23 de janeiro de 2020

Festa A Princesa Cisne - O resumo! :D

Em Dezembro comecei a planear a festa do quarto aniversário do Matias. A dada altura fiz uma qualquer pergunta ao Pedro, e ele ficou pensativo por uns momentos e depois respondeu:

'Se tu gostas tanto de planear festas, porque é que não fazes uma festa de aniversário para ti?'

Fiquei desarmada. A verdade é que eu sabia a razão de nunca ter planeado uma festa para mim: eu gosto é de temas infantis. Mesmo a festa do Star Wars para o primeiro aniversário do Matias ou a festa do Harry Potter para o 30º aniversário da Joana foram assim a puxar para o infantil, e simplesmente não me conseguia imaginar a organizar uma festa 'adulta' como a que a minha mãe fez com o tema do Great Gatsby.

Porque não é assim que eu sou.

Apesar de todas as provas em contrário eu ainda me sinto uma miúda, e por isso parecer-me-ia estranho ter uma festa 'de crescidos'. No entanto, também achava desadequado ter uma festa 'de miúdos'.

Fiquei uns dias a pensar naquilo, e sabem que mais? A dada altura pensei 'olha, que se lixe!'. Ser adulto também é isto, I guess. Aceitar quem somos e defendê-lo.

No fim, ainda fiquei indecisa entre uma festa da Anastasia ou d'A Princesa Cisne. Achei que o tema d'A Princesa Cisne era mais giro (até porque o Matias também gosta do filme), fiz uma lista das minhas comidinhas preferidas (lemon bars, tarte de amêndoa, mousse de chocolate, tiramisú, macarons, bolachas de amendoim e chocolate, uvas, croquetes, sushi e o bolo da Frutalmeidas), convidei os meus amigos e pumbas, vinte adultos, cinco bebés e muitas gargalhadas, numa tarde que tão cedo não esquecerei.

Para o ano há mais, com outro tema infantil qualquer :)







Hotéis para adultos?

Há um ano e meio fui para o Porto sozinha com o Matias. Como o desfralde ainda era relativamente recente, achámos que ir e voltar de comboio seria mais prático. No regresso o Matias decidiu querer andar de um lado para o outro cheio de energia, e quando lhe disse que não podia ser fez uma birra monstra, com direito a gritaria e choradeira.

Eu não tinha uma experiência assim tão grande a lidar com este tipo de birras porque não eram de todo habituais: o Matias sempre foi mais adepto de amuar e ficar parado nos sítios (sentar-se na rua, ficar deitado no chão da sala, ir para o quarto agarrar-se aos cobertores fofinhos, por aí fora), e reconheço que a minha ansiedade em relação à questão não ajudou. Mas penso que nada justificava o que se passou a seguir.

Uns vinte minutos depois do início da birra, um senhor que estava no outro lado do corredor e que estava desde o início a mandar olhares furtivos, a acenar negativamente com a cabeça e a bufar de irritação, tirou os fones dos ouvidos (porque sim, ele estava de fones, talvez a ver uma série ou um filme) e perguntou em voz alta:

'Olhe, não quer calar o seu filho?'

Vai daí, eu respondi-lhe:

'Olhe, não quer ir para o caralho?'

Tenho zero de orgulho neste momento, juro. Fiquei para morrer de tanta vergonha, o Matias obviamente sentiu que eu estava nervosa e ainda fez pior, e quando o Pedro nos foi buscar à estação cheguei ao carro e desatei a chorar. O Matias ficou normalíssimo e nunca mais andámos de comboio os dois (entretanto ele já andou com a minha sogra e a minha mãe e correu tudo lindamente, sem dúvida à custa de subornos melhores do que os meus).

Daqui a uns meses vou para o México de férias com a Joana e o Bernardo. Inicialmente íamos todos, mas o Pedro não queria mesmo levar os miúdos (porque diz que nem descansamos como gostaríamos nem fazemos tanto como faríamos sem eles), mas também não queria deixá-los cá porque achava que a Gabi ainda é pequenina (o que eu concordo, e por isso é que a minha sugestão sempre foi levá-los). Face à ausência de alternativas, o Pedro decidiu ficar (diga-se que também não fica a chorar, o México até é um destino que lhe agrada mas podemos sempre ir todos daqui a uns anos). E nós começámos a ver hotéis.

Rapidamente se tornou óbvio para mim que a Joana e o Bernardo queriam ir para um hotel só para adultos. E foi muito engraçado perceber esta diferença, porque eu fazia questão de ir para um hotel com miúdos. Para mim não há nada mais relaxante do que estar num sítio com crianças aos saltos, a fazer bombas para a água, aos gritos, a fazerem birras descomunais e afins, e sabem porquê?

Porque não são minhas.

Não é a minha responsabilidade, não é problema meu e o máximo que posso fazer é empatizar com o sofrimento daqueles pais, rezar que o tau passe depressa aos miúdos e beber mais um golinho de pinacolada. Longe de me incomodar ter crianças a fazer barulho à minha volta quando não estou com as minhas, na verdade acho terrivelmente relaxante. Uma espécie de 'ufa, do que eu me estou a safar'.

