29 de setembro de 2014

Queques de alheira e uma negociação difícil :)

Todo dia ela diz que é pra eu me cuidar,
E essas coisas que diz toda mulher,
Diz que está me esperando pro jantar,
E me beija com a boca de café.

Todo dia eu só penso em poder parar,
Meio dia eu só penso em dizer não,
Depois penso na vida pra levar,
E me calo com a boca de feijão.

Chico Buarque


Eu não me rendo às pessoas à primeira. Gosto de esperar, de ter calma, de analisar bem os riscos e de arranhar para lá da superfície. Nisto das relações sou uma medricas a quem já fizeram sofrer muito.

No entanto esta minha característica não é exclusiva das relações, e por vezes sou medricas (ou indecisa, vá) com outras coisas novas da minha vida. Não é que não goste da mudança, simplesmente demoro um bocadinho a perceber se aquele resultado é realmente aquilo que eu pretendia inicialmente.

E entram os queques salgados.


Não abri logo o meu coração aos queques salgados, confesso. Achava-os mais aborrecidos do que os queques doces e temia não ser suficientemente criativa, por isso a negociação com a editora sobre a quantidade de queques salgados que o livro iria ter foi demorada e cansativa. No fim rendi-me às evidências: se queria que o meu livro fosse bom, tinha de explorar melhor o mundo dos queques salgados.

Durante semanas a minha família e os meus amigos foram cobaias de um verdadeiro desfile de queques diferentes, e depois da alheira, do frango assado, do atum, do bacalhau, da mozzarella ou do bacon todos foram unânimes: os queques salgados simplesmente tinham de estar no livro.

Não me rendi à primeira mas rendi-me à segunda, e desde então os queques salgados (principalmente os de alheira) aparecem frequentemente cá em casa. E quem folheia o livro fica tão curioso que não resiste a experimentar e deliciar-se :)


Foi assim que a Joana, interna no serviço onde eu estava em Julho, me trouxe alheiras para eu fazer os queques e posteriormente levar para eles provarem. Foram aprovados com vários suspiros de satisfação (modéstia à parte são deliciosos) e eu fiquei genuinamente feliz por a editora ter insistido tanto para eu explorar este mundinho maravilhoso :)

Esta e mais receitas de queques salgados podem ser encontradas no meu livro 'Queques que enchem a alma'!


Queques de alheira (receita adaptada - mas não igual à - do meu livro)

Ingredientes (para doze queques):

* 255g de farinha de trigo;
* Duas colheres de chá de fermento;
* Uma pitada de sal;
* Uma colher de chá de pimentão-doce;
* Uma colher de chá de paprika;
* Um ovo;
* Duas colheres de sopa de açúcar branco
* 300ml de leite;
* Uma alheira de caça sem pele;
* Quatro colheres de sopa de óleo vegetal.

Confecção:

* Numa tigela juntar a farinha, o fermento, o sal, o pimentão-doce e a paprika;

* Noutra tigela, bater o ovo com um garfo e juntar o açúcar, o leite, a alheira e o óleo, batendo bem entre cada ingrediente;

* Triturar com a varinha mágica para a alheira ficar desfeita;

* Juntar a mistura líquida aos ingredientes secos e mexer com uma colher de sopa até os ingredientes ficarem ligados;

* Colocar em forminhas para queques e levar ao forno pré-aquecido a 220ºC durante sete minutos;

* Baixar a temperatura do forno para os 190º e deixar cozinhar durante mais treze a quinze minutos.



Até amanhã! :D

6 comentários:

  1. Excelente aspecto! E os queques salgados são uma boa opção de refeições ligeiras, sem dúvida!
    Um beijinho e parabéns pelo bom trabalho!
    Helena
    Cooking
    http://cookingbooksblog.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  2. Estou mesmo tentada a experimentar; já tinha olhado para eles quando li o livro. ;-)

    ResponderEliminar
  3. Olá Joana :) confesso que me identifico, também eu sou um pouco receosa, no que toca a relações e a bem dizer, a tudo no geral. Espero sempre um pouco antes de dar o paço em frente, acho que se deve ao facto de já ter caído inúmeras vezes. Na comida também sou assim, mas estou a melhorar. Sinceramente nunca experimentei queques salgados, e custa-me um bocadinho a imaginar porque associo sempre a coisas docinhas e fofinhas, mas talvez sejam bons, acho que vou seguir esta receita um dia destes, até porque o meu gosto por alheira, que há um ano atrás detestava, tem vindo a crescer!

    ResponderEliminar
  4. Antes de mais tenho de dizer que as fotos estão perfeitas (isto inclui o objecto!). :)
    Quanto às pessoas não acho que seja uma má característica. Quanto aos queques, depois deste post já não sei - acho que andaste a perder metade do teu "mundo" alternativo preferido (sim, acabei de mencionar um mundo de muffins). Ou 1/3, não exageremos, sobremesas continuam a ser melhores :P
    Essas negociações devem ter sido dolorosas. Uma pessoa idealiza o que quer e depois ainda tem uns mini ataques de teimosia e de "oh que seca ninguém percebe o meu ponto de vista - que está obviamente certo - e vão estragar tudo porque não conseguem ver o meu lado". Agora põe as duas facções a pensar isto e imagina a dificuldade de um acordo. Maas na tua situação é diferente :) porque sempre tens aquele bónus de "OHMEUDEUS o meu livro" que torna as cedências mais fáceis por serem por um bem maior :)
    (Mesmo que talvez também pudesses ter idealizado o teu livro perfeito...)
    Esses queques salgados todos abriram-me o apetite :)
    Sempre que vejo alguma coisa relacionada com "segunda oportunidade" lembro-me de uma lojinha de outlet. Mas obviamente que queques de alheira são mil vezes melhores do que a loiça do Pai Natal foleira e com duendes assustadores que ninguém quis à venda em Maio :)
    Também acho que não vou resistir quando os vir no livro ;) vou mesmo encomendá-lo, não tinha na bertrand :( lancei um mau olhado à loja e da vez seguinte que passei por lá estava fechada, portanto estás vingada, não te preocupes. Tenho tido preguiça de encomendar, vou ver se o faço hoje!
    Hmm essa coisa do dar ingredientes e receber o produto final parece-me um negócio interessante ;)
    Beem fiquei mesmo com vontade de experimentar! :)
    Já estava a ver como é que ias pôr a receita do livro! :) estou curiosa para comparar com a do livro :P

    ResponderEliminar
  5. Experimentei e gostei! Fiz algumas adaptações (leite de soja em vez de leite de vaca; metade da farinha integral), mas achei que triturando a alheira com a varinha mágica, acaba por se perder em parte o seu sabor. Da próxima vez vou tentar esmagando apenas com o garfo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já experimentei das duas maneiras (triturando ou deixando pedaços) e preferi triturada. Salvo erro no livro até está em pedaços (nunca tinha triturado antes) e fica interessante, mas gosto do sabor mais uniforme :)

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...r: 0" />