2 de dezembro de 2014

Nasi goreng (arroz frito) e uma visita gastronómica à Indonésia :D



Na Saveurs de Outubro (ou, como eu gosto de chamar à revista deliciosa que todos os meses chega cá a casa, 'a bíblia') havia uma reportagem dedicada à comida indonésia.

Ora talvez esta questão não transpareça muito naquilo que cozinho, mas eu adoro comida internacional. Para mim uma das maiores vantagens de viver em Lisboa é o acesso fácil a todo o tipo de restaurantes - do indiano ao japonês, do italiano ao libanês, do turco ao americano e do cabo-verdiano ao brasileiro.


Eu adoro comida do mundo, e adoro descobrir novos pratos e novos sabores. E mal li aquela reportagem duas coisas aconteceram: quis imediatamente teletransportar-me para a ilha de Java, e o nasi goreng saltou para a ementa da semana seguinte.


O nasi goreng é o prato tradicional mais popular da indonésia, e no fundo é um arroz frito acompanhado com frango, camarão ou ovo. Embora estivesse em francês, a receita parecia-me bastante simples: bastava saltear cebola picada numa wok, juntar os ovos e mexer, misturar o arroz long cuit e deixar cozinhar. Imaginei que 'long cuit' fosse um tipo de arroz mais pomposo e ainda dediquei alguns segundos a pensar como é que o arroz cozeria sem água, mas logo dei um pontapé no traseiro da dúvida - afinal, longe de mim desconfiar de uma receita da bíblia.

Pus mãos à obra.


Efectivamente tudo correu perfeitamente bem, até que eu percebi que o arroz não tinha cozido. E traduzi a receita toda umas mil vezes até perceber qual era o problema: a tradução de 'riz cuit'... É arroz cozido. Cuit não era um tipo de arroz, era a forma de confecção do arroz. E eu ali estava, com uma wok cheia de ovo mexido e arroz cru e duro.


Não estive com meias medidas e acrescentei água. Como o arroz era basmati cozeu depressa e ficou soltinho, e quando provei dei (literalmente) saltinhos de alegria: estava absolutamente delicioso.

Por isso aqui têm a razão da Saveurs merecer a sua alcunha - é uma revista tão milagrosa que até quando as receitas correm menos bem ficam uma delícia. E acho que só por isso a blasfémia é perdoável.


Nasi goreng (arroz frito) (receita adaptada da Saveurs de Outubro)

Ingredientes (para quatro pessoas):

* Um fio de óleo de amendoim;
* Meia cebola picada;
* Quatro ovos;
* 10g de gengibre ralado;
* Arroz cozido q.b.;
* Quatro colheres de sopa de molho de soja.

Confecção:

* Aquecer o óleo de amendoim na wok e refogar a cebola;

* Juntar os ovos e mexer bem com uma colher-de-pau;

* Temperar com o gengibre;

* Acrescentar o arroz cozido e misturar;

* Temperar com o molho de soja;

* Eu acrescentei uns bocadinhos de bacon que tinha no frigorífico para tornar o prato mais consistente, mas na verdade a maioria dos indonésios é muçulmana e por isso não come carne de porco;

* Saltear e servir;



Até amanhã! :D

21 comentários:

  1. Tem cá um aspecto!!!!! Deve ser delicioso!!!

    ResponderEliminar
  2. Tenho uma pergunta e espero que me possa ajudar. Embora odeie cozinhar (doces ainda vá...) tenho dois gulosos em casa e estou tentada em assinar a "Saveurs". As receitas são acessíveis a cozinheiros básicos ou são daquelas em que preciso perceber o que se está a fazer (a maioria das receitas dos livros de cozinha são tudo menos fáceis de fazer, pelo menos para mim). Obrigado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Ana!