A Joana e o Bernardo acharam isto estranhíssimo, mas a verdade é que efectivamente já reservámos (YEY!) e vamos mesmo para um hotel com crianças. E eu mal posso esperar, a sério. Sei que vou morrer de saudades dos meus pequeninos (Pedro também conta como meu pequenino), mas também acho que me vai fazer um bem danado pirar-me durante uns tempos, e já tenho saudades de viajar com aquelas duas almas de quem gosto tanto (e com quem não viajo a sério desde aquela viagem espectacular que incluiu Miami, Bahamas, Everglades e Orlando).

Vamos a isto :D

16 de janeiro de 2020

Porquêêêêêê?

Há uns meses eu estava a ter um dia particularmente dado a acidentes. A dada altura estava a orientar o jantar do Matias, e quando abri o congelador caiu a embalagem de ervilhas. As ervilhas sairam da embalagem e espalharam-se em todas as direcções da cozinha, e eu levantei as mãos e disse:

'Porquêêêêêê?'

O Matias assistiu à cena e desatou a rir à gargalhada. Uma hora depois, quando o Pedro chegou a casa, contou-lhe o episódio na perfeição ('e depois a mamã abriu os braços e disse assim: Porquêêêêêê?'). No dia seguinte contou isto na escola. Desde então, o Porquêêêêêê? tornou-se numa das nossas piadas preferidas, principalmente em dias como esse, em que tudo parece acontecer.

Hoje o Matias chegou a casa e eu disse-lhe que andava à procura de uma loja que fizesse o melhor bolo de chocolate para o aniversário dele. E ele respondeu:

'Mas eu não quero bolo de chocolate. Eu quero bolo de farofa.'

Pronto, para o aniversário dele o meu filho quer um bolo feito com farofa. Aquela que acompanha a picanha.

O meu filho quer um bolo de farofa com bacon. Porquêêêêêê?
Depois disso, o Matias ainda fez um ar muito solene e disse:

Matias: Quando for grande quero ter um namorado.
Eu: Ok.
Matias: Mas o meu namorado vai ser um koala.
Eu: Ok.
Matias: Tu disseste que os koalas vivem na Austrália, mas este vai viver comigo.
Eu: Ok.
Matias: E eu vou ter cabelo preto aos caracóis.
Eu: Ok.

A sério, bolo de farofa. Sai mesmo ao pai este miúdo. Porquêêêêêê? 

Novidades.

Os últimos dias foram uma animação, mas em mau.

Passei a semana passada a tratar dos detalhes da minha festa de aniversário temática, que aconteceu no Sábado e onde me diverti imenso. Ainda no Sábado, a Gabriela bebeu o biberão às 20h, deitámo-la e ela só voltou a acordar... Às cinco da manhã. Depois comeu novamente às 11h (!), às 15h (!!) e às 19.30h (!!!). Passou literalmente todo o dia a dormir.

Claro que entretanto decidiu vingar-se, e desde então voltámos à fase em que a madame não pára de chorar. Berranço sem fim, a todas as horas do dia (felizmente fecha a matraca à noite, senão acho que enlouquecia), sem grande razão aparente. Até a minha avó, que esteve cá a passar uns dias e para quem os bisnetos são perfeitos, passava a vida a dizer coisas como 'realmente a menina é um bocadinho impertinente' (e isto é a minha avó a ser fofa, eu cá chamo-lhe coisas bem piores na minha cabeça).

No meio disto tudo, óbvio que o Matias também decidiu andar cheio de energia, aos saltos por todo o lado, a espalhar mil tralhas pela casa toda, a falar altíssimo e a acordar a irmã quando ela finalmente se cala e adormece.

Hoje acordámos todos às 10h, dei o biberão à miúda, depois ela bolçou imenso (inclusivamente para a minha roupa), depois o Matias não queria arrumar os puzzles que tinha andado a fazer, depois não queria ir para a escola 'porque queria ficar a brincar em casa', enquanto isto a Gabriela chorava e bolçava... A sério, apetecia-me fazer pausa no cenário e sair pela porta, e juro que quando os meti no carro para irmos para a creche (normalmente vamos a pé mas hoje achei que ia chover) ainda pensei em deixá-los lá dentro e ir-me embora.

Não fui embora. Levei o Matias à creche, onde entrei com lágrimas nos olhos, ar atropelado e as calças manchadas de bolçado. Chorei no caminho para casa. E depois pousei a Gabriela na espreguiçadeira, fui tomar banho (tudo parece melhor depois de tomar banho), tomei um bom pequeno-almoço (idem) e sentei-me no sofá a planear a festa de aniversário do Matias.

Gostava de dizer que agora estou aqui muito mais calma e que os passarinhos voltaram a cantar e os coelhinhos a saltitar, mas não é verdade: estou só ligeiramente menos desesperada do que estava há duas horas atrás. Mas vai passar. Tudo passa. All things go. 

