29 de junho de 2015

Iogurtes de tiramisu para uma profissão igual às outras.

No, you can't always get what you want,
No, you can't always get what you want,
No, you can't always get what you want,
But if you try sometimes, you just might find,
You get what you need.

The Rolling Stones




Disseram-me que, como médica, tinha a vida feita.

Disseram-me que os médicos recebem dez mil euros por mês. Na verdade, recebo pouco mais de um décimo disso.

Disseram-me que os médicos trabalham em três clínicas privadas diferentes. Na verdade, as cinquenta horas semanais que dou ao meu serviço (no hospital público em que trabalho) não me deixam tempo para mais nada.

Disseram-me que os médicos chegam ao hospital às dez da manhã e saem às três para o consultório privado. Na verdade, é frequente chegar ao trabalho às oito e raramente saio antes das cinco da tarde.


Disseram-me que os médicos passam a vida no café e têm duas horas de almoço. Na verdade, aqueço o meu almoço no microondas da sala de reuniões e engulo-o em meia hora.

Disseram-me que os médicos não metem os pés na urgência e têm quem assine por eles. Na verdade, todas as semanas faço doze horas de urgência - das oito às oito, sendo que nunca consigo sair a horas.

Disseram-me que os médicos têm congressos pagos nas Bahamas, mas o congresso nacional da minha especialidade foi em Vila Real e quase não consegui que mo patrocinassem.


Disseram-me que os médicos fazem squash e golf e conhecem todos os restaurantes pomposos da zona. Na verdade, faço umas corridas quando tenho tempo e o meu restaurante preferido é o nepalês de Entrecampos.

Disseram-me que os médicos têm Porsches, casas no Algarve e carteiras da Louis Vuitton. Na verdade, conduzo um Renault Clio, não vou ao Algarve há mais de dez anos e a minha carteira é normalíssima. 


Disseram-me que os médicos andam sempre bonitos e arranjados. Na verdade já não vou ao cabeleireiro há três meses, pinto as minhas unhas em casa e na maior parte dos dias os meus doentes estão mais arranjados do que eu.

Disseram-me que os médicos têm casas enormes com empregada e cozinheira. Na verdade vivo num T3 pequeno e a cozinheira sou eu.

Ouço as pessoas comentarem que sou rica. Que tenho sorte. Que sou favorecida. Que nunca começo uma consulta a horas. Que entrei no curso porque era marrona. Que não quero saber dos doentes. Que me acho melhor que os outros. Que devia conhecer o flagelo do desemprego para dar valor ao que tenho.


E olho à minha volta e questiono-me onde estarão esses médicos ricos de que tanto se fala. Talvez estejam mesmo em congressos pagos nas Bahamas, porque garanto-vos que não estão no meu serviço ou no meu hospital.

Na verdade, sou feliz no meu trabalho. Não fiz esta escolha baseada na ilusão e não desisti dela por causa da realidade. Simplesmente não sou assim tão diferente das outras pessoas, e a minha vida não é assim tão glamorosa como possa parecer.

Quer dizer, faço iogurtes de tiramisu. Isso conta para alguma coisa, certo?


Iogurtes de tiramisu

Ingredientes (para sete iogurtes):

* Um litro de leite fresco gordo;
* Três colheres de sopa de leite em pó magro;
* Três colheres de sopa de açúcar amarelo;
* Um iogurte natural;
* Dez bolachas palitos la reine;
* Quatro cafés.

Confecção:

* Numa panela colocar o leite, o leite em pó e o açúcar amarelo e mexer com uma vara de arames;

* Levar ao lume até ferver e deixar arrefecer;

* Quando estiver morno juntar o iogurte, misturando com a vara de arames;

* Mergulhar as bolachas no café até ficarem moles e incorporar na mistura;

* Colocar em copinhos e levar à iogurteira durante cerca de dez horas;

* Transferir para o frigorífico durante pelo menos quatro horas.


