9 de janeiro de 2020

Sobrevivi à primeira Quarta.

Em Junho o Pedro começou a trabalhar num novo hospital, e desde então tem um horário diferente: às Quartas e Sextas trabalha das 8h às 20h e nos outros dias está bastante mais tranquilo. Vai daí, quando ele regressou ao trabalho no dia 23 de Dezembro não notámos propriamente uma grande diferença nas nossas rotinas, até porque entretanto chegaram o Natal e a passagem de ano.

E eis que chegou o dia de ontem.

Ontem era a primeira Quarta que eu ia passar sozinha. A primeira vez que ia deitar os dois sozinha. O Pedro já tinha trabalhado Sextas-feiras, mas é diferente: às Sextas há toda a tranquilidade do fim-de-semana que está à porta, às vezes deixo o Matias ver um filme, não somos tão fanáticos com a hora do deitar, como o Pedro está na consulta geralmente consegue sair mais cedo e chegar a casa por volta das 19h (às Quartas opera e por isso é raro chegar antes das 21h), enfim.

Ontem era a primeira Quarta que eu ia passar sozinha, e estava aterrorizada. Antes da Gabriela nascer as Quartas-feiras eram de longe o dia mais intenso da semana, e não era assim tão raro o Pedro chegar a casa e eu estar no sofá com ar de falecida.

Ontem a Gabriela acordou às 5.30h para beber o biberão (fez um intervalo de 6h, riqueza da mamã), e às 6h eu já estava na cama novamente (já andamos ambas umas prós nas mamadas da noite). Depois adormeci, nem dei pelo Pedro sair de casa e só acordei às 9.30h com a Gabriela a chorar novamente. O Matias já estava levantado, já tinha tomado o pequeno-almoço dele (agora ele prepara o pequeno-almoço sozinho, riqueza da mamã número dois) e andava entretido a fazer puzzles. Dei o leite à Gabriela, vesti o Matias, vesti-me e levei-o à escola às 11h. Passei o dia na vida do costume, a jogar Sims e a ler as oitenta e tal páginas de currículo da Joana. Às 16h fui buscar o Matias e ele pediu para irmos comer um gelado, por isso lá fomos todos à Artisani.

Chegámos a casa às 17h. Como a Gabriela ainda estava a dormir, convenci o Matias a ir logo para o banho (geralmente só vai às 19h). Depois fizemos mais puzzles e ainda lhe li umas quantas histórias (agora o Matias pede sempre para lermos a história do Grinch do Dr. Seuss!). Às 18.45h ele já estava a jantar. Às 20h já estava na cama.

Depois disso dei banho à Gabriela, dei-lhe o biberão e deitei-a, e quando o Pedro chegou, às 20.45h, já eu tinha os miúdos limpos, alimentados e deitados, a casa toda arrumada e um copo de vinho branco na mão. Tínhamos ainda jantar do dia anterior (salmão com macarrão, ervilhas e mozzarella de búfala), e comemos no sofá a ver um episódio de The Witcher.

E sabem que mais? Desta vez não me senti nada falecida. Senti-me cheia de energia. Senti-me poderosa. Senti-me invencível.

Não tenho dúvidas que pela frente terei muitas Quartas-feiras terríveis, em que vou receber o Pedro com ar de chata queixosa e passar horas a chorar e a dizer que sou uma porcaria de mãe. Mas ontem não foi uma dessas Quartas. Ontem sobrevivi. E foi mesmo do caraças.

13 comentários:

  1. E o bom que é teres aqui este relato, para quando tiveres uma dessas quartas terríveis? É só vires aqui ler e pensares "Yes, I can!". :)

    ResponderEliminar
  2. E tinhas dúvidas que conseguias?!
    Quem faz comidas maravilhosas, festas temáticas, viagens e muito mais, não tinha dúvidas nenhumas!!!

    Beijinhos eque continue tudo a correr sobre rodas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu cá tinha dúvidas :P Quer dizer, eu sabia que conseguia, tinha de conseguir, não sabia é que com sanidade mental é que ia terminar :P

