22 de maio de 2014

Almôndegas de frango e queijo para um paladar refinado :D

I never pretend to be something I'm not.
You get what you see, when you see what I've got.
We live in the real world, I'm just a real girl,
I know exactly where I stand.

And all I can do is be true to myself,
I don't need permission from nobody else.
'Cause this is the real world, I'm not a little girl,
I know exactly who I am.

Mutya Buena


Acho que já deu para perceber que eu não sou uma pessoa de gostos particularmente refinados. Em casa dos meus pais sempre se comeu de forma simples (apesar da tendência do meu pai para fazer mixórdias pouco usuais), nunca fui muito fã de restaurantes gourmet e regra geral não faço em casa pratos extremamente complicados.

Sinceramente sempre tive alguma vergonha desta minha característica: afinal, é um bocadinho estranho uma blogger de culinária já com algum andamento continuar a ter como pratos preferidos coisas aborrecidas como o esparguete à bolonhesa (oh meu Deus tão bom), o chili de todas as formas e feitios e o arroz de frango no forno. É verdade que sou louca por Boeuf Borguignon (que merecia aparecer novamente no blog, desta vez com fotografias decentes), mas fora isso todos os pratos que fazemos cá em casa demoram no máximo quarenta minutos a ficarem prontos.


No geral não sou particularmente audaciosa na cozinha, grande parte porque até sou relativamente esquisitinha e moro com o Pedro, que é o rei da esquisitice. Não faz muito o meu estilo combinar sabores muito diferentes, embora adore misturar todo o tipo de especiarias.

Isso começou a mudar quando visitei o château onde vamos casar pela primeira vez. Se até aí torcia o nariz a todas as mixórdias estranhas que me tentassem impingir, desde então tornei-me numa fã de tempura de escargots com puré de ervilhas, pato com molho de framboesa e puré de cenoura e batata-doce, raviolis de manga e maracujá com gelado de ananás e bolacha de coco e salada de lagosta com manga, toranja, pepino e flores comestíveis, só para citar alguns dos pratos absolutamente estrondosos que experimentei.


Entretanto voltei e passei mais quatro dias a deliciar-se com comida francesa da boa (passo a redundância). E quando finamente regressei a casa... Atirei-me de cabeça para um prato de almôndegas.

Afinal, Roma e Pavia não se fizeram num dia e ainda tenho todo o tempo do mundo para apurar o meu paladar. Enquanto não me rendo definitivamente aos pratinhos gourmet, espero que gostem destas almôndegas aborrecidas mas deliciosas :D


Almôndegas de frango e queijo

Ingredientes (para duas pessoas):

* 200g de peito de frango picado;
* 75g de queijo ralado;
* Meia cebola picada;
* Dois dentes de alho picados;
* Uma colher de chá de mistura de especiarias italianas;
* Uma colher de chá de paprika;
* Uma colher de chá de pimentão-doce;
* Meia colher de chá de piri-piri;
* Meia colher de chá de orégãos;
* Uma pitada de sal;
* Um fio de azeite;
* Uma lata de tomate pelado.

Confecção:

* Juntar o peito de frango picado, o queijo ralado, a cebola picada, os dentes de alho picados, a mistura de especiarias italianas, a paprika, o pimentão-doce, o piri-piri, os orégãos e o sal e misturar bem;

* Formar bolinhas com as mãos (se necessário juntar um pouquinho de pão ralado para moldar melhor);

* Aquecer o fio de azeite e refogar as almôndegas;

* Cobrir com a lata de tomate pelado e deixar cozinhar.


Até amanhã! :D

11 comentários:

  1. Pois eu adoro as tuas receitas por serem muito terra-a-terra. Comida da boa!

    ResponderEliminar
  2. Resultado: uma refeição simples e deliciosa :)

    ResponderEliminar
  3. Que aspecto delicioso

    Selene
    http://receitasdaselene.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  4. Olá Joana...

    Estas almôndegas agradam-me profundamente por serem de frango :-)
    Só costumo ver de carne de porco, carne de porco... E estas são diferentes e parecem muito saborosas :-)
    Tenho cá p'ra mim que vou experimentar um dia destes............................