Até amanhã! :D

14 comentários:

  1. Perfeitos esses iogurtes! Há médicos e médicos! E sim, estou plenamente convencida que muitos têm todos esses luxos de que falas. Mas também há muitos que não os têm. E se queres que te diga, certamente não serão piores médicos. Aquilo que nos faz é a nossa personalidade e não aquilo que temos. Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olha eu cá não conheço nenhum! Se calhar só me dou com a malta honesta ;)

      Eliminar
  2. Ontem à noite experimentei a fazer os teus iogurtes gregos caseiros (não sei se já reparaste mas és a minha musa dos iogurtes :D) e são tãoo bons :)
    Estes são os próximos a sair da minha iogurteira domingo :P
    E já agora, nota-se muito o sabor do café? Como não gosto de café se se notar muito vou experimentar a fazer sem café (ou então com menos).
    Obrigada, boa semana e beijinhos *

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pelo feedback :D E boa sorte para Domingo :D O sabor a café fica bastante forte, se não aprecias tanto o melhor é reduzir ;)

      Beijinhos :D

      Eliminar
  3. Olá Joana,

    Gostei muito da descrição de vida de médico, que sim eu acho que são vidas como outras quais-queres e normais... Verdade que alguns teem os tais luxos e vidas acima da média e empregada, e guccis e porsches mas também existem pessoas que não são médicos e também os tem... Isso vai de cada pessoa, de cada família e das escolhas de cada um...
    O importante acho que é darmos o melhor de nós a nível profissional e o resto vem por acréscimo!
    E claro que os teus iogurtes de tiramisú contam para alguma coisa... Para muita coisa, aliás!
    O aspecto é avassalador... Dá vontade de comer mesmo e isso significa muito :-)

    Beijinhos e desejos de uma boa semana***

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo plenamente :D Gosto do que faço, e isso é que importa :D

      Eliminar
  4. Oh, sou Enfermeira e já sei dessa vossa realidade à bastante tempo, infelizmente. Mas deixa lá, continuam a achar também que os Enfermeiros ganham bem e trabalham pouco e isso é das maiores falácias de sempre!

    Mas a vida fora do local de trabalho pode ser muito mais doce e esse iogurtes parecem tão saborosos! Beijinho*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, os enfermeiros nesse aspecto creio que ainda estão piores do que nós a nível de horário e salários :(

      Eliminar
  5. Deve ser realmente muito chato levar com todas essas ideias feitas, que já não correspondem à realidade. Talvez há umas décadas atrás isso fosse verdade, hoje em dia, é o que é. O mais importante é teres um trabalho que adoras, nada paga isso.

    ResponderEliminar
  6. Bem que têm fama disso :P eu nunca acreditei (nem ouvi sequer sugestões de salários próximos de 10000, também por não ser assunto muito recorrente ou interessante de especular para quem não, sei lá, é ou vai ser num futuro próximo médico, embora seja aliciante como mais uma oportunidade de maldizer ;)) muito... Nem conseguiria estimar quanto um médico ganh ou não. Sempre odiei estimativas, menos nos livros da primária onde as árvores com 9 maçãs confiavam na nossa integridade para não contarmos antes.
    50 horas semanais + privado seria um horror :P
    Ouviste uns belos contos de fadas, também :) é vista um bocado como a «profissão escapatória à crise» porque as médias são altas e se gosta de pensar que o mérito recompensa, e depois claro que é tudo enfeitado com florzinhas. Cor-de-rosa. :P
    Ainda hoje vim de uma consulta em que a médica gentilmente alargou a sua hora de almoço de modo a abarcar também as 3 primeiras consultas da tarde :P acho que decorei o JN! Mas acredito que não sejam todos assim :) também há dias :P às vezes entro logo, estou sempre a rezar para ter sorte ;)
    Congressos pagos nas Bahamas é fantástico :D especialmente na parte do contraste entre «Bahamas» e «Vila Real». :P
    Squash e golf? Que romântico! Mas não tão giro, golf deve ser horrivelmente frustrante ;)
    «Nepalês de Entrecampos» também tem uma sonoridade hilariante! Mas aposto que sabe tão bem como os meios bifes com compota de framboesa dos restaurantes pomposos ;)
    (Também não vamos ser cruéis, compota de framboesa é bom :D)
    O Algarve também consegue ser chato... Quem dera a muitos médicos a tua viagem