26 de outubro de 2017

Joana e a saga do desporto.

(Depois da terceira publicação do dia prometo que me vou calar e vou continuar de cama a curtir a minha gastroenterite. Ah, as maravilhas de ter filhos na creche.)

Sempre fui super eficaz a fazer dieta. Não me custa rigorosamente nada fazer uma alimentação saudável e cuidada, divirto-me a inventar pratos novos (e agora que sou vegetariana tem sido o delírio!) e gosto de comer coisas simples. É claro que me custa não andar a chafurdar em gin sobremesinhas, mas uma vez que encontre a minha motivação acabo por conseguir comer de forma equilibrada.

Já o desporto é outra conversa.



Fiz yoga durante alguns anos (ainda vivia no Porto) e adorava. Tinha uma professora amorosa, o grupo era super porreiro, notei diferenças abismais na minha resistência e na minha flexibilidade e aprendi a meditar. Depois vim para Lisboa... E as coisas começaram a correr mal.

Fui para a natação. Desisti. Fui para a musculação. Desisti. Voltei para a natação. Desisti. Voltei para a musculação. Desisti. Fui para o yoga. Desisti. Voltei para a musculação. Desisti. Experimentei o pilates. Desisti. Fiz zumba. Desisti. Comecei a correr. Desisti.

A verdade? Eu não gosto de fazer desporto. Pronto, está dito.

Ora desde que tive a minha epifania de tentar novamente ser mais saudável decidi voltar a fazer desporto. Mas qual? Nada me cativava. Nada me entusiasmava. Sabia que seria uma questão de tempo até desistir. Caramba, eu amo de paixão as minhas aulas de canto, e mesmo assim nunca me apetece ir porque estou demasiado cansada.

Vai daí, estabeleci um plano maquiavélico:

1. Arranjar companhia

A Joana vem novamente viver para Lisboa em Novembro (YEY) e decidimos fazer desporto juntas na tentativa de nos motivarmos uma à outra.

2. Fazer um desporto em grupo, em vez de ir para o ginásio

Quando fiz yoga no Porto uma das coisas que mais gostava era o facto do grupo ser muito fixe, e com o tempo acabávamos por motivar-nos uns aos outros. Inclusivamente chegámos a ir todos jantar algumas vezes :)

3. Location, location, location!

Em vez de ir para um sítio xpto longe de casa, decidi procurar alternativas mais perto (assim o facto de ser longe não serve como desculpa nos dias em que estou mais cansada).

4. Horários

Precisávamos de sítios com horários depois das 20h, para me permitir deitar o miúdo à vontade e para permitir a ambas conseguirmos fazer desporto nos dias de urgência. 

5. O desporto certo

Pensei logo em praticar uma arte marcial. Normalmente canalizo a minha agressividade para coisas mais construtivas, mas estou numa fase em que sinto imensa necessidade de partir tudo de vez em quando. Ultimamente até sonho que dou porrada em pessoas aleatórias - ou não tão aleatórias assim - por isso achei que podia juntar o útil ao agradável e ir aprender uma arte marcial. Li sobre o assunto, vi imensos vídeos no youtube, procurei academias, vi horários, pedi informações, expus as hipóteses à Joana... E pumbas, vamos experimentar o judo e o kickboxing na próxima semana e decidir-nos por um dos dois. O judo tem a vantagem de ser literalmente ao lado de minha casa, o kickboxing tem a vantagem de ser mais aquilo que estou à procura (acho eu).

E confesso que estou muito entusiasmada. Não sei se vou conseguir motivar-me durante muito tempo, mas parece-me um bom plano, e acho que pelo menos vou divertir-me um bocado.

E pronto, vamos lá dar porradinha :D

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...r: 0" />