19 de fevereiro de 2019

Estou viva.

Estou viva, mas com pouca vontade de escrever. Continuamos a fazer coisas giras, a viver aventuras e a passar bons momentos. O Pedro continua a estudar para o exame dele, que vai ser em Março (ainda não sabemos a data). Estou a adorar o estágio do internamento, e só de pensar que já falta pouco mais de um mês para mudar de estágio fico super triste. Ainda não engravidei e estou preocupada com isso. Até acho piada às músicas do Conan Osíris. Já tenho o fato de Maui prontinho para o Carnaval e ontem o Matias disse 'quero vestir-me de Potter no Carnaval'. Hoje quis vestir o fato de Harry Potter do ano passado e não há quem o convença: está farto de andar pela casa a dizer 'Não quero vestir-me de Maui, quero vestir-me de Potter'. Estou doente e ontem o Pedro fez-me uns coquinhos. Já temos a viagem à Irlanda organizada e já há planos para Agosto. Andamos a ver o Top Chess Engine Championship e os episódios antigos de Brooklyn Nine-Nine.

É isto.

2 de fevereiro de 2019

Janeiro.

Começámos o ano em grande: no primeiro dia demos um belo passeio na Quinta das Conchas e no segundo fomos aos Tibetanos celebrar o nosso 11º aniversário de namoro!

A primeira semana de Janeiro foi também marcada pelo meu 30º aniversário, que foi cheio de surpresas e de planos deliciosos. Voltámos à Piriquita em Sintra para nos deliciarmos com os travesseiros, as minhas pessoas organizaram um jantar mistério surpresa onde eu fui a assassina e foi uma das experiências mais divertidas de sempre, conhecemos o Palácio Nacional de Queluz e ficámos a dormir lá durante uma noite e almocei com a minha família no Cozinha Velha e cimentei o meu amor por polvo à lagareiro! :D

Na Quinta das Conchas

22 de janeiro de 2019

Jantar Mistério 2019 #2

Ah, uma folga. Tão bom. Devia estar a aproveitar para fazer coisas importantes como arrumar e fazer relatórios, mas em vez disso estou a planear a festa de aniversário do Matias (tema actual: Vaiana) e a tratar do disfarce de Carnaval dele (tema actual: Maui).

Estou a demorar imenso tempo nesta última tarefa. Sinceramente pensei que seria só escrever algo do género 'disfarce de Maui' e encomendar, mas deparei-me com toda uma polémica sobre os disfarces de Maui e o racismo (TL;DR: aparentemente muita gente acha que disfarçarmos os miúdos de Maui é apropriação cultural ou racista).

E nem sei bem o que pensar. O Matias adora a Vaiana, adora o Maui, todos os dias pede para ouvir a música do Maui no carro (ao ponto de já a sabermos todos de cor) e não vejo qualquer tipo de problema em vesti-lo assim, tal como não vi problema em vesti-lo de uma personagem mexicana no Halloween passado ou de cowboy no primeiro Carnaval. Mas também não quero estar potencialmente a ofender alguém.

Será isto apropriação cultural?
Ou isto?
Por outro lado, isto coloca-me algumas questões. Haverá limites neste tipo de situações? Agora o Matias ainda não tem propriamente grandes sugestões, mas um dia mais tarde se ele quiser vestir-se de princesa, preso, padre ou Bob Marley será que alguém irá ficar ofendido? Será isto racismo ou apropriação cultural? Estou mais inclinada a achar isto um bocadinho uma tontice, mas também diria que é fácil sentir-me assim: sou branca, da classe média e heterossexual, não se é mais normativo do que isto.

Enfim, vou pensar no assunto. Enquanto isso, aqui vão outras fotos nossas com disfarces bastante inocentes :D

21 de janeiro de 2019

Jantar Mistério 2019 #1

E aqui vai a primeira publicação do jantar do meu aniversário, que foi um jantar mistério :D

A disposição das mesas :)

17 de janeiro de 2019

Jantar Mistério 2019 - O resumo! :D

Depois de planear a festa do segundo aniversário do Matias (e durante o processo de planeamento da festa do terceiro aniversário, que já teve quatro temas diferentes!), disse aos meus amigos que queria que fossem eles a planear a festa do meu 30º aniversário.

Foi um desafio e pêras. Por um lado, é dificílimo fazerem-me surpresas porque estou sempre a pensar em todas as possibilidades. Por outro, sou super controladora com tudo, por isso arrependi-me muito rapidamente de me ter auto-excluído de algo tão importante.

O fim-de-semana dos meus anos chegou e eu não fazia a mais pálida ideia do que ia acontecer: sabia apenas que tinha de estar às 9h numa morada (um cabeleireiro) e que ia passar uma noite fora. Quando cheguei a minha mãe já lá estava, e pediu à cabeleireira para fazer um penteado 'dos anos 40'.

'É um jantar temático do Poirot é um jantar temático do Poirot é um jantar temático do Poirot é um jantar temático do Poirot é um jantar temático do Poirot é um jantar temático do Poirot' - pensei eu, já histérica.

