29 de junho de 2016

As pancas.

Embora sejamos muito (demasiado?) descontraídos em relação a algumas regras (como vos contei aqui), a verdade é que há algumas idiossincrasias curiosas no nosso estilo parental. Vá, são pancas mesmo. Senão vejamos:

* O Matias nunca esteve num sítio público fechado à excepção do centro de saúde e do hospital. Lojas? Não. Supermercados? Não. Restaurantes? Não. Centros comerciais? Não. Não temos qualquer problema em passear com ele de um lado para o outro ao ar livre, mas confesso que até me começa a tremer a pálpebra só de pensar em levá-lo para sítios com ar condicionado e pessoas a tossir.

* Não me faz qualquer confusão que as pessoas peguem no Matias ao colo ou que lhe dêem beijinhos (muito pelo contrário, adoro que o mimem), mas não tolero que andem pela minha casa calçadas. Bactérias da saliva? Pode ser. Bactérias dos sapatos? Isso é que não.

* Nunca nunca nunca andamos com o Matias no ovo. O ovo fica no nosso carro e fim da história. Quando vamos passear ele vai no marsúpio ou no carrinho com a alcofa, mas nunca anda no ovo.

* Durante o dia temos uma espécie de horário escolar: sempre que o Matias está acordado 'estudamos' português (eu leio histórias), música (canto), línguas (falo ou canto para ele em inglês, francês ou espanhol), ginástica (no tapete de actividades, na bóia ou no sofá), matemática (conto ou canto a tabuada), ciências (falo dos animais, aponto as partes do corpo, etc) e por aí fora. Na melhor das hipóteses ele percebe o que eu digo. Na pior não percebe, mas pelo menos estou a estimulá-lo e a brincar com ele :D

* Recusamo-nos a cantar músicas infantis tristes. O balão do João sobe pelo ar e ele fica a choramingar? Não. Atirar um pau a um gato? HELL NO. O galo é bom cantor mas nunca mais se ouviu? Nem pensar. Cá em casa só há músicas felizes :)

Enfim, cada tolo com a sua mania :)

11 comentários:

  1. Estou contigo na última mania. E os contos de fadas dos irmãos Grimm? Aquilo é terrível.
    Peguei uma vez num livro para a Lara e umas das histórias começava mais ou menos assim: "Era uma vez uma velhinha muito muito pobre que estava a cozinhar uma sopa com 2 feijões. Mas os feijões não queriam ser comidos e estavam sempre a saltar da panela..." Nem consegui ler mais.
    Credo. Cá em casa só lemos histórias divertidas com animais, sobretudo animais comilões (não sei bem porquê mas são sempre comilões, de papa, de preferência). :P

    ResponderEliminar
  2. Só já com cerca de 1 ano e meio é que levei a minha pequena a sítios fechados desse género (e ainda agora evito ao máximo).
    Para espaços com ar condicionado e gente a tossir já basta as idas ao hospital para as consultas de acompanhamento!

    ResponderEliminar
  3. Deu-me vontade de rir! Cada um tens as suas manias, é mesmo assim! :) O que importa é ser feliz!

    Beijinhos Ana
    http://acasinhadasbolachas.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  4. Ainda hoje me lembro de ouvir a canção do galo (tendo em conta o sítio para onde a memória me leva devia ter uns 4 anitos) e de ficar triste porque percebi que ele provavelmente teria morrido. Acho que foi trauma, pois é das memórias mais antigas que tenho :P E sabiam que na história original da Cinderela, as manas cortam os dedos dos pés para caber no sapatinho de cristal? :)) Mas disso só soube depois de adulta, felizmente. Enfim, acho que é um direito das crianças poder ver o mundo mais cor de rosa do que ele é e ir descobrindo aos poucos as suas verdadeiras cores, que também podem/devem ser alegres na maioria das vezes. A capacidade de nos rirmos das nossas manias é prova disso :)

    ResponderEliminar
  5. Eu acho mesmo que, quando a minha filha nascer, também vamos ter esse "horário escolar". Até porque já dentro da barriga eu leio histórias de vez em quando. Mas quero ensinar-lhe tanta coisa que só mesmo assim haha. E adorei essa ideia de não cantar músicas tristes :)
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  6. Oh Joana tens que ter cuidado com o que escreves,...nem imaginas a gargalhada que dei com as tuas últimas frases. Já viste o pessoal do trabalho ficou a olhar para mim lol lol ,....eu acho que todos nós temos desse género de pancas,...desde que sejam saudáveis :)
    Beijinhos,
    Espero por ti em:
    strawberrycandymoreira.blogspot.pt
    http://www.facebook.com/omeurefugioculinario

    ResponderEliminar
  7. Xi, sei que não tem nada a ver o que vou dizer mas cada vez que vejo o anuncio do leite de pastagem Terra Nostra das vacas felizes lembro-me de ti porque tem vaquinhas e a música é alegre xD
    Temos de combinar qualquer coisa!

    Adriana

    beijinho!

    ResponderEliminar
  8. Essa ideia de não cantar canções tristes é engraçada. E fizeste-me pensar nas que canto com o meu filho e canto a do gato e do balão do joão ahahahah :-) Vou ver se alargo o meu reportório musical... Quanto às restantes pancas todos as temos, uns mais outros menos, mas é sempre engraçado algumas pancas difíceis de compreender pelos outros e tão básicas para nós próprios. Beijinhos

    ResponderEliminar
  9. Cá em casa a canção do gato está adaptada. O piolho só a conhece assim: atirei um pão ao gato, mas o gato não o comeu. Dona Chica admirou-se com o berro que o gato deu - 'dá-me um bife!'"
    Partilho de muitas dessas Pancas :)

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...r: 0" />