      Esta é uma pergunta complicada. A Saveurs é uma revista gastronómica, por isso em cada revista tem partes dedicadas a publicidade, a eventos, a vinhos, a frutas ou legumes da época, a restaurantes e a receitas. Está integralmente em francês, por isso convém dominar um bocadinho da língua (ou ter o trabalho de traduzir as receitas no google). Tem receitas doces e salgadas, dos mais variados tipos, desde as mais gourmet às mais habituais e simples. Há receitas com aqueles ingredientes todos xpto, há receitas básicas com os ingredientes do dia-a-dia. As revistas de compilação (como a das sobremesas) são fantásticas e têm ideias muito boas e todas as receitas correm lindamente, mas é preciso filtrar bem porque de facto há imensas receitas que eu não experimento porque não me cativam. De resto são receitas bem explicadas e fáceis de entender :)

      Espero ter ajudado :)

      Eliminar
  3. Sou uma grande fã deste tipo de arroz, adoro!

    ResponderEliminar
  4. Apesar do que tínhamos pensado, a receita não é difícil :)
    Estamos desejosas de experimentar e saborear!!!
    Obrigada pela partilha.
    Beijinhos ♥

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Experimentem, garanto que não se arrependem :D

      Beijinhos e um bom resto de dia :D

      Eliminar
  5. Fiquei com muita vontade de experimentar!!

    ResponderEliminar
  6. hehehe... imaginei isso a acontecer a duas pessoas: eu e a minha irmã e cheguei a esta conclusão: se fosse a minha irmã, e quando se aprecebesse que o arroz era suposto ser cozido, e que tinha essa conjugação de ingredientes no wook - ia acabar por comer leite com cereais, e a comida bye bye. Se fosse eu.. juntava água e tinha esse delicioso resultado! E é por isso que eu gosto tanto da cozinha.. á sempre margem para invenções! (e é por isso que tou sempre a dr nas orelhas á minha irma, que acaba sempre por comer a mesma coisa todas as semanas com medo de nao saber fazer isto ou aquilo!
    Beijinhos,
    http://sudelicia.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois ainda há a terceira opção: por momentos ainda ponderei comer arroz cru! :D

      Beijinhos :D

      Eliminar
  7. AH, então é por ISSO que fizeste comida indonésia :)
    Espero que essa frase seja ironia, claro que se transparece nos milhares pratos tradicionais de outros países que fazes :P
    Eu sei que há muitos pratos americanos interessantes, mas para mim está um bocado desmistificado por causa daquilo de HAMBÚRGUER :P talvez também seja por causa da língua, porque o inglês, o português e o espanhol (que aprendi durante 3 anos mas claro que, independentemente dos argumentos a favor de "é ainda mais difícil porque confundes", é obviamente muito mais fácil do que aprender uma língua desconhecida) são as que sei melhor e pratos do Brasil, Espanha, América e etc são aqueless por que me interesso menos. Agora que penso nisso é estranho :P a comida inglesa já é mais apelativa porque o sotaque britânico eu não consigo... Haha :P
    A culinária "étnica" até me fascina, mas depende. Costumo achar que "se é tradicional num país deve ser bom" (e é uma boa maneira de descobrir o que estou a perder por não ser típico aqui), mas há alguns pratos que simplesmente nunca faria, até porque há muita coisa que para avós de outros países é normal e delicioso mas que faria a minha avó desmaiar (bife cru). Há outros que faço e gosto imenso :) mas não me aventuro muito - basicamente pratos (maioritariamente sobremesas, diga-se de passagem) asiáticos, franceses e árabes. Talvez americanos, porque faço muffins e coisas com manteiga de amendoim. :P Portugueses também, claro. Mas tu tens um enorme histórico de coisas giras e exóticas! :)
    Poiss, eu conheço 2 restaurantes "étnicos" e já fui a um. Aliás, é o único restaurante a que já fui com a minha família... Haha :P é chinês, toda a gente adora. Incluindo a minha avó, que é apaixonada por aquilo e às vezes faz propostas de "passeio" familiar repentinas. :)
    Arroz com ovos mexidos é engraçado :)
    As fotos de um arroz perfeitamente cozido, comestível e delicioso são um enorme "spoiler" :P claro que podias ter repetido, mas não sei quem é que teria vontade depois de deitar fora um monte de arroz cru.
    (Com estas modernices quem sabe se não há pratos com massa crua...)
    Ahh, é em francês! Que idiota, pensei que fosse traduzida :P acho que é bastante popular, mas desconheço esses detalhes "técnicos".
    Felizmente o francês está na minha de 7 línguas a aprender ;) (eu acho giro saber línguas, gostava de alguma vez vir a ter disponibilidade, capacidade e dinheiro para aprender algumas mais). O meu pai ofereceu-se para traduzir entretanto :P
    (É giro que ele saiba falar francês, todas as palavras francesas são TÃO giras e têm uma pronúncia que as torna ainda melhores!)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu agora quase já só faço receitas da Saveurs :D Ando viciada :D Ainda hoje chegou uma nova, já sei que vou seleccionar umas quantas receitas :D