No entretanto, e se quiserem ajudar-me a concentrar na festa para evitar atirar-me da janela ou assim, podem dar-me sugestões de comidinhas? Este ano já vamos ter os amiguinhos do Matias connosco e não faço ideia do que comem os miúdos (o meu come tudo, de sushi a croquetes e de tortilhas de arroz a batatas fritas, e não sei bem o que servir mas vou assumir que sushi será desadequado). Também não faço ideia de onde encomendar o bolo - não gostamos de pasta de açúcar mas também já estamos um bocado enjoados daquelas coberturas de manteiga, não ficámos satisfeitos com o sítio de onde encomendámos os dois últimos bolos do Matias depois do incidente no ano passado e não me sobram grandes ideias. O meu bolo no Sábado veio da Frutalmeidas (mmm bolo de morangos e chantilly da Frutalmeidas), mas o Matias gosta mais de chocolate.

Enfim, chutem aí bitaites sobre a vida nos comentários, acho que estou a precisar de companhia. Digam onde vão de férias, ou o que vão fazer no fim-de-semana, ou sítios fixes para encomendar bolos, ou restaurantes porreiros, ou formas de fazer miúdos chatos calarem as matracas :)

9 de janeiro de 2020

Sobrevivi à primeira Quarta.

Em Junho o Pedro começou a trabalhar num novo hospital, e desde então tem um horário diferente: às Quartas e Sextas trabalha das 8h às 20h e nos outros dias está bastante mais tranquilo. Vai daí, quando ele regressou ao trabalho no dia 23 de Dezembro não notámos propriamente uma grande diferença nas nossas rotinas, até porque entretanto chegaram o Natal e a passagem de ano.

E eis que chegou o dia de ontem.

Ontem era a primeira Quarta que eu ia passar sozinha. A primeira vez que ia deitar os dois sozinha. O Pedro já tinha trabalhado Sextas-feiras, mas é diferente: às Sextas há toda a tranquilidade do fim-de-semana que está à porta, às vezes deixo o Matias ver um filme, não somos tão fanáticos com a hora do deitar, como o Pedro está na consulta geralmente consegue sair mais cedo e chegar a casa por volta das 19h (às Quartas opera e por isso é raro chegar antes das 21h), enfim.

Ontem era a primeira Quarta que eu ia passar sozinha, e estava aterrorizada. Antes da Gabriela nascer as Quartas-feiras eram de longe o dia mais intenso da semana, e não era assim tão raro o Pedro chegar a casa e eu estar no sofá com ar de falecida.

Ontem a Gabriela acordou às 5.30h para beber o biberão (fez um intervalo de 6h, riqueza da mamã), e às 6h eu já estava na cama novamente (já andamos ambas umas prós nas mamadas da noite). Depois adormeci, nem dei pelo Pedro sair de casa e só acordei às 9.30h com a Gabriela a chorar novamente. O Matias já estava levantado, já tinha tomado o pequeno-almoço dele (agora ele prepara o pequeno-almoço sozinho, riqueza da mamã número dois) e andava entretido a fazer puzzles. Dei o leite à Gabriela, vesti o Matias, vesti-me e levei-o à escola às 11h. Passei o dia na vida do costume, a jogar Sims e a ler as oitenta e tal páginas de currículo da Joana. Às 16h fui buscar o Matias e ele pediu para irmos comer um gelado, por isso lá fomos todos à Artisani.

Chegámos a casa às 17h. Como a Gabriela ainda estava a dormir, convenci o Matias a ir logo para o banho (geralmente só vai às 19h). Depois fizemos mais puzzles e ainda lhe li umas quantas histórias (agora o Matias pede sempre para lermos a história do Grinch do Dr. Seuss!). Às 18.45h ele já estava a jantar. Às 20h já estava na cama.

Depois disso dei banho à Gabriela, dei-lhe o biberão e deitei-a, e quando o Pedro chegou, às 20.45h, já eu tinha os miúdos limpos, alimentados e deitados, a casa toda arrumada e um copo de vinho branco na mão. Tínhamos ainda jantar do dia anterior (salmão com macarrão, ervilhas e mozzarella de búfala), e comemos no sofá a ver um episódio de The Witcher.

E sabem que mais? Desta vez não me senti nada falecida. Senti-me cheia de energia. Senti-me poderosa. Senti-me invencível.

Não tenho dúvidas que pela frente terei muitas Quartas-feiras terríveis, em que vou receber o Pedro com ar de chata queixosa e passar horas a chorar e a dizer que sou uma porcaria de mãe. Mas ontem não foi uma dessas Quartas. Ontem sobrevivi. E foi mesmo do caraças.

6 de janeiro de 2020

Hoje faço 31 anos.

Resumo dos 23 anos
Resumo dos 24 anos
Resumo dos 25 anos
Resumo dos 26 anos
Resumo dos 27 anos
Resumo dos 28 anos

Resumo dos 29 anos 

O que dizer sobre os meus 30 anos?

