18 de junho de 2015

Éclairs de maracujá e chocolate para uma das minhas pessoas :D

I recommend biting off more than you can chew to anyone.
I recommend sticking your foot in your mouth at anytime... 
Feel free!
Throw it down, the caution blocks you from the wind.
Hold it up to the rays.
You wait and see when the smoke clears.

You live, you learn.
You love, you learn.
You cry, you learn.
You lose, you learn.
You bleed, you learn.
You scream, you learn...

Alanis Morissette




Quem por aqui passa certamente já leu sobre a Joana e o Bernardo, os nossos maiores amigos e padrinhos de casamento. Na verdade eles fazem parte do grupo restrito das minhas pessoas, sobre quem escrevi há praticamente um ano atrás.


Na altura contei-vos que as minhas pessoas eram comigo mão na mão e abraço no abraço. Disse-vos que eram as minhas pessoas que transformavam os pontos de interrogação da minha alma em pontos de exclamação. E falei-vos do dia em que uma das minhas pessoas precisava de apoio e nós partimos, sem pensar duas vezes e sem olhar para trás.

Desta vez era o Bernardo que tinha pontos de interrogação na alma.


Saí do trabalho e voei para casa, onde o Bernardo foi ter. Preparei-lhe um cocktail de Limoncello que ficou tenebroso de tão mau, ouvi-o até ele esgotar as palavras e depois ficámos ambos em silêncio. E eu fui com ele mão na mão e abraço no abraço, tal como ele foi comigo em tantas outras vezes.

Quando as palavras se esgotaram, os sorrisos voltaram. Porque ambos sabíamos que tudo ia ficar bem, desde que tivéssemos as nossas pessoas por perto. Vai daí, eu desafiei-o para fazer uns éclairs.


É claro que duas horas, um caos na cozinha e dez éclairs depois o coitado arrependeu-se de ter confiado na minha garantia de que fazer éclairs era fácil e rápido. Possivelmente perdeu até toda a vontade que tinha para fazer a minha receita de pavlova, apesar de eu já lhe ter assegurado que era super acessível (caramba juro que é Bernardo, a sério!).


Mas eu gosto de pensar que aquelas horas que passámos a entrar em pânico porque a seringa não funcionava bem e a discutir porque o Bernardo enchia pouco os éclairs foram terapêuticas. Porque enquanto cozinhávamos juntos o problema não desapareceu, mas as rugas de preocupação sim. E porque é isso que fazem as nossas pessoas: são mão na mão, abraço no abraço e resmunguice porque não temos jeito para encher éclairs.


Porque não é o tempo que cura. É uma mistura infalível de conversas, sorrisos, cocktails terríveis, receitas terapêuticas, massa choux na roupa e no chão da cozinha e éclairs devorados uns atrás dos outros.

É o amor que cura tudo.


Éclairs de maracujá e chocolate

Ingredientes (para dez éclairs):

Para o creme de maracujá:
* 175ml de polpa de maracujá;
* 150g de manteiga sem sal cortada em cubos;
* 180g de açúcar branco;
* Três ovos;
* Duas gemas.

Para a massa choux:
* 145g de água;
* 145g de leite;
* Uma pitada de sal;
* 8g de açúcar em pó;
* 100g de manteiga sem sal;
* 145g de farinha de trigo;
* 250g de ovos;

Para a cobertura:
* 125g de açúcar;
* 125g de natas para bater;
* 125g de chocolate negro.

Confecção:

* Juntar a polpa de maracujá, a manteiga e o açúcar e aquecer em lume brando até a mistura ficar homogénea;

* Numa tigela à parte bater bem os ovos e as gemas com uma vara de arames;

* Juntar em fio a mistura de maracujá, mexendo sempre com a vara de arames;

* Levar a mistura novamente a aquecer em lume brando durante sete minutos, ou até o molho engrossar;

* Deixar arrefecer e conservar no frigorífico;

* Para a massa choux juntar a água, o leite, o sal e o açúcar e deixar ferver;

* Acrescentar a manteiga e deixar derreter;

* Incorporar a farinha com uma espátula (forma-se uma bola de massa) e deixar cozinhar durante dois minutos;

* Retirar do lume, juntar os ovos batidos e mexer bem até a massa ficar homogénea;

* Alisar a massa numa superfície e deixar arrefecer;