Depois do cabeleireiro fomos almoçar a casa do meu irmão (ainda vimos um bocadinho do 'Some Like It Hot' na televisão, um dos meus filmes preferidos da lista de 250 melhores filmes do IMDb) e saímos rumo ao desconhecido. Chegámos ao Palácio de Queluz, onde eu percebi que íamos todos passar a noite em quartos no mesmo corredor (eu, o Pedro, o Matias, os meus pais, o meu irmão e a namorada, a minha avó, a Joana e o Bernardo). Fomos a Sintra dar um passeio e comer travesseiros. A minha mãe deu-me um vestido 'da época' para eu vestir. A Célia chegou. Saímos para o restaurante do Palácio, e quando chegámos aguardava-nos a narradora da Bode Expiatório, que explicou que estávamos num jantar mistério.

Ia morrendo. Já tinha organizado um jantar mistério em 2014 e adoro este tipo de temas, por isso não podia mesmo ter sido um plano mais bem escolhido. Recebemos os nossos guiões, interpretámos as nossas personagens, divertimo-nos imenso, descobriu-se o assassino (que tinha sido atribuído à sorte no início e acabei por ser eu!) e lá fomos todos dormir no Palácio de Queluz. Até o Matias - que originalmente não era suposto vir ao jantar porque vai para a cama às 19.30h (daí a camisola confortável da Patrulha Pata) - ficou connosco o tempo todo e achou imensa piada. 

Foi absolutamente delicioso, e fez-me sentir genuinamente agradecida por ter à minha volta pessoas tão boas. As minhas pessoas.






Vem aí foto-reportagem! :D

12 de janeiro de 2019

Nomes e mais nomes #2

Há uns dois meses estávamos a secar o Matias depois do banho e ele disse com um ar muito solene:

'Quero um mano.'

Inicialmente ainda ficámos com cara de 'Come again for Big Fudge?', mas depois achámos imensa graça e ainda nos rimos um pedaço. Nos dias seguintes o Matias começou a falar imensas vezes do 'mano Gonçalo', que eventualmente percebemos ser o filho bebé da auxiliar da sala que passa algum tempo com eles.

Hoje estávamos a ver o The Good Dinosaur (filme que o Mati adora e eu acho altamente violento e traumatizante) e ele perguntou se o Arlo e o Spot 'são manos'. Respondi que são amigos, ao que o miúdo respondeu logo 'porquê?' (#fml mais a idade dos porquês, worst thing ever).

Vai daí, a dada altura aproveitei para perguntar algo do género 'Quando um dia tiveres um mano como gostavas que se chamasse?'.

Resposta: CÃO.

Vou já consultar o registo do IRN. 

Malandrias da mami

10 de janeiro de 2019

2019.

Em 2017 falei-vos das viagens que tínhamos programadas. Em 2018 falei-vos das minhas resoluções para o novo ano, e entre poupar, viajar, beber menos, manter-me no Krav Maga e parar com a chorice só não consegui cumprir o Krav (parei em Setembro), por isso palmas para mim.

Curiosamente, não temos grandes planos para 2019. E é estranho. Depois de um ano fortíssimo em viagens, eis que nos encontramos sem qualquer projecto, sem qualquer plano, com todas as hipóteses ainda em aberto.

O Pedro faz o exame de saída da especialidade em Março, portanto em princípio vamos a algum lado em Abril: o problema é que ainda não decidimos se queremos fazer uma roadtrip na Irlanda ou umas férias de pastelanço no México. A Joana vai viver três meses em Londres (e por isso está falida e pouco disponível para viajar) e o Bernardo vai viver três meses em Roterdão (e por isso está falido e pouco disponível para viajar), mas é provável que consigamos visitá-los. Há um congresso interessante em Varsóvia. A TAP começou a voar para São Francisco, mas não consigo convencer ninguém a fazer São Francisco e Hawaii comigo. Em Agosto temos as duas semanas de férias do costume (porque a creche fecha), mas ainda não há projectos.

E pronto, creio que é isto. É estranho não ter ideias concretas, logo eu que sou tão obsessiva com os planos. Será a velhice? :D

Contem-me os vossos planos de viagem para 2019 :D

Hogwarts 2018 #3

Antes de mais, muito obrigada pelos desejos de parabéns. Tive um óptimo fim-de-semana, com direito a todo um plano surpresa: um jantar mistério com as minhas pessoas no qual tivemos de descobrir o assassino (que, por coincidência, até fui eu!), uma noite na Pousada de Queluz, uma sessão fotográfica no Palácio de Queluz e uma ida deliciosa a Sintra. Foi muito, muito bom.

Depois disso, passámos os últimos dias a ressacar de toda a animação das últimas semanas: montes de urgências, a minha ida a Londres, a ida do Pedro a Londres para a entrevista, o Natal, a passagem de ano e o início do estudo do Pedro para o exame de saída da especialidade.

Vai daí, parece um bocado estranho olhar para estas fotos e pensar que ainda nem passou um mês desde que fui a um jantar de Natal em Hogwarts. É que já tenho tantas saudades que parece que passou um ano inteiro :)



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...r: 0" />