18 de novembro de 2015

Bolinhos de bacalhau no forno para uma coisa que me irrita!

So I start a revolution from my bed,
'Cos you said the brains I had went to my head.
Step outside, summertime's in bloom.
Stand up beside the fireplace,
Take that look from off your face,
You ain't ever gonna burn my heart out.

And so Sally can wait, she knows it's too late as we're walking on by.
Her soul slides away, but don't look back in anger I heard you say.

Oasis




Toda a vida vivi rodeada por pessoas que fumavam. Os meus pais fumaram durante muito tempo - o meu pai deixou de fumar há uns sete anos e a minha mãe há sensivelmente quatro meses. A dada altura praticamente todos os meus amigos fumavam. Hoje em dia, alguns dos meus amigos ainda fumam.

Tendo a ser razoavelmente compreensiva com isso. No entanto, há uma situação em particular que me irrita de uma forma impressionante: a malta que fuma na entrada (e saída) dos sítios, principalmente quando estamos a falar de hospitais.


O hospital onde trabalho tem três saídas, e em TODAS há pessoas a fumar à saída. Não é a trinta metros, não é do outro lado da rua - é mesmo mesmo à portinha, ali bem a jeito para as outras pessoas respirarem o fumo enquanto entram e saem.


Já visitei sítios onde é proibido fumar na rua, e os fumadores submetem-se à obrigatoriedade de fumarem num cubículo nauseabundo qualquer. Na altura confesso que achei isto bastante insensível, mas desde que estou grávida juro que acho que devia haver um sítio especial no inferno para a malta que fuma em locais que são também frequentados por grávidas, bebés, crianças e idosos.

E, especialmente, à porta dos hospitais.


Não, muitas vezes só há um passeio e não dá para atravessar a rua. Não, eu não consigo andar mais depressa e ultrapassar a dita pessoa. Não, eu não consigo teletransportar-me para fora do local onde trabalho.

Por isso só me resta mesmo respirar a merda que vocês teimam em mandar para dentro dos vossos pulmões e esforçar-me por compensar isso mandando outras coisas boas e saudáveis para dentro da minha barriga. Obrigadinha.


Bolinhos de bacalhau no forno

Ingredientes (para cerca de trinta bolinhos):

* 800g de bacalhau;
* 400g de batata sem pele;
* Três gemas;
* Salsa picada;
* Uma cebola picada;
* Uma pitada de pimenta preta;
* Uma pitada de sal;
* Um fio de azeite.

Confecção:

* Cozer o bacalhau, desfiar e reservar;

* Cozer as batatas na água de cozer o bacalhau;

* Colocar as batatas e o bacalhau dentro de um pano lavado, fechar e espremer bem;

* Juntar as gemas, a salsa e a cebola e temperar com a pimenta preta e o sal;

* Amassar bem e formar bolinhos;

* Colocar num tabuleiro, cobrir com um fio de azeite e levar ao forno pré-aquecido a 180º durante cerca de trinta minutos, virando os bolinhos a meio. 



Até amanhã! :D

20 comentários:

  1. Olá Joana!
    Vou ter que fazer estes bolinhos de bacalhau com tão bom aspecto e saudáveis.
    Acho que tens toda a razão em relação aos locais onde se pode fumar e a estas situações. As pessoas são livres de fumar em espaços públicos mas podem ter o cuidado de se deslocarem para determinados espaços que afetem menos as pessoas não fumadoras, principalmente nestas situações junto ao hospital. A Rita ainda não leu este teu texto mas julgo que vai comentar da seguinte forma: "Vês mãe, é a mesma coisa quando eu começo a ter que respirar o fumo dos outros e resmungo". Lá em casa ninguém fuma mas ela detesta e defende veemente as razões pelas quais não se deve fazer, não compreendendo o que leva as pessoas a fazerem mal a elas próprias.
    Bem, já me alonguei...Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu confesso que nem era um assunto que me irritasse assim tanto (até porque com dois pais fumadores vamos ficando mais vacinados em relação a isso), mas agora estou mesmo nazi! ;)

      Eliminar
  2. Feitos nos forno são maravilhosos e muito mais saudaveis! Não fumo, mas fumei nos tempos de escola, embora por pouco tempo e fumava apenas quando me apetecia. Na altura até gostava do cheiro do tabaco. Hoje em dia deixei de gostar do cheiro e evito a todo o custo. Tambem nao concordo que se fume à entrada dos edificios. Aquele espaço é livre mas nao é so nosso. E tambem nao gosto que se fume em esplanadas. Este ano, quando fomos de ferias, fomos almoçar a um lugar que gostamos muito, o interior do restaurante estava lotado, estava bom tempo por isso achamos que na esplanada seria uma boa opçao. O almoço era delicioso mas soube-me sempre mal, por umas criaturas passaram o almoço a fumar. Ainda por cima tinha o meu filho comigo. Eu sei que nós é que estavamos ali a mais, mas caramba, essas pessoas deviam ter respeito pelos outros e pensar que as outras pessoas têm o direito de saborear a refeiçao sem levar com o vicio dos outros. Mas pronto, quando não ha respeito ppr nós mesmos não pode haver pelo proximo. Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. À conta de coisas assim desde que engravidei deixei de conseguir estar em esplanadas. Ou em cafés. Ou em concertos ao ar livre. Ou em jogos de futebol. Enfim :(

      Eliminar
  3. Que bom aspecto estes bolinhos! e tem razão, abomino levar com o cheiro do tabaco nas entradas e saídas dos serviços!!