    Beijinhos***
    joana

    ResponderEliminar
  5. Por aqui agradecemos que sejas assim que vamos sempre sacando receitas :D

    ResponderEliminar
  6. Acabei de fazer o boeuf bourguignon da Julia Child e ficou bem, mas bem bom :) Até fiz as cebolinhas caramelizadas e os cogumelos salteados! Uma tarde ao fogão, mas valeu a pena.

    ResponderEliminar
  7. Acabei de fazer o boeuf bourguignon e ficou bom, mas bom :) Até fiz as cebolinhas caramelizadas e os cogumelos salteados! Uma tarde ao fogão, mas valeu a pena!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda bem que gostaste :D Por aqui vai ser o nosso almoço de amanhã :D

      Beijinhos! :D

      Eliminar
  8. Tem tão bom aspecto! :)

    http://rosachoquebloggg.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  9. :) Não me parecem nada aborrecidas!

    ResponderEliminar
  10. Por acaso também não estou habituada a pratos estranhos, porque sempre comi a papinha da avó (o melhor nome que se pode dar à comida para a fazer soar apetitosa) , ou seja, pratadas de comida tradicional com poucos e bouns ingredientes :P A minha mãe às vezes até fazia coisas mais elaboradas, mas não muito. Acho que a coisa mais "original" foi lançar intempestivamente uns "goles" de coca cola no caramelo de um pudim, e não correu bem. De resto, as coisas mais próximas de gourmet eram arrozada de marisco (arrozada/massada dá sempre um som muito mais rústico) e leite creme (o único doce que a minha avó sabe fazer, ou seja, o doce para o qual já ninguém consegue olhar).
    As tuas receitas são muito boas, independentemente de serem refinadas ou não :P Se se tem de cozinhar o jantar não é lá muito agradável pensar em fazer pratos chiques... Eu só faço os teus pratos quando tenho mais tempo, e demoro sempre mais do que 40 minutos porque os faço em doses de cavalo ;)
    Haha são um casal de oposição a coisas estranhas! :) Também não me posso aventurar muito com a minha avó por perto, por exemplo. Frango com mel? Não tem jeito nenhum, frango doce. Muffins de bacon feitos à hora de jantar? Sopa com bolo, é bom (no tom mais irónico que possas imaginar). Etc... :P
    Acho que há combinações estranhas nojentas. Muitas. É preciso alguma perícia para conjugar bem dois sabores estranhos. Aqueles pratos refinados são bastante rebuscados, mas também pensados, porque não basta juntar meia dúzia de esquisitices. O que seria nojento.
    Na minha família é um enorme preconceito contra isso, aka "pagar balúrdios para comer uma coisinha de nada e ficar com fome, huh". Isso inclui, por exemplo, restaurantes chiques. Portaanto, eu nunca pensei neles com muito agrado. Pode parecer estúpido, mas quando vi as tuas fotos do château pensei mesmo nisso: "fooogo enganaram-me" e "afinal até não me importava de experimentar coisas estranhas e giras" :P Se isto aconteceu só pelas fotos, tu tens mesmo boas razões para passar a ser mais "audaciosa" :D
    Tem piada, esse ditado é sempre cortado. Pelo menos aqui... Quando alguém diz isso, diz só "Roma não se fez num dia", estragando a rima e tudo :P Nem me lembro de alguma vez ouvir da maneira que disseste!
    (E os nomes dos pratos também ficam giros, que fino :P)
    Pode não contar como "refinada", mas algumas coisas francesas de que gosto são caracóis e pernas de rã (em tarte ou sozinhas). Já agora, tarte de flan, éclairs e madalenas :P Mas isto não é muito rebuscado... Haha
    É bom que mates as saudades primeiro! :D E esssas saudades são a prova de que comida simples pode ser deliciosa! :)
    Entretanto, vou vendo se aparecem por aqui pratos esquisitos :) Vê lá se não abusas, senão os nomes não cabem no título!

    PS: Pensava que a receita do boeuf bourguignon era nova! Fui ver a outra... Tanto elogio, TENHO DE FAZER! Ahhh quero-o :D Parece mesmo bom!

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...r: 0" />