      Por acaso é um spoiler, devia ter posto umas fotos com o arroz ainda cru para distrair as pessoas :D

      É em francês sim :) Ainda fica mais gourmet assim, parece tudo tão fino :D

      Eliminar
  8. Eu às vezes traduzo no google tradutor, mas se estiver numa revista (sem possibilidade de copy-paste) é muuito mais chato e trabalhoso. O que piora tudo é que agora pelos vistos o google tradutor só permite pequenos segmentos de texto de cada vez (pelo menos era o que acontecia da última vez que fui lá). É tão frustrante estar no *copia 10 palavras* *cola 10 palavras*... Foi uma receita de creme de pasteleiro - eu achei que era melhor recorrer aos mestres do creme de pasteleiro e pesquisei em francês, porque nenhuma em inglês me parecia boa o suficiente. Primeiro vi "4 oeufs" e entusiasmei-me porque "pff, francês é a coisa mais fácil do mundo, sem pronúncia coquete dá para perceber perfeitamente bem", mas eventualmente rendi-me à tradução medíocre do google. (Apesar de ser brilhante a francês, claro: devias ouvir-me a dizer "boeuf bourguignon"). Não correu muito bem, se calhar no meu creme de pasteleiro o arroz também tinha de ser cozido ;)
    Às vezes as receitas toldam o discernimento. Há 2 anos ou assim fiz uma que pedia uns 3 ou 4 L de água e algumas colheres de sopa de sal e acreditei que "saco de farinha" era uma forma rústica de designar "pacote de 1kg". Acho que essa foi a minha pior experiência culinária de sempre. Bolo com adoçante quase parece baklava à beira dele :P haha
    (Cada um dramatiza a sua história - só de pensar na pasta pegajosa na roupa, chão, pele e porta apetece-me arrancar os meus olhos desprovidos de sentido crítico. A ainda precisei de obrigar a minha avó a engolir um pedaço de massa crua para saber que estava demasiado salgado. Palerma. :P)
    Mas estiveste à altura da situação! Realmente era difícil cozer no refogado :P às vezes, quando a minha avó faz legumada no wok, deita massa crua ou arroz cru e ele coze. Mas presumo que quem já tem netos possa dar-se a estes luxos e arriscar com confiança na compaixão dos ingredientes. Ou é só porque são 10g de arroz para uma tachada de legumes com os seus sucos naturais. Também pode ser porque são 10g de arroz para uma tachada de legumes com a sua água.
    (Não repeti "sucos naturais" porque uma vez já é mau o suficiente.)
    Não sei quanto à Saveurs, mas o teu blog é uma espécie de Saveurs para mim :) o frango à fricassé-limonada que acabou por ficar bem, as únicas panquecas que saem mesmo bem, BAKLAVA. Já pensaste em escrever em francês? :)
    (NÃO. Eu não sei francês :P)
    O sexto passo é o meu preferido. Fica estranhamente engraçado com ponto e vírgula no fim.
    Acho estranho quando nas receitas estão especificadas as quantidades de todos os ingredientes menos um. Quando faço prefiro que seja em função da proporção, senão é um bocado arbitrário :P apesar de a olho dar sempre para ver, claro... Ninguém vai pôr 50g ou 1kg de arroz.
    No "wok to walk" põe um ovo no início e é extremamente engraçado. *Pegar no ovo* *pegar na espátula de metal* *paulada no ovo* *mexer mexer mexer*. Estar na fila é tãão divertido! Como se as piadas secas nas camisolas e o esfregar delicado com palha de aço não bastassem para entreter os clientes ;)
    Tenho feito massa no wok (stir fry) e é tãão bom! Massa frita já tinha provado antes de fazer, arroz como esse acho que não - também já provei arroz chinês tipo chao chao. E não gostei muito. Esse parece mil vezes melhor! Muito mais tostadinho e menos aborrecido do que arroz normal por ter umas coisas para o meio. Normalmente um prato de arroz é muito chato e não completo :P
    Arroz com molho é uma coisa muito atípica (também vi no "Wok to Walk", mas esse não parece tão bom como o teu e dve ficar ensopado em molho), mas parece delicioso! :D Está com uma cor muito agradável! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu normalmente traduzo partes inteiras da receita. O meu francês é bom, mas sou insegura e às vezes há passos pequenos que fazem toda a diferença (lembro-me que uma vez fiz um petit gâteau com uma gema e duas claras e não com duas gemas porque traduzi mal a receita!) :)