    ResponderEliminar
  4. Esse também é um assunto que me irrita especialmente! Quanto a estes bolinhos de bacalhau vou ter mesmo que experimentar, tão com um óptimo aspecto e nunca consegui fazê-los :( Vou experimentar esta receita ;)

    ResponderEliminar
  5. Gostei muito da receita e é coisa que nunca fiz Talvez me dê para experimentar :)

    Quanto ao tabaco, eu fumo. Já tive fases de estar meses sem fumar mas, recentemente, voltei a fumar. Confesso que nunca tinha pensado nas coisas nessa perspectiva. Por vezes, ponho-me a fumar à porta dos sítios e nunca tinha pensado no incómodo que isso pode ser por quem por lá tem de pensar. É bom conhecer novas perspectivas e agora vou lembrar-me sempre disso :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu acredito que não seja de propósito, a sério. Mas realmente é muito desagradável. Mesmo quando não há pessoas a fumar no momento, a saída do meu hospital cheira sempre a tabaco! E é um hospital :/

      Eliminar
  6. Estes bolinhos de bacalhau devem ter ficado óptimos. Em relação ao tabaco, confesso que também me irrita bastante e adorei quando foi proibido nos espaços ligados à restauração (tinha sempre a sensação que estava a comer tabaco e não a comida pela qual estava a pagar). Acho mesmo que deveria ser obrigatório fumarem em cubículos, embora pareça desumano, talvez fosse uma forma de mais gente deixar o vício, quem sabe :)
    Gulosoqb

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não acho que faça as pessoas deixarem de fumar, pelo menos à minha mãe não deixava na altura. Mas protege os outros ;)

      Eliminar
  7. concordo... a 200%!!!
    que bom aspecto!
    Beijinhos
    http://sudelicia.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  8. Olá Joana, também sito isso.
    Infelizmente o problema é muito mais extenso, o mesmo se aplica, por exemplo, às emissões de gases pelos automóveis. Cada condutor decidiu utilzar o seu atomóvel, obrigando, com isso, os outros a respirar o que gerou..

    assim é sempre todos ligados, para o bem e para o mal

    Felicidades*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas isso tem mesmo que ser Sofia, todos nós temos que nos movimentar. Se eu fosse de transportes para o meu trabalho perdia quatro horas por dia, de carro demoro uns meros trinta ou quarenta minutos... Enfim, chatices do mundo moderno :)

      Eliminar
  9. Há coisas que se faz sem pensar muito, acho que só estando do outro lado se pensa 2 vezes :/ e contra mim falo, não no caso de fumar mas noutros! Cada um pensa conforme o que lhe dá mais jeito, por mal ou não, sem se colocar noutras posições...
    Por acaso na minha família próxima pouca gente fuma, e os que fumavam deixaram (com a crise e tal, era esporádico e não vício entranhado), tirando o meu pai. E a minha avó, que fuma 1x por ano, no último dia de férias, enquanto nós tiramos fotos aos seus bafos de fumo sexy e enviamos aos primos todos :P
    Na entrada do hospital é bastante... mau. :/ Mesmo que se queira fica difícil 'esquivar'! Acho que até havia alguns jogos de fugir aos fumadores, tipo os de zombies, mas com fumadores em vez de zombies e menos sangue. Se quiseres praticar ou assim ;) eu odeio esses jogos porque fugir a alguma coisa é muito stressante. Sempre odiei as 'apanhadinhas' porque quase entro em pânico sem razão nenhuma :P
    É muito complicado regular essas coisas sem prejudicar nenhuma das partes, acaba-se por conceder obrigatoriamente liberdades que podem não ser usadas muito bem... Mas ainda é muita gente a não ter consciência!
    Estavas um bocado irritada quando escreveste este post, não estavas? :P
    Quanto aos bolinhos de bacalhau, não me lembro de ver uns com tão bom aspecto! Mesmo tostadinhos... Tenho de fazer, só fiz de atum! E grão-de-bico... Mas era remotamente semelhante na forma e por ser feito no forno :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Achei engraçada a história da tua avó :D Agora 'cá em casa' ninguém fuma, é mesmo bom :D

      Sim, estava mesmo irritada :P Sorry :D

      Eliminar
  10. No hospital de Cascais não se pode fumar à porta e acho muito bem! Há uma área com tracejado a vermelho e diz, antes dessa área começar, 'proibido fumar a partir daqui'. E isso minimiza muito o fumo que se apanha quando lá se entra. Todos os locais públicos deviam fazer o mesmo. E há esplanadas onde a concentração de fumo é tal que parece que estamos num espaço fechado!

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...r: 0" />