      Eliminar
  3. Realmente ser mãe de 2ª viagem deve ser totalmente diferente... Tenho uma miuda com 3 meses e ainda damos banho os 2 - ele prepara a água enquanto eu preparo a roupa, depois um de nós dá banho enquanto o outro ajuda com o sabão e a toalha, e no fim eu visto a miuda enquanto ele lhe vai preparar o biberão... Desde as 2 semanas de vida que ele me diz "temos de tentar dar banho sozinhos" e eu ando a procrastinar com isto... depois chego aqui e tu com uma miuda com 1 mês e pouco, dás-lhe banho sozinha! GOD!! Que coragem!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já lhe damos banho sozinhos desde o dia 1 :P Na maternidade dei banho sozinha porque o Pedro tinha ido levar o Matias à escola, e depois em casa temos achado mais prático um dar banho ao Matias e outro à Gabriela, praticamente ao mesmo tempo :) Mas se não tem sido preciso é bom sinal, quer dizer que estão os dois disponíveis todos os dias :) Não acho que devam forçar-se a fazer algo só porque sim, depois quando for necessário logo se orientam :)

      Eliminar
    2. Eu e o meu marido demos banho os dois à nossa filha até aos 3 anos. Porque era um momento a três, porque dávamos apoio um ao outro: um dava o banho, o outro secava e vestia, e íamos conversando os dois e brincando com ela. Depois deixámos de o fazer porque passou a dar mais jeito na rotina um dar o banho e o outro ir adiantar o jantar ou arrumar a cozinha ou assim (e porque esta casa de banho também é mais pequena ahaha). Mas tal como a Joana não acho que devam forçar nada. :) O importante é que ambos saibam como dar banho porque se algum dia houver necessidade, tanto um como o outro sabem dar o banho sozinhos. :)

      Tété

      Eliminar
  4. Porque é que as minhas rotinas com a minha bebé de 6 meses não são assim? Descrição de um dia normal:
    21h00 aurora adormece
    22h30 aurora chora. Mama. Volto a deita-la. Acorda. Mama outra vez
    Consigo deita-la e entretanto é meia noite. Vou dormir.
    2h. Acorda, mama, pousa,acorda, desisto e fica na minha cama.
    3h30: bis.
    6h bis
    7h: o Carlos acorda para ir trabalhar. Leva a miúda, que acordou com o despertador dele, com ele para a sala
    Eu durmo tranquila até às 8h, quando ele se vai embora.
    Dou de mamar, dou banho á miúda, tomo eu banho e o pequeno almoço.
    São 10h e ela está podre de sono (e eu também). Adormeço-a. Dorme 20 ou 30 minutos.
    Saio de casa, passeio curtinho. Voltamos pelas 12h e almoçamos as duas (nem sempre consigo fazer almoço para mim, mas felizmente é costume haver sempre comida do dia anterior).
    13h sesta da aurora da tarde. Deito-me também e rezo para que ela durma mais que 30 minutos, porque sinto-me como se tivesse sido atropelada. Se tenho sorte, dorme 40 minutos. Se tenho azar, dorme 10.
    Vamos passear, às compras,ao café, onde me apetecer. Ela vai dormindo onde calhar, geralmente mas viagens de carro. Ultimamente já não tem adormecido, o que nos leva ao ponto seguinte
    17h30/18h: voltamos a casa e a aurora está mega chata com sono. Se não dormiu nada de tarde, tento que faça uma soneca. Tento fazer o jantar e algumas tarefas domésticas, se conseguir.
    19h: chega o Carlos. Jantamos. Eles brincam no chão enquanto eu faleço no sofá.
    E depois começa tudo de novo 🤦

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Confirmo tudo. Estou contigo mana <3

      (Já tenho plano maquiavélicos para a Aurora adolescente)

      Eliminar
    2. Eu diria que dar de mamar também nos cansa e, normalmente, um bebé que mama acorda muito mais vezes que um bebé de biberão.

      Eliminar
  5. As mães são poderosas!! :D
    Eu fiquei sozinha com os dois desde que voltei da maternidade, o meu marido acorda às 5:30, vai à vida dele e volta às 20h e é bem complicado às vezes mas, felizmente, na maior parte dos dias tudo corre bem. Vou avançando hora a hora e quando vejo estão todos a nanar (e eu com cara de quem foi atropelada, mas faz parte). :P Anteontem peguei nos dois e saímos porta fora até à praia. Ela no sling, eu atrás do meu filho pela areia e ele estava tão feliz! Foi óptimo! Nunca pensei conseguir ir com os dois à praia, muito menos com ela tão pequenina, mas correu mm bem e fiquei a sentir-me a super mulher :p

    ResponderEliminar
  6. Feliz Ano 2020,...
    Beijinhos,
    Espero por ti em:
    strawberrycandymoreira.blogspot.pt
    http://www.facebook.com/omeurefugioculinario
    https://www.instagram.com/marysolianimoreira/

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...r: 0" />