      Nunca comi nesse restaurante! É bom? :)

      Eliminar
    2. Até fiquei a pensar o que era "esse" restaurante por não ser nenhum específico :P Eu não tenho grande autoridade para falar sobre isso, quase não janto fora, não sou a melhor crítica gastronómica e não conheço quase nada daquilo que é moda culinária actual. Mas aquilo é TÃO bom. Não provei muita coisa (obviamente NÃO por não pedirmos sempre a mesma coisa há 10 anos), mas é tudo (ou pelo menos tudo o que foi pedido por alguém com bom gosto que não escolhe lulas brancas e de borracha) delicioso :) nós íamos lá há uns 10 anos, e entretanto deixámos de ir. Depois regressámos por causa de uma aposta com a minha avó (completamente não relacionada com um "reality show") e agora de vez em quando vamos lá. Toda a gente adora, já temos um menu perfeito definido (eufemismo para "comemos sempre a mesma coisa" - igual há de há 10 anos, é uma fixação :P) :P fizeste-me ficar com saudades, já lá vão uns bons meses! Se eu fosse a ti experimentava :) só fugia de lulas. E de porco doce. E provavelmente dos 90% do menu que não experimentei. Pormenores ;)

      Eliminar
    3. Antigamente a minha mãe e o meu irmão iam comer aí (eu e o meu pai íamos sempre ao Go Natural porque somos muito saudáveis!) mas um dia aconteceu qualquer coisa e eles nunca mais lá foram. Não me recordo o que foi, vou indagar :D

      Eliminar
    4. Desculpa, confundi a pergunta! Só reparei agora. Mas sim, é bom! Uma vez fui lá e odiei mesmo, não comi nada. Mas pedi os vegetais, que por acaso ficaram duros e nojentos, e não pus molho porque nenhum parecia bom (tenho sempre medo disso, basta um que não goste para estragar tudo). Depois fui lá mais uma vez e gostei. Pedi massa, molho de soja, CAJU, cebola e camarão, acho eu. Ficou bem bom :) e são doses enoormes!
      Por acaso comi no Vitaminas (Vitaminas, Go Natural, é tudo a mesma coisa) há pouco tempo pela primeira vez e fiquei agradavelmente surpreendida :) sempre achei que as saladas eram nojentas, mas estava muito bom! Por que é que as MINHAS nunca ficam decentes?

      Eliminar
    5. Do Vitaminas não gosto tanto, mas adoro o Go Natural :D O wrap de beringela é tão bom :D

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...r: 0" />