5 de maio de 2015

Quiches de bacon e cogumelos (paleo) de mim para mim :)

When I counted up my demons,
Saw there was one for every day.
With the good ones on my shoulders,
I drove the other ones away.

So if you ever feel neglected,
And if you think that all is lost,
I'll be counting up my demons, yeah,
Hoping everything's not lost.

Coldplay



Há dois meses o Pedro passou cinco semanas em São Paulo a fazer um curso básico de oftalmologia. E eu fiquei cá sozinha, a contar os dias e a chorar pelos cantos.

Eu achava que estava relativamente mentalizada para o peso da distância, mas confesso que foi muito mais difícil do que tinha imaginado. Não conseguia dormir e perdi o apetite. Passava pelos dias em modo de piloto automático, a contar as horas para ver novamente o sorriso do Pedro através do Skype. Vivia para o momento em que ia voltar para o abraço do meu marido bão.

A dada altura dei por mim a perguntar o que teria acontecido à rapariga independente que disse inicialmente ao Pedro que não queria uma relação séria porque não se queria prender a ninguém. Pois, creio que essa miúda se apaixonou perdidamente e foi substituída por uma romântica lamechas.


Foi um drama de proporções quase épicas - de tal forma que se tivesse vivido no século XIX provavelmente teria morrido de tuberculose, como acontecia na altura com os grandes desgostos de amor. No fim sobrevivi e não fiquei com tuberculose, mas reconheço que foi de facto uma fase extremamente conturbada.

Inicialmente pensei em entreter-me cozinhando só para mim todas aquelas coisinhas que o Pedro não gosta e que por isso não comemos assim com tanta frequência, como beringela ou tofu. Fiz uma ementa semanal toda pomposa, comprei uma data de ingredientes mais elaborados... E depois de uma fase inicial de algum entusiasmo, acabei a fazer jantares deprimentes e solitários que consistiam em:

* Nada;
* Pistachios com pistachios (o texto sobre a minha recente paixão pelos pistachios sai em breve);
* Iogurte com granola;
* Pão com queijo;
* Sopa.


Pois é, afinal cozinhar é bem mais giro quando temos alguém com quem partilhar o que fazemos. E como eu cozinho essencialmente como forma de amar os outros, vi-me perante a triste realidade de não ter ninguém em casa para amar, à excepção de mim própria.

Vai daí, eu tive de chegar. Cozinhar tornou-se numa forma de me amar a mim, de me distrair... E de não ficar doente com tuberculose :)

Estas quiches são um bom exemplo de um prato delicioso, saudável e prático. Fazem-se num instantinho, são paleo, dão para levar na marmita e aquecer no local de trabalho... E são deliciosas :D


Quiches de bacon e cogumelos (paleo)

Ingredientes (para sete quiches):

* Quatro ovos;
* 100ml de leite de amêndoa;
* 50g de bacon cortado em cubos;
* Tomate cortado em cubos (usei congelado);
* Cogumelos laminados;
* Uma colher de chá de orégãos;
* Uma colher de chá de polvere di mirto (opcional).

Confecção:

* Juntar os ingredientes todos e bater bem;

* Colocar em forminhas de queques de levar ao forno pré-aquecido a 200º durante cerca de trinta minutos.

Até amanhã! :D

10 comentários:

  1. Olá Joana,

    Estas quiches teem tão, mas tão bom aspecto! E sim, parecem super práticas para levar na marmita.
    Polvere di mirto é o quê? Uma especiaria? Que tipo de sabor dá? Não conheço... Mas o nome pomposo agrada-me :-)

    Beijinhos***
    Joana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Polvere di mirto é um murta em pó, foi uma amiga que me trouxe da Sicília! Cá nunca vi :) A mim sabe-me a comida italiana ;)

      Eliminar
  2. Olá Joana :)

    Estas quiches não levam massa pois não?
    Apenas colocaste a mistura dos ingredientes dentro das forminhas certo?

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Correcto Sofia :) Sem massa, directamente dentro das forminhas! :D

      Eliminar
  3. Olá Joana,

    Dá para trocar o leite de amêndoa, por exemplo, por iogurte natural?

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Opáááá, que brilhozinho nos olhos ao ler o último ingrediente! :D Juro-te que até li várias vezes, que recordações tão boas.
    Sofremos do mesmo mal. Também faço mil planos perante a perspectiva do 'vou ter a casa só para mim, weeee!', mas passada uma hora já estou farta (então cinco semanas é bem pior!..). A vida é bem melhor partilhada ;)
    Estou curiosa com essa dos pistachios, ahah. Por cá é uma relação amor-ódio.
    Vá, e tenho muitas saudades tuas! Combinamos qualquer coisa em breve, sim?
    Beijinhos grandes para ti e para o Pedro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. De vez em quando usamos e é uma delícia :D

      Concordo: a vida é bem melhor quando temos com quem partilhá-la. Mas quando não temos olha, tem de ser ;)

      Temos que combinar qualquer coisa sim :D

      Beijinhos! :D

      Eliminar
  5. Eu não sei como tu sobreviveste! Não sei bem quando foi, mas presumo que falar no blog ainda o fizesse mais doloroso :P fiquei surpreendida que os teus posts não tivessem um período mais melancólico, até...
    Dizes sempre «bão» :P é engraçado :P
    O amor e a tuberculose :D haha :P
    (Eu acho que há uma história de amor entre o amor e a tuberculose :P)
    Dá para idealizar, mas depois não é a mesma coisa... Esses pensamentos positivos forçados nunca resultam muito bem :P
    Jantar pistachios? Que... Engraçado :P não ficaste tuberculosa E verde? Milagre.
    Estou curiosa com os pistachios!
    Nenhum desses soa muito mal, sinceramente ;)
    (Não são o ideal, obviamente... Mas num mundo «yaaay, breakfast for dinner» não me parece nada mau :P)
    Não tem piada sem poder extorquir elogios a outras pessoas! :P
    Raios, se tivessem descoberto isso no século XIX :P
    Realmente estas quiches parecem perfeitas para eliminar falta de apetite. E tuberculose. :D
    Eu gosto destas coisas, dão jeito para transportar, mas uma vez fiz uns do género mas com legumes e achei horrível. Então... agora tenho trauma e acho que nunca mais quero ver queques de ovo à frente.
    (Abro excepçõ para queques de ovos moles.)

    PS: Uma coisa com um nome como «polvere di mirto» não deveria ser opcional. :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É opcional porque é difícil de arranjar e não quero que as pessoas deixem de fazer a receita por causa disso :D

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...r: 0" />