I don't ever wanna let you down, I don't ever wanna leave this town.
'Cause after all this city never sleeps at night.

It's time to begin, isn't it?
I get a little bit bigger, but then I'll admit I'm just the same as I was.
Now don't you understand?
That I'm never changing who I am.

Imagine Dragons


Há praticamente um mês iniciei o meu internato de psiquiatria da infância e da adolescência. Tal como em todas as novas fases cá por casa, também o início desta foi marcado por um enorme caos: o horário prolongado de trabalho não ajudava, a vontade de cozinhar não era muita, o blog ficou um bocadinho abandonado, a energia desapareceu e a urgência de estudar subjugou todas as outras necessidades básicas para o mundo do esquecimento.


Numa primeira fase as horas de sono eram mais escassas, as refeições tornaram-se menos criativas, a casa ficou mais desarrumada e as diferentes obrigações foram ficando acumuladas. No entanto, com o passar das semanas aprendemos a lidar mais uma vez com uma nova realidade: o internato da especialidade. E redefinimos as nossas estratégias.


Revimos prioridades e estabelecemos novas regras. O tempo para o blog é manifestamente inferior ao que tive até agora, mas a sensação de alegria que me invade no meu trabalho compensa tudo isso. Cozinhar o jantar é praticamente imperativo porque senão fico sem almoço para o dia seguinte, mas poder almoçar a minha comidinha reconfortante todos os dias compensa tudo isso. Trabalhar muitas horas por dia é cansativo, mas saber que sou feliz em todos os minutos que passo com as crianças compensa tudo isso.


No entretanto estou mais cansada, mas incrivelmente mais feliz. Sinto-me mais completa, mais viva e mais plena. Sinto-me mais eu. E sinto-me extraordinariamente satisfeita por estar finalmente a realizar o meu sonho, dia após dia.

É tudo uma questão de redefinir estratégias e rever prioridades.


Por isso, vou fazendo o que posso. Alterno almoços de marmita tremendamente criativos como mini-francesinhas e os sempre bem sucedidos queques salgados com pratinhos mais aborrecidos e monótonos como o empadão. Uso as receitas mais simples e reconfortantes para os dias em que o tempo é pouco, mas a fome é muita.

E no fim remato o almoço com um chá, feito na caneca que trouxe de casa para o trabalho. Porque este é a partir de agora o meu segundo lar. Afinal, não dizem que a nossa casa é onde está o nosso coração?


Empadão de vaca e cogumelos

Ingredientes (para quatro pessoas):

* Uma cebola picada;
* Três dentes de alho picados;
* Um fio de azeite;
* Uma folha de louro;
* 500g de carne de vaca picada;
* Uma lata de cogumelos laminados;
* Uma colher de chá de pimentão-doce;
* Meia colher de chá de paprika;
* Meia colher de chá de orégãos;
* Uma pitada de sal;
* Uma pitada de piri-piri;
* 100g de flocos de batata.
* Uma pitada de noz-moscada;
* Uma gema;
* Queijo ralado q.b.

Confecção:

* Refogar a cebola picada, o alho picado e a folha de louro num fio de azeite;

* Juntar a carne de vaca e os cogumelos laminados e deixar refogar;

* Temperar com o pimentão-doce, a paprika, os orégãos, o sal e o piri-piri;

* Deixar cozinhar durante dez minutos;

* Entretanto preparar o puré seguindo as instruções da embalagem (no nosso caso fervi 500ml de água e juntei os flocos);

* Temperar com uma pitada de noz-moscada;

* Colocar num tabuleiro de ir ao forno uma camada de puré, uma camada de carne e uma nova camada de puré;

* Pincelar com a gema e cobrir com o queijo ralado;

* Levar ao forno pré-aquecido a 200º durante quinze a vinte minutos.


Até amanhã! :D

27.1.15

Alguém testou e gostou #172

A 'Corre como uma menina' (o teu nome ainda é secreto, certo?) é uma menina muito especial que me inspirou a saltar do sofá e começar a correr pela primeira vez. Desta vez a corrida dela foi acompanhada pelo meu bolo de limão com sementes de papoila, e parece que foi ainda mais inspirada :D Passem por lá e espreitem :D


Até amanhã! :D

26.1.15

Iogurtes líquidos de menta e canela e as coisas que me distinguem :)

Well, you can knock me down, step in my face,
Slander my name all over the place.
Well, do anything that you want to do, but honey lay off of my shoes!
And don't you step on my blue suede shoes.
Well, you can do anything but lay off of my blue suede shoes.

Elvis Presley (originalmente de Carl Perkins)


Os meus amigos dizem que eu sou perfeitamente distinguível da multidão: independentemente do sítio onde esteja, serei sempre a pessoa de bandelete na cabeça.

Na verdade, não é só para os meus amigos que eu sou facilmente identificável - para os meus leitores também. Já fui abordada várias vezes na rua por pessoas que perceberam que era eu graças à sempre eterna e omnipresente bandelete, e até a Lucília e a Isabel não a deixaram de parte na pregadeira que me enviaram tão carinhosamente :)


No Inverno, ainda é mais fácil identificar-me: à bandelete juntam-se os aquecedores nas orelhas, o cachecol bem quentinho e a garrafinha térmica de chá. E confesso que não vivo sem eles.