O Matias brincou, correu, saltou e gritou. O Matias dormiu muito e comeu ainda mais. O Matias andou de bicicleta e de skate, fez festinhas em cabrinhas, visitou exposições e museus, jogou futebol, trepou às árvores, andou de escorrega e de carrossel, nadou na praia e na piscina, brincou às escondidas e às hienas, perseguiu patos e amassou pão. O Matias andou de barco a remos e comeu queques e panquecas de banana. O Matias teve uma mana. O Matias foi uma criança feliz e saudável. O Matias continuou a ser o nosso malandrias.




















Engravidei novamente. Fiz uma sessão fotográfica da gravidez e adorei o resultado. Fiz um baby shower muito divertido com o tema do filme 'À Procura de Nemo'. A Gabriela entrou nas nossas vidas de uma forma mágica, e tornou a nossa família ainda mais completa e feliz.






Não foi um ano particularmente ambicioso a nível de viagens: engravidei no início do ano e tive um descolamento da placenta, por isso apostámos mais nas férias relaxantes por cá. Apesar disso, foi um ano muito bom. Fizemos uma roadtrip pela Irlanda no início do segundo trimestre da minha gravidez e fiquei absolutamente apaixonada pelo país. Fomos passar o aniversário da minha mãe ao Porto e divertimo-nos à grande na piscina, no barco e a comer comidinhas boas. Passámos uma babymoon deliciosa no Alentejo e aproveitámos para passear pelo Badoca Safari Park. Fizemos finalmente férias no Algarve e ficámos deslumbrados. Fui descansar e encher a barriga para Sesimbra e soube-me mesmo pela vida.

Dublin



Glendalough, Wicklow Mountains, Kilkenny, Rock of Cashel e Cahir



Cork, Cliffs of Moher e The Burren



Connemara National Park



Galway, Clonmacnoise e Trim



Porto



Alentejo



Algarve



Sesimbra



Conheci o Palácio Nacional de Queluz, fiquei a dormir lá durante a noite e senti-me uma verdadeira D. Maria I (mas um bocadinho menos doida). O Mati andou imensas vezes de bicicleta na Quinta das Conchas e no Jardim da Estrela. Fomos à exposição dos Gigantes da Idade do Gelo na Cordoaria Nacional e adorámos. Passeámos pela Quinta Pedagógica e o Matias fez miminhos aos animais.



Visitámos a Photo Ark da National Geographic e ficámos deslumbrados. Conhecemos os segredos e as histórias da corte da Ajuda com a GreenTrekker. Passeámos de barquinho no Jardim do Campo Grande.



Passámos imensos fins de tarde a perseguir os patos no Jardim da Gulbenkian. Fui pela primeira vez a um escape room, o Escape Hunt, e diverti-me imenso. Visitámos a exposição 'Cérebro - mais vasto que o céu' na Fundação Calouste Gulbenkian e aprendemos imensas coisas interessantes. Passeámos por Óbidos no Domingo de Páscoa.



Fomos ao Dino Parque da Lourinhã e foi muito divertido. Aprendi mais sobre cerveja na Guiness Storehouse, mas só pude experimentar a cerveja sem álcool porque estava grávida. Passeámos pela Feira Medieval de Odivelas e o Matias adorou ver os cavaleiros, andar de carrossel e comer pão com chouriço. Andámos de bicicleta na Torre de Belém.



Visitámos Lisboa com o Hippotrip e divertimo-nos imenso. Voltámos ao Aquário Vasco da Gama, desta vez com o Matias mais crescido (da última vez tinha três meses!), e ele delirou com os peixes! Passeámos pela Mata de Alvalade e o Matias aproveitou para subir a uma árvore. Voltei a andar de Hippotrip, desta vez para ir até ao Alive.



Fomos ao Mega Festival de Insufláveis no Estoril e o Matias divertiu-se imenso. Visitámos o Badoca Safari Park e ele adorou conhecer os animais e interagir com os lémures. Voltámos a um escape room, desta vez o Safarka Escape Room, e reunimos as cinco pedras da Atlântida dez segundos antes do tempo terminar! Matámos saudades dos anos 90 com uma ida ao bowling.



Visitámos novamente o Museu Nacional de História Natural e da Ciência e o Matias elegeu o rinoceronte como o seu animal preferido. Fomos ao Castelo de Paderne e ao Moinho do Leitão durante as nossas férias no Algarve. Voltámos ao Jardim Zoológico para a nossa visita anual, e foi como sempre um dia muito divertido.



Voltámos à Quinta Pedagógica e o Matias matou saudades das ovelhinhas. Fomos à KidZania, mas claramente temos de voltar quando o Matias for mais crescido. Fizemos também a nossa visita anual ao Oceanário, e mais uma vez o Matias vibrou com os pinguins, os tubarões e as raias. A Gabriela foi à sua primeira exposição, a Harry Potter: The Exhibition! Divertimo-nos em família rodeados de espírito natalício na Cascais Christmas Village (e gostámos tanto que repetimos a dose!).