* Colocar a massa num saco de pasteleiro e formar éclairs sobre um tabuleiro coberto com papel vegetal;

*  Levar ao forno pré-aquecido a 250º, baixar imediatamente a temperatura para os 160º e deixar cozinhar durante 25 a 30 minutos;

* Deixar arrefecer;

* Para rechear os éclairs, fazer três furos com o auxílio de um bico de pasteleiro: um em cada extremidade e outro no centro;

* Usando uma seringa própria, pressionar o recheio de maracujá para dentro dos éclairs (começando pelas extremidades);

* Para a cobertura aquecer o açúcar em lume brando até que derreta e fique escurecido;

* Incorporar as natas e o chocolate e mexer bem;

* Mergulhar os éclairs individualmente na cobertura e deixar secar.




Até amanhã! :D

12 comentários:

  1. Olá Joana,

    Neste post, confesso que mais que a receita e as fotos, foi o texto que me tocou... Sem dúvida que o estarmos rodeados das pessoas que nos amam, que nos dão ânimo, que nos escutam é meio caminho andado para as coisas correrem pelo melhor :-)
    ''É o amor que cura tudo'' - amei esta frase!!! Completamente de acordo...
    E uma boa dose desses eclairs também devem fazer maravilhas à alma.

    Beijinhos***
    Boa quinta-feira!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade :) Quando os problemas são pequeninos sim, quando são maiores então não há problema nenhum em recorrer à ajuda de um profissional :)

      Beijinhos :)

      Eliminar
  2. Vou ter de experimentar esta receita o mais rápido possível. Ai vou, vou!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa sorte :D Se experimentares depois quero saber como correu :D

      Eliminar
  3. Esses eclaires ficaram divinais.
    Comia um agora com o meu café.

    Beijinhos,
    Clarinha
    http://receitasetruquesdaclarinha.blogspot.pt/2015/06/quiche-de-delicias-do-mar-e-espinafres.html

    ResponderEliminar
  4. É maravilhoso quando temos pessoas que estão lá para nos amparar. Sois uns sortudos e sem dúvida que o amor cura tudo. :)
    Mas essas eclairs também ajudam. :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os éclairs ajudam sempre, claro :D

      Beijinhos e bom fim-de-semana :D

      Eliminar
  5. «Grupo restrito das minhas pessoas» soa tão VIP :D
    Claro que sim, dá para ver que gostas imenso deles :)
    «Mão na mão e abraço no abraço» é tão giro :) dava uma canção :P
    «Partir» faz qualquer história parecer uma busca do Mickey Mouse e seus amigos pelo Orelhutil.
    (Desculpa, eu paro. :P)
    Acho que tens jeito para pessoas ;)
    (Sim, hoje deu-me para induzir através de textos online... :P)
    Desafio? Isso é aquilo em que uma pessoa é obrigada a fazer uma coisa por causa do código de honra dos miúdos, certo? :D
    (Desenhos animados a mais...)
    O recheio parece doce de leite :)
    Em teoria éclairs até é simples, mas eu demoro sempre uma eternidade também... Sempre são 3 componentes. E recheá-los é meesmo chato, sai creme por todos os lados.
    (Do bico de pasteleiro. Que é um saco de plástico furado.)
    Eu também não confiava em ti ;) se bem que a pavlova merece :D
    Com a seringa deve ser ainda mais chato :P
    Acho que fazer éclairs deve ser uma bela distração :D
    Acho que descobriste a cura para todos os males ;) agora basta engarrafar isso tudo num frasquinho e vender. Ou criar um buraco negro. :P
    (Isto é culpa daquele livro da «Ciência Horrível» - ou «a bíblia das piadas secas» - que dizia para enfiar uma cama e mais n coisas num frasquinho de 50ml e fazer O NOSSO PRÓPRIO BURACO NEGRO. Porque ter um buraco negro de estimação é tão divertido.)
    Os éclairs parecem deliciosos :D Tenho de voltar a fazer. Nem faço éclairs em geral há imenso tempo... E na última foto há um que tem um que tem um sorriso malicioso de tubarão. Até tem um nariz de tubarão. Mas deve saber bem melhor :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A ideia de éclairs com maracujá foi inspirada em ti, por isso acho que devias fazê-los :D

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...r: 0" />