6 de abril de 2016

Pregnancy Diary #108

(Pronto, já estou um bocadinho cansada de chafurdar em autocomiseração. Vamos lá falar de pipis.)

Uma das coisas mais importantes (e, na minha opinião, mais esquecidas) da gravidez é a saúde da pipi: a malta enche a barriguinha de creme para prevenir as estrias, mas geralmente não se preocupa muito com prevenir outras questões.

O facto de existir pouca informação sobre o assunto também não ajuda. Confesso que fiquei um bocadinho chocada quando nenhuma das grávidas do meu curso de preparação para o parto conhecia os Kegels (algo que eu já faço desde os 16 anos, quando comecei a praticar yoga) ou sabia em que consistia a massagem do períneo. Mas depois lembrei-me que este é um tema tão tabu em todo o lado que é muito fácil este tipo de informação não ser divulgada.

E está mal. Porque se numa das publicações abaixo vos dizia que era só cocó, agora digo-vos que são só pipis. Todas temos uma. Servem para coisas muito agradáveis e importantes. E devíamos dar-lhes o valor e o cuidado que merecem.

Vai daí, eis algumas dicas para cuidarem da pipi durante a gravidez.



1. Kegels Kegels Kegels! 

Façam-nos. Nem precisam de estar grávidas para fazê-los. Os Kegels são óptimos para fortalecer o pavimento pélvico, e se antes da gravidez são importantes para melhorar as sensações durante a relação sexual, durante são-no porque previnem a incontinência e ajudam no período expulsivo.

Fazer Kegels é muito simples: basta concentrarem-se no ânus e puxarem-no para cima, quase como se quisessem evitar fazer cocó. Depois imaginem que têm uma linha que vai do ânus até à uretra, e vão fechando e puxando sequencialmente. No fundo, o objectivo é contrair (para cima) toda a zona. Há sequências rápidas (contrai-liberta-contrai-liberta), sequências médias (contrai-conta até três-liberta) e sequências longas (contrai-conta até dez-liberta), cada uma com a sua indicação própria. Durante a gravidez todas são importantes :) O ideal é fazerem os exercícios todos os dias, em séries de dez contracções e pelo menos três repetições por dia.



2. Deixar a pipi respirar!

Na verdade todas nós deveríamos andar sem qualquer tipo de roupa interior (como os nossos antepassados), mas durante o dia isto é bastante impraticável. Vai daí, o ideal é andar com roupa interior de algodão durante o dia e dormir sem qualquer barreira durante a noite (ou, na pior das hipóteses, de roupa interior de algodão também). Esqueçam as calças apertadas e as cuequinhas de renda e libertem a pipi :)

3. Massagem do períneo

Há estudos que sugerem que a massagem do períneo pode ajudar a evitar a necessidade de episiotomia (o corte no períneo) durante o parto. Não há assim provas transcendentes, mas mal certamente não faz e é uma boa preparação para o que o períneo vai suportar uns tempos depois. A massagem do períneo tem algumas contra-indicações, por isso o melhor é informarem-se com o vosso médico ou enfermeiro assistente antes de colocarem (literalmente) as mãos à obra. Muito resumidamente, se não têm contra-indicações para continuar a vossa vida sexual (como contracções dolorosas, colo curto ou indicação para repouso) em princípio também não terão contra-indicações para a massagem do períneo.

Esta deve ser iniciada às 34-35 semanas (embora haja estudos que defendem que devia ser feita desde o início da gravidez) e podem ser vocês a fazê-la ou o vosso companheiro (a versão que vou explicar aqui é a do companheiro porque acho que é muito mais prático, por isso se forem fazer a vocês próprias avisem e eu explico quais são as diferenças). Normalmente é melhor ser realizada depois do banho, quando estão mais relaxadas. Usem um lubrificante à base de água e com o dedo indicador (inicialmente um, depois os dois) introduzam uma falange e meia na pipi. Sintam os músculos de cada lado e empurrem-nos para baixo, para os lados e para fora. Mantenham estes movimentos durante dois ou três minutos (arde ligeiramente, mas faz parte) e terminem com uma sequência de Kegels lentos.

http://cdn.guiadagravida.com/wp-content/uploads/2015/04/massagem-perineal-tecnica.jpg

E é isto :) Como podem ver, não é nada de difícil ou transcendente :) Se tiverem alguma dúvida estão à vontade para perguntar nos comentários, por mail (palavrasqueenchemabarriga@hotmail.com) ou através do Facebook (https://www.facebook.com/PalavrasQueEnchemABarriga/). Se vos ocorrer mais alguma sugestão, também sou toda ouvidos :)

20 comentários:

  1. Por acaso nas minhas três gravidezes nunca fiz nada disto (por perguiça). No primeiro parto, nas aulas de preparação para o parto, falaram desse assunto. Tenho ideia de o meu medico me ter falado sobre estes exercícios, mas, por perguiça, sempre descurei... Agora, após 3 partos normais, sinto que tenho alguma incontinência urinária.
    De facto, há assuntos de extrema importancia aos quais ligamos pouco (ou nada)... pagamos a fatura mais tarde...
    Espero que lhe continue tudo a corer bem e que tenha um parto são, rápido e (se possível) indolor!
    Cláudia F.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cláudia nesse caso porque não começar agora? Os Kegels ajudam imenso na incontinência urinária :) No segundo trimestre comecei a ter incontinência urinária de esforço (quando espirrava) e desatei a fazer Kegels rápidos (são os melhores para a incontinência de esforço, os lentos são melhores para a incontinência não relacionada com o esforço). Resultou na perfeição e nunca mais tive :)

      Eliminar
    2. Vou começar a fazer... não sabia que nesta fase ainda ajudava... tenho é que colocar post-its para não me esquecer...
      Obrigada pelo conselho,
      Cláudia F.

      Eliminar
  2. Infelizmente acredito que ainda seja tabu para algumas pessoas fazer este género de exercícios e falar deles. Por isso estás de parabéns pela forma simples e sincera como explicaste isto. Sem palavras rebuscadas e difíceis.
    Durante a minha gravidez fiz muitos kegels e massagem do períneo com um creme meio pastoso que comprei na farmácia, então no 3º trimestre e com a possibilidade de nascer mais cedo fazia todos os dias. Confesso que depois desleixei-me, e realmente os kegels teem benefícios mesmo não se estando grávida para a bexiga e possíveis incontinências, por isso tenho mesmo que voltar à acção :-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se treinamos os braços, as pernas, os abdominais... Porque não a pipi? :)

      Os kegels são mesmo bons, devíamos todos fazer :)

      Eliminar
  3. Isto é o que eu chamo de serviço público! :)

    ResponderEliminar
  4. Parabéns pelo post. Sem tabus como deve ser feito. Tudo de bom.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cá em casa não há tabus com nada... Para o bem e para o mal :P

      Eliminar
  5. Dantes (quando eu era uma desbocada, antes de me transformar numa rapariga discreta :p) descrevia sempre os Kegels como uma das vantagens de ser mulher - a possibilidade de uma pessoa se masturbar em qualquer lado sem ninguém ter possibilidade de perceber.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu não sei que kegels fazes, mas isto supostamente não estimula o clitóris!

      Que kegels fazes? O meu mail está à disposição para a descrição dos passos :P :P :P

      Eliminar
    2. :D

      (andarei a fazer tudo mal? Acho que os mesmos de toda a gente. Não dão para ter um orgasmo no autocarro, mas também não são exactamente desagradáveis...)

      Eliminar
    3. Ah sim, de facto são agradáveis :) Bolas, já estava aqui a achar que havia um qualquer segredo que eu não conhecia :D :D :D

      Eliminar
    4. Afinal não me sinto assim tão só! Pensava que era só eu que sentia algum prazer ao fazer os Kegels, mas afinal não!

      Eliminar
    5. Eu também acho os kegels extremamamente agradáveis :P e acho que conseguiria atingir o orgasmo assim, se estivesse com tempo e motivação suficiente :\ serei um ET? :P
      Joana, podes explicar se puderes como se faz a massagem a nós próprias? Parece uma coisa que exige alguma flexibilidade XD
      Beijinhos e obrigada por posts como estes, descomplicados :) quando um dia estiver grávida vou reler isto tudo!

      Eliminar
    6. Eu acho agradáveis, mas não extremamente agradáveis :P Talvez porque estou ali concentrada em fazer bem e tal. E os rápidos são muito mais agradáveis que os lentos e agora faço mais estes últimos, talvez venha daí a diferença ;)

      Supostamente a massagem a nós próprias faz-se de igual forma, mas com os polegares em vez dos indicadores (como está na imagem). A mim também me parece complicado, mas a maioria das pessoas faz a si própria :P

      Eliminar
  6. Não consigo continuar a respirar enquanto faço isso. :P Quando descreveste tentei fazer e pensei "peanuts" depois li "não contraia o abdómen" e foi tudo ao ar... :) essim não aguento tempo nenhum com os músculos contraídos.. assim que inspiro,pufs os músculos descontraiem :D devo ter um problema grave!!! ahahaha (ou então é só falta de prática :P)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É tudo uma questão de treino Margarida :) No início só fazia rápidos e mesmo esses tinham de ser em apneia (sem respirar) :) Agora até nos lentos mantenho a respiração normal :D É mesmo uma questão de continuar a treinar :)

      Eliminar
  7. Muito interessante este post! :)

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...r: 0" />