Passeámos pelo Wonderland com a Carina, o Miguel e a Leonor, e o Matias divertiu-se imenso na roda gigante e no comboio (e a Gabriela também dormiu uma sestinha bem boa!). Fui com a Gabriela conhecer o Palácio Nacional de Mafra (e uma das bibliotecas mais lindas do mundo). Voltei ao Museu Calouste Gulbenkian com a Carina (e as filhotas de ambas), nove anos depois da nossa primeira visita.



Fui a um workshop de pastéis de nata na Academia Time Out e o resultado foi bem apetitoso. Assisti ao Harry Potter and the Prisoner of Azkaban In Concert e vibrei de entusiasmo. Vi os Snow Patrol (uma das minhas bandas preferidas) ao vivo pela primeira vez num concerto lindo. Voltei ao Float In duas vezes no início do ano, para uma massagem com óleos quentes que quase me fez chorar de felicidade e uma massagem de relaxamento que me fez levitar.



Experimentámos uma aula de judo com o Matias, mas ele não ficou grande fã. Fiz uma massagem no Holmes Place durante a gravidez e soube-me pela vida. Fui ao Alive e tive o privilégio de ver um concerto dos Ornatos Violeta. Fiz o programa pré-mamã do Float In, com direito a mais uma sessão de flutuação maravilhosa e a uma massagem de relaxamento divinal. Assistimos à encenação d'A Lebre e a Tartaruga pela Byfurcação Teatro e divertimo-nos imenso! Recebi uma massagem espectacular no spa do VidaMar Resort Villas, no Algarve. Assistimos à peça da Branca de Neve e os Sete Anões pela Palco de Chocolate e o Matias adorou.



Fomos ao Hard Rock Cafe ver um concerto de rock para miúdos e foi super divertido (e ainda tivemos direito a actuação da vocalista dos Onda Choc)! Fui ao The World of Hans Zimmer - A Symphonic Celebration e adorei cada momento. Inaugurei a época natalícia no bailado d'O Quebra-Nozes pela Companhia Nacional de Bailado. Matámos imensos zombies no Zero Latency, um jogo de realidade virtual.



Comi um pequeno-almoço estrondoso na Ladurée com a Joana, o Bernardo e o Matias. Celebrámos um aniversário especial com um jantar n'Os Tibetanos. Almocei com a minha família no Cozinha Velha e cimentei o meu amor por polvo à lagareiro. Comi uns filetes de polvo estrondosos do chef Miguel Castro e Silva e uma tarte de maracujá de ir às lágrimas da Nós é Mais Bolos no Time Out Market.



Voltámos à Piriquita em Sintra para nos deliciarmos com os travesseiros. Matei saudades dos pastéis de massa tenra quentinhos e do bolo de chantilly e morangos da Frutalmeidas. Tomámos um pequeno-almoço a dois na Querubim Lisboa num dia de folga. Voltámos à Adega das Gravatas para recordarmos o feijão-verde delicioso.



Conhecemos as pizzas da Pizzaria Luzzo e ficámos fãs. Trouxe croissants quentinhos do Choupana Caffé para casa depois de uma noite de urgência e encheram-nos a barriga e a alma. Almoçámos no Hard Rock Cafe num dia de folga. Fui ao Mi Dai com os meus amigos do trabalho e lambi-me toda com a comida chinesa tradicional e deliciosa. Conhecemos o frango assado (e as batatas-doces!) do Bairrista.



Bebemos um cappuccino delicioso no Copenhagen Coffee Lab. Decidi variar da minha pizza de trufas habitual da Pizzeria Lucca, e experimentei a pizza com presunto e tomates-cereja. Trouxe éclairs da L'Éclair para casa depois de um dia de trabalho e o Matias delirou com o éclair de chocolate. Tomámos muitos pequenos-almoços preguiçosos ao fim-de-semana na Padaria Portuguesa (e até mandámos vir para casa algumas vezes!).



Matámos saudades dos croissants d'O Careca e do brunch do Choupana. Voltei várias vezes ao Raffi's Bagels para almoçar com os meus amigos do trabalho, e também pedimos umas quantas vezes para casa. Comemos as deliciosas francesinhas do Dote duas vezes em três dias e um monte de vezes depois!



Aproveitámos um dia de imenso calor para comer o primeiro gelado do ano na Artisani. Pedimos comida do BYF Steakhouse e jantámos com os meus pais cá em casa numa Sexta-feira à noite bem divertida. Voltei ao Jamie's Italian para um jantar com os meus colegas de trabalho. Experimentámos as pizzas do Kasa Mia e gostámos bastante. Rematámos uma ida à praia com uma visita ao Eduardo das Conquilhas e deliciámo-nos com o berbigão à Bulhão Pato.



Experimentei o gelado de baunilha da Mú (e o de Oreo também) e apaixonei-me. Fui ao Zaafran várias vezes com os meus amigos do trabalho. Celebrámos o fim do internato do Pedro no Solar dos Presuntos, naquela que foi uma das melhores refeições de sempre. Conheci o KOPPU e comi um ramen maravilhoso. Mandámos vir hambúrgueres da MBH Hamburguesería para um almoço com o Bernardo, e juro que foi um dos melhores hambúrgueres que já comi na minha vida.



Voltámos ao Real Nepal para um almoço em família e o Matias delirou com tudo! Comi pastéis de Belém pela primeira vez em anos. Almoçámos no Butchers num dia de folga e comi um bifinho delicioso. Comi as ostras mais maravilhosas de sempre na Irlanda. Voltei ao Arigato e deliciei-me com o sushi. Conheci o gelado de pistachio da FIB.



Voltámos à Faruque várias vezes para nos deliciarmos com aqueles croissants dos céus. Tomámos um pequeno-almoço delicioso n'A Luz Ideal e fiquei apaixonada pelas lemon bars. Pedimos picanha do Tempero Brasileiro pelo Glovo e enchemos a barriga depois de uma ida à praia maravilhosa. Jantámos na Mesa do Bairro com os colegas de trabalho do Pedro para a despedida dele. Fomos pela primeira vez à Versailles.



Voltámos à Pólo Norte em Mafra para comermos mais croissants. Fomos experimentar as francesinhas do Paullu's, mas continuamos a preferir as do Dote. Fizemos um almoço de família no L'Kodac, em Leça da Palmeira. Enchemos a barriga no Armazém do Peixe num almoço de Verão delicioso. Matámos saudades da comida alentejana nas nossas mini-férias.



Tomámos um pequeno-almoço delicioso no Monte do Giestal. Tivemos um almoço muito interessante no Dom Queijo e gostámos imenso do conceito. Fomos à Santini e eu comi o melhor gelado de maracujá de sempre. Petiscámos n'A Maria da Taberna e adorámos.



Descobrimos por acaso o Santo Graal Burger & Grill e ficámos rendidos. O Bernardo repetiu a sua famosa receita de carbonara e nós ficámos a chorar por mais. Comi muitos (claramente demasiados!) Pernas de Pau. Jantámos ao pôr-do-sol no Evaristo, e só de pensar naqueles camarões tigre fico já a salivar.



Entupi-me de piña coladas e de mojitos sem álcool à beira da piscina. Comi uma salada de mozzarella e presunto e um gelado de ginja de ir às lágrimas. Provei docinhos algarvios na Riviera e adorei.



Comi frango da Guia... Na Guia! Apaixonei-me por Dom Rodrigos. Comi bolas de Berlim na praia. 



Fiz praticamente turismo gastronómico em Sesimbra, e enchi a barriga com um arroz de carabineiro (e outros petiscos deliciosos) n'O Zagaia, um gelado de ginja fantástico na Gelato Cravo & Canela, uma tosta de atum e ananás enorme na Tosta Al Metro, um churro com doce de ovos, canela e açúcar super pecaminoso na Churraria Fortaleza e sardinhas do Marzul. 



Ainda em Sesimbra, deliciei-me com a sopa rica do mar do Restaurante Filipe (e umas gambas à Bulhão Pato maravilhosas), um gelado gigante na Gelatomania, choco frito d'O Rodinhas, croissants de ovo d'O Melhor Croissant da Minha Rua e, last but not least, o maravilhoso peixinho grelhado do Isaías. 



Matei saudades do gelado de morango da Nannarella. Celebrámos o nosso aniversário de casamento com um almoço no Hard Rock Cafe e o sempre delicioso bolo de morangos e chantilly da Frutalmeidas. Experimentámos o Ribs & Company e ficámos fãs. Comi pela primeira vez os raviolis da Pizzeria Lucca e fiquei rendida.



Voltámos ao Wood Sushi várias vezes e enchemos a barriga de sushi delicioso. Ficámos deliciados com os hambúrgueres gigantes do Ribs & Company. Tive desejos de croquetes e fui empanturrar-me no Tico Tico. Fui tomar o pequeno-almoço no Choupana quando já estava em trabalho de parto!



O meu pai fez anos e fomos todos almoçar ao Volver de Carne Y Alma do Chakall, com direito ainda a bolo da Dacquoise. Mandámos vir pipocas do cinema pelo Uber Eats e fizemos várias sessões de cinema em casa. Comemos um belo bife na República da Cerveja!



Almoçámos no Ramiro com a Joana e matei saudades de comer marisco! O Bernardo trouxe macarons da Arcádia para nos animar depois de uma semana difícil. Lanchámos na Pepicon Pâtisserie num Domingo chuvoso. 



Acabei o meu estágio no internamento em lágrimas por ter gostado tanto de estar lá. Fiz o meu estágio na neuropediatria e aprendi imenso. Continuei a trabalhar na Amamentos e a adorar cada segundo.  

Consegui a proeza de ter dois acidentes de carro na mesma semana (e ainda por cima a culpa foi minha em ambos). Depois de três meses de muita burocracia e sofrimento, tive finalmente nas mãos o meu dístico de residente. 

Vi a final do campeonato do mundo de snooker na Irlanda. Fui ao cinema ver o Avengers: Endgame e adorei. Cumprimos a tradição e fomos ao cinema ver mais um filme do Tarantino durante a minha gravidez, desta vez o Once Upon a Time... In Hollywood. Não gostámos do Star Wars: The Rise of Skywalker. Continuámos a ver os filmes da lista de 250 melhores filmes do IMDb.

Instalámos uma sanita e um candeeiro completamente sozinhos e foi uma aventura e pêras. Comprámos uma máquina de secar roupa, uma impressora nova e um sofá enorme! Ficámos sem água quente em casa de repente e desesperámos com as obras no fim da minha gravidez. Comprámos um fato insuflável de dinossauro e divertimo-nos à grande. Comecei oficialmente a minha dieta pós-parto!



O meu irmão voltou da Alemanha depois de ter lá vivido durante seis meses e começou o último ano do curso. O Pedro fez o exame de saída, tornou-se oficialmente especialista e começou a trabalhar num hospital novo! A Joana viveu em Londres durante três meses, terminou o internato, passou pela morte da cadela e começou um relacionamento. O Bernardo trouxe-me flores quando tive complicações associadas à gravidez, ganhou um prémio de investigação clínica, viveu três meses em Roterdão e terminou o internato. A Carina e o Miguel tiveram a Leonor. O gato da minha avó morreu.
 


No meu 30º aniversário as minhas pessoas organizaram um jantar mistério surpresa onde eu fui a assassina e foi uma das experiências mais divertidas de sempre. 



A festa do terceiro aniversário do Matias teve como tema um os filmes preferidos dele, a Vaiana. Foi um grande sucesso e o Mati teve um dia incrivelmente feliz! 
 


Planeámos uma festa surpresa do Harry Potter para o 30º aniversário da Joana e foi muito divertido!



A minha mãe celebrou o aniversário dela com mais uma festa temática espectacular, desta vez com o tema do The Great Gatsby! 



Eu, a minha mãe e a Maria das Festas organizámos um baby shower muito divertido com o tema 'À Procura de Nemo', e foi uma tarde muito bem passada (principalmente para o Matias, que delirou com o insuflável!).



Celebrámos o dia dos namorados com um almoço no nosso restaurante japonês habitual, um passeio a três pelo Parque Recreativo do Alvito, muitos confettis e bolachinhas de manteiga de amendoim e chocolate. O Matias foi o Harry Potter mais fofinho de sempre pela segunda vez consecutiva no Carnaval. Fiz um ovo recheado com brigadeiro de amendoim, bolachas de manteiga de amendoim e chocolate e Snickers para a Páscoa! Passámos a Páscoa na Benedita com a família do Pedro e soube muito bem descansar, encher a barriga de coisas boas, ver os três primeiros filmes do Parque Jurássico, visitar a Beatriz e matar saudades dos primos do Brasil. Festejámos o dia da Criança em Mafra, com direito a trampolins e insufláveis. O Matias foi pela primeira vez aos Santos e divertiu-se à grande com as músicas e as bifanas. Fizemos cinco anos de casados e doze de namoro!



Decorei a casa a rigor para o Halloween! Fiz uma abóbora assustadora com a ajuda da Joana e o apoio moral do Matias. O Matias foi a bruxinha mais querida de sempre. Fomos pela primeira vez fazer o trick or treat e foi giríssimo!



O Matias vibrou imenso com as decorações de Natal este ano e nós divertimo-nos imenso a fazê-las em família. Enviámos postais de Natal à nossa família e aos nossos amigos.



Fizemos a nossa sessão fotográfica anual de Natal, desta vez a quatro! Tivemos um Natal espectacular, com direito a brincadeiras, filmes, disfarces, muitas comidinhas e até uma visita do Pai Natal. Fizemos o nosso jantar anual de Natal com a Joana e o Bernardo, ao qual desta vez se juntou também o Nuno, e comemos queijo brie assado com mel e nozes e a famosa carbonara do Bernardo.



Celebrámos a passagem de ano cá em casa com os nossos amigos e 2020 não podia ter começado de melhor forma. Comemos coisinhas boas, jogámos jogos divertidos, celebrámos e agradecemos.



Fiz um bolo de tiramisú delicioso e levei-o para partilhar com os meus colegas de trabalho. As minhas barrinhas de frutos secos caseiras foram uma presença constante na minha marmita. Cozinhei uma cookie de chocolate XXL para dividirmos por todos enquanto víamos a Vaiana pela milésima vez. Fiz um bolo de ananás invertido que fez o Mati (e os meus colegas de trabalho) delirarem.



Voltei a fazer uma tarte de abóbora, desta vez também com maçã e nozes. Cozinhei boeuf bourguignon com batata-doce e pavlova de chocolate com chantilly, frutos vermelhos, ananás e bolachinhas de gengibre para os meus amigos do trabalho. O Pedro fez-me coquinhos porque eu estava doente. Tentei fazer pães de Deus parecidos com os da Padaria Portuguesa (e fui moderadamente bem sucedida).



Mantive-me fiel aos bolos invertidos e fiz um bolo de banana delicioso, que foi devorado ainda quentinho num piquenique na Quinta das Conchas. Fiz uns brownies com nozes pecan porque o Matias pediu bolinho de chocolate. Continuei a entupir os meus colegas de trabalho com docinhos, desta vez com umas lemon bars bem pecaminosas. Voltei a experimentar umas bolachas de coco e chocolate que já tinham aparecido cá em casa há uns anos.



Fizemos panquecas de banana para um pequeno-almoço de Domingo em família. Cozinhei uns queques de laranja com cobertura de brigadeiro que nos deixaram a todos no céu. Dei as boas-vindas à Primavera com umas barrinhas de morango e limão. Fiz uns kanelbullar deliciosos com a ajuda do Matias.



Matei saudades da sobremesa preferida da minha infância, a tarte de amêndoa, e dividi o amor e as memórias pelos meus colegas do trabalho (estão a notar o padrão de engordanço dos colegas este ano?). Despedi-me do estágio do internamento com uns quindins maravilhosos e uma tarte de limão merengada super intensa. Levei uns brownies de chocolate e amendoim para um brunch com a Carina e o Miguel e fizeram imenso sucesso (mas não tanto como os crepes da Carina!).



Fiz imensas vezes as minhas bolachinhas de manteiga de amendoim e chocolate, para delícia dos meninos cá de casa. Fiz um bolo de chocolate sem lactose para a festa de aniversário do Matias na escolinha e ele adorou (e comeu imenso!). O Matias gostou tanto dos meus queques de frutos vermelhos com crumble que chegou a levantar-se mais cedo de manhã para comê-los às escondidas. Há imenso tempo que queria experimentar fazer uma Boston Cream Pie, e de facto não desiludiu: ficou um dos melhores bolos de sempre!



Para a festa do Harry Potter da Joana cozinhei fudge de chocolate e amendoim, tarte de abóbora, brownies e um bolo red velvet que foi muito elogiado!



Fiz um bolo de limão com compota de laranja para dizer 'até já' aos meus colegas de trabalho. Descobri os crepes congelados, e comi muitos (demasiados possivelmente) com Nutella e coco. Fiz um lombo de porco recheado com farinheira para um jantar com a Joana e o Bernardo. Continuei a fazer várias receitas diferentes de pão na máquina de fazer pão, e este pão de sementes com chocolate foi possivelmente um dos mais apreciados cá em casa.



Fiz umas bolachas de laranja e chocolate com o Matias e foi muito divertido. As bolachas ficaram tão deliciosas que decidi repetir a combinação de sucesso num bolo de laranja com cobertura de brigadeiro. Matei saudades de duas receitas muito apreciadas cá em casa: a tarte de amêndoa caramelizada e a tarte de limão merengada. 



Precisava urgentemente de gastar umas bananas demasiado maduras, por isso inventei uma tarte de banana que nos surpreendeu pela positiva. Fiz croissants caseiros com Nutella e doce de ovo para dar as boas-vindas ao Outono. Comprei uma nova máquina de fazer cappuccinos (a antiga avariou-se) e pude continuar a deliciar-me com a minha bebida preferida (à excepção do gin tónico). Continuei a saga das tartes pecaminosas e deliciosas, e fiz uma tarte de Oreo e chocolate.



Comecei as celebrações do Halloween com as múmias de salsicha, umas maçãs envenenadas bem deliciosas, um bolo red velvet com teias de aranha e uma pavlova assustadora de Oreo e frutos vermelhos.



Comi crepes com o doce de ovo com canela que fiz para aproveitar as gemas que sobraram da pavlova de Halloween. Fiz os já famosos bolinhos de abóbora com a minha avó num dia de chuva e fiquei com a casa a cheirar a Natal. Matei saudades das lemon bars num lanche em família. Fiquei com desejos de bolo de coco e aproveitei uma visita dos meus pais para fazermos o bolo a várias mãos.



O Matias pediu para fazermos uma árvore de bolachinhas como a do ano passado, e mais uma vez foi um grande sucesso. Fiz um bolo de chocolate durante o meu trabalho de parto e levei para o hospital para dividir com a equipa. O bolo fez tanto sucesso que repeti a receita no Natal, juntamente com a já habitual mousse de chocolate (desta vez também com vinho do Porto e Ferrero Rochers), uns folhados de alheira e queijo e um pudim de café.



Foi o ano dos meus filhos: o ano em que vi o Matias a crescer e o ano em que a Gabriela nasceu. Foi também o ano em que eu e o Pedro nos tornámos pais de dois e crescemos enquanto casal entre os desafios e as vitórias. Foi o ano em que trabalhei pouco, mas aprendi muito. Foi o ano em que estive saudável, no meio das minhas pessoas. Foi o ano em que viajei pouco, mas vivi imenso. Foi um ano muito, muito feliz.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...r: 0" />