É assim que me podem encontrar, todas as manhãs, no longo trajecto entre o local onde estaciono o carro e o hospital. Bandelete a combinar, aquecedor de orelhas tão quentinho que por vezes me esqueço de o tirar quando chego às consultas, cachecol aconchegante, garrafa de chá do pato Donald e cara de poucos amigos - afinal, não sou de todo uma morning person e antes das dez da manhã ainda estou carrancuda.


Também o meu gosto por chá é bastante individual e intransmissível: não sou particularmente fã de chá verde ou preto, acho que o chá vermelho sabe a peixe e não gosto de todo de chá branco, mas adoro chá de camomila, de erva-príncipe ou de menta. E por isso desde que descobri o chá marroquino da Lipton, há muitos meses atrás, nunca mais larguei este meu amor incondicional.

Afinal, o que há para não gostar num chá que sabe essencialmente a menta e a canela?


De facto, este é o chá que mais frequentemente me acompanha nas minhas caminhadas matinais até ao hospital. Também é o chá que faço no micro-ondas da sala de reuniões. E creio que se tornou já parte das características que seguramente me identificam para quem me rodeia.

Vai daí, desta vez saíram da iogurteira uns iogurtes líquidos de menta e canela, feitos com o maravilhoso chá marroquino. Usei leite normal em alternativa ao leite fresco para obter iogurtes mais líquidos, e agora é só esperar que o tempo melhore um bocadinho para a caneca de chá ser substituída pela garrafinha de iogurte caseiro :D


Iogurtes líquidos de menta e canela

Ingredientes (para sete iogurtes):

* Um litro de leite meio-gordo;
* Três colheres de sopa de leite em pó magro;
* Três colheres de sopa de açúcar branco;
* Uma saqueta de chá marroquino;
* Um iogurte natural.

Confecção:

* Numa panela colocar o leite, o leite em pó e o açúcar e mexer com uma vara de arames;

* Juntar a saqueta de chá, levar ao lume até ferver e deixar arrefecer;

* Quando estiver morno juntar o iogurte, misturando com a vara de arames;

* Levar à iogurteira durante cerca de dez horas;

* Transferir para o frigorífico durante pelo menos quatro horas.


Tenham uma óptima semana :D

25.1.15

Receitinhas da semana #54

E aqui vão as receitinhas deliciosas da semana :D

Segunda-feira: Iogurtes líquidos de menta e canela 


Quarta-feira: Empadão de vaca e cogumelos 


Sexta-feira: Coquinhos de limão e Limoncello


Tenham uma óptima semana :D

22.1.15

Couves recheadas para uma pausa nos docinhos :D

I'm tired of trying,
Your teasing ain't enough,
Fed up of buying your time
When I don't get nothing back.

And for what, and for what, and for what?
When I don't get nothing back...
Oi, I'm tired.

Adele


Toda a gente se queixa imenso do mês de Dezembro e das suas consequências calóricas. Primeiro vem a época pré-natalícia com os seus 83427642895 jantares de Natal, depois chega o Natal propriamente dito com todos os seus docinhos deliciosos, e por fim chega o ano novo para dar o golpe final nas nossas coronárias.

Apesar disso, confesso que para mim Dezembro não é um mês assim tão mau. Sou muito criteriosa na escolha dos meus jantares (até porque sou uma anti-social, lembram-se?), não como assim tantos doces no Natal e sou a Grinch do ano novo, por isso normalmente acabo o mês com a balança relativamente intacta.

E depois chega Janeiro.


Começamos logo com o nosso aniversário de namoro no dia 2, com direito a jantar especial (e sobremesa bem decadente). Este ano tive também um jantar de aniversário de uma amiga no dia 3. No dia 6 faço anos e geralmente faço dois bolos: um para o hospital e outro para casa. Depois há ainda o jantar de aniversário com os amigos no fim-de-semana - com direito a mais um bolo - e a ida ao Porto para celebrar com a família - idem aspas.

E no meio disto tudo é sempre incontornável: duas semanas depois, o meu pâncreas já me implora para eu parar de ingerir açúcares.


Regresso então à minha alimentação saudável. A casa é novamente invadida pelos vegetais e as frutinhas, a garrafa de água regressa religiosamente à mala e voltam os snacks caseiros e mais saudáveis. Recomeço o exercício físico e encho o frigorífico de sopinhas bem saborosas.

E faço jantares mais suaves, sem deixarem de ser reconfortantes e saciantes. Ideais para desenjoar depois de umas semanas mais intensas :D


Couves recheadas

Ingredientes (para duas pessoas):

* Quatro folhas de couve-lombarda;
* Um fio de azeite;
* Meia cebola picada;
* Dois dentes de alho picados;
* 250g de peito de peru picado;
* Uma colher de chá de pimentão-doce;
* Uma colher de chá de paprika;
* Uma pitada de sal;
* Uma pitada de piri-piri;
* Uma colher de chá de ras el hanout;
* Molho de tomate q.b.

Confecção:

* Cozer as folhas de couve em água a ferver com sal até ficarem bem tenras;

* Refogar a cebola picada e o alho picado num fio de azeite e juntar o peito de peru picado;

* Temperar com o pimentão-doce, a paprika, o sal, o piri-piri e o ras el hanout e deixar cozinhar durante aproximadamente dez minutos;

* Retirar a carne com uma escumadeira, reservando o molho;

* Fazer bolinhas com a carne e fechar uma folha de couve sobre cada bolinha com a ajuda de palitos;

* Devolver as trouxinhas de couve com cuidado à panela com o molho da carne, cobrindo com o molho de tomate e deixando cozinhar até apurar;

* Retocar os temperos se necessário.

Até amanhã :D
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...