28 de setembro de 2016

São Miguel 2016 #8: Ponta Delgada (parte 1)

Ponta Delgada foi uma agradável surpresa. Já estava à espera que fosse uma cidade gira, mas fiquei de tal forma maravilhada que desde que voltei que ando a insistir com o Pedro para nos mudarmos para lá. Senão vejamos:

* É uma cidade mesmo ao nosso estilo, pequena o suficiente para ser calma mas grande o suficiente para não ser demasiado calma;
* Tem hospital com psiquiatria da infância e da adolescência (nem todos têm);
* Podíamos ir ver baleias todos os anos;
* Podia tocar nas vaquinhas que quisesse (talvez isto soe meio creepy, mas eu gosto mesmo de vaquinhas);
* Em vinte minutos estamos num dos cenários lindos que já vos mostrei;
* Imagino-me perfeitamente a comer bolo lêvedo misto aquecido ao pequeno-almoço para o resto da vida;
* Nenhuma das nossas famílias ia ficar aborrecida por estarmos mais perto da outra, porque íamos estar igualmente longe das duas (embora isso seja uma grande desvantagem, porque já é bastante difícil viver a 300km deles!);
* Cheira-me que podia viver numa casinha bem jeitosa a metade do preço das de Lisboa (quiçá com vaquinhas);
* Havia pouco trânsito e poucos semáforos (pensei que esta ia convencer o Pedro, confesso!);
* Queijadas. Lapas. Bifes bons. Ananás. Chá Gorreana.

Enfim, apesar disto o Pedro ainda não está convencido. Qualquer coisa sobre precisar de estar perto de um hospital grande para poder pedir ajuda nos casos mais graves e blá blá blá #peixemorto. De qualquer das formas, hoje e amanhã vou mostrar-vos as fotos da cidade. Espero que gostem :D

Como começar o dia de forma decadente :D




Round one: galão (descafeinado para a doente do coração aqui) e natas de maracujá :D
Bolo lêvedo misto ainda quentinho :D
Portas da cidade


Igreja Matriz de São Sebastião (não me recordo se não podíamos tirar fotos ou se havia gente a rezar e por isso não tirei fotos, mas é muito bonita).









Santuário do Nosso Senhor Santo Cristo

Banco onde se suicidou (a tiro) Antero de Quental em 1891
Será a Igreja de São José? Estava fechada, por isso não entrámos e confesso que não me recordo do nome...



Nome genial :D
Forte de São Brás





De volta ao Louvre Michaelense para bebermos um chá Gorreana (nós) e um leitinho (o Mati)
Não conseguimos provar o 'Segredo', não havia... E passámos por lá em dois dias diferentes! :(
Digam lá que não parece um sítio mesmo óptimo para se viver? :D

7 comentários:

  1. Tenho acompanhado atentamente os teus posts mas não tenho tido tempo para comentar. São Miguel é uma ilha lindíssima! Tem cidade, tem campo, tem mar! Foi lá que passei a minha lua-de-mel e ver as tuas fotos deixou-me cheia de vontade de lá voltar. Espero conseguir daqui a dois anos quando fazemos 10 anos de casados. Tinha muita piada mudares-te para São Miguel! Mas acredita, acho que não ficavas nada mal servida! Nos Açores temos uma qualidade de vida invejável! A única coisa menos boa é, ou melhor, são, o facto de vivermos em ilhas não nos permite metermos-nos no carro e ir explorar como se faz em Portugal Continental, e o nevoeiro! De resto é 5 estrelas! beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Eu não sei quanto ao Pedro... Mas eu mudava-me para lá hoje :)

    Quero MESMO ir aos Açores no próximo ano, já que nasci lá mas não vou lá há muitos, muitos anos... As tuas fotografias são fazem este desejo crescer ainda mais :)

    ResponderEliminar
  3. Posso assegurar-te que se vive lindamente em Ponta Delgada. :) Sempre adorei viver em Lisboa (fui muito feliz lá) mas, desde que tenho as miúdas, aprecio cada vez mais a qualidade de vida que temos aqui.
    Não tenho carro e faço a minha vida toda a pé. Apesar de viver num apartamento pequeno (devo dizer que os preços das casas no centro da cidade são bem equiparáveis aos preços de Lisboa, não posso dizer que sejam muito baratas) estou a poucos minutos de jardins, do mar, da biblioteca e de quase todos os sítios giros na cidade. :P E é como dizes, em 20 minutos conseguimos estar nos sítios mais fantásticos que existem.
    Ainda assim sinto falta de algumas coisas, de mais oferta cultural (que saudades do cinema de São Jorge) e na saúde por exemplo. Mas, ponderando as vantagens e desvantagens, viver aqui parece-me sempre a melhor opção. :P

    ResponderEliminar
  4. Eu nunca fui para aí, e só pelo que vejo pelas fotos e contas EU quero ir mudar-me para os Açores x)
    Convence o moço, pá :P

    ResponderEliminar
  5. Eu vive lá 2 anos enquanto estudava e garanto-te que só não fui para lá fazer a especialidade nem penso em lá morar porque o meu marido não tem trabalho na área dele lá. Senão nem pensava duas vezes. É uma cidade maravilhosa com uma qualidade de vida óptima. Muito mais amiga das crianças do que Lisboa. ;)

    ResponderEliminar
  6. Eu já morei um ano em São Miguel (na Ribeira Grande) e A-DO-REI! Adorava voltar a morar lá. Sem dúvida é uma qualidade de vida sem explicação. Com tudo muito natural e bonito, sem o stress das cidades do continente. Tenho imensas saudades...

    ResponderEliminar
  7. Viver (mesmo viver) numa ilha assusta-me, acho que me ia sentir asfixiada... mas acho que fazer lá o Ano Comum (se ele existir quando eu lá chegar, claro :P) parece-me um grande plano!

    Beijiinhos da ex-Nossa Senhora da Procrastinação :P

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...r: 0" />