8 de fevereiro de 2016

Pregnancy Diary #66

Dois dias antes de casarmos eu tive um nervous meltdown. Tinha acabado de passar as últimas doze horas no carro (porque fizemos a viagem do Crato para Bordéus), estava um calor de ananáses, ainda estava surdinha depois do concerto dos The Hives, tinha dormido apenas três horas na noite anterior, tinha o braço todo esmurrado de ter estado contra as grades na primeira fila do concerto, havia imenso barulho nos quartos ao lado do nosso (a Joana e o Bernardo ficaram na outra ponta do corredor e dormiram que nem uns anjinhos) e precisava desesperadamente de desaparecer para dentro de um banho de imersão.

Eram quatro da manhã e eu não conseguia dormir porque não me sentia uma noiva. Sentia-me feia, gorda, cansada, rabugenta e ansiosa. Decididamente não era assim que me tinha imaginado a um dia e meio do meu casamento: a chorar no ombro do Pedro enquanto víamos o 'The Good, The Bad and The Ugly' no portátil.

(É claro que em retrospectiva esta se tornou numa das memórias mais queridas do nosso casamento, que rimos à gargalhada sempre que nos lembramos do meu ar melodramático a dizer 'não me sinto uma noivaaaaaa' e que o filme se tornou num dos nossos preferidos. Mas adiante.)



Quando chegámos ao Château no dia seguinte a minha mãe conta que temeu que tivéssemos mudado de ideias em relação ao casamento, tal era o nosso ar de zombies. Fomos intimados a passar umas boas horas a relaxar, a tomar uma banhoca gostosa, a ser mimados e a encher a barriga de coisinhas deliciosas, e foi assim que a Joana noiva começou a aparecer dentro de mim: foi reanimada pelas minhas pessoas e por todo um séquito de funcionários, desde à cabeleireira à maquilhadora e desde a esteticista à wedding planner.

No dia seguinte casei a sentir-me uma noiva. E foi um dos dias mais felizes de toda a minha vida.

Agora a sensação voltou. A uns dias do meu baby shower, que foi planeado com tanto entusiasmo e carinho, eu não me sinto uma grávida em estado de graça.

A casa continua um caos, as obras só terminam daqui a duas semanas e a remodelação nunca mais acaba. Divido-me entre a vontade que as obras terminem e o medo do quanto vamos ter para limpar e arrumar depois. A saga da pintura de mobília (sim, depois das cadeiras continuei alegremente a pintar outras coisas) fez com que continue a encontrar manchas de tinta por todo o lado (inclusivamente no meu cabelo!). Depois de um mini-sustinho estou a fazer mais dois comprimidos por dia (eu, que detesto tomar medicamentos, agora faço cinco!). Nos dias bons, ando atarefada a comprar coisas para a casa e para o bebé. Nos dias maus, não tenho sequer energia para levantar-me do sofá.

E, tal como naquele dia, também agora me sinto feia, gorda, cansada, rabugenta e ansiosa. E, tal como naquele dia, também agora só me apetece ter pena de mim própria.

Um yes exactly . Except for my mom and aunties are the only ones I don't mind touching my belly lol:

E, tal como naquele dia, também o momento de chafurdar na auto-comiseração deu eventualmente lugar a um plano concreto para sair da fossa.

Estado de graça, here I come.

6 comentários:

  1. Obras acabam realmente com nosso humor! O importante é tentar se concentrar em alguma coisa boa que ainda nos resta e tocar a vida para a frente!!

    ❥Blog: www.amigadelicada.com

    ResponderEliminar
  2. Ele vai chegar Joana :) Tenho a certeza! Afinal o baby shower vai ser rodeado das pessoas que gostas e que te fazem feliz.
    No Sábado também tive num baby shower e se ao inicio a mãe estava uma lastima porque estava mega constipada depois ficou super feliz!!!
    Um beijinho *

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Espero que aconteça comigo :) Por via das dúvidas, estou a tentar relaxar mais e stressar menos ;)

      Eliminar
  3. Quando todos os fatores culminam num sentimento de 'existir porquêêê' num dia desses deve ser muito mau :P só de ler esse parágrafo fiquei desconfortável!
    Gostei do 'não te sentires noiva', é uma óptima expressão :P
    Nunca vi esse filme (embora não me surpreenda, não vi quase nenhum)! Parece uma boa recordação :D
    Pelo menos contrastou ainda mais o tratamento com os prévios acontecimentos lastimosos, deve ter sido uma ascensão agradável... :)
    Se serve de consolo, 'não te sentires uma grávida em estado de graça' é uma expressão com um som ainda mais engraçado :P ok, provavelmente não serve, desculpa. Mas tudo fica melhor, espero que a massagem do post recente tenha iniciado o caminho para o verdadeiro sentir do estado de graça :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens de ver o filme, é tão fixe :D No Sábado estava a dar na televisão e fiquei a ver com o Pedro e o meu irmão :D

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...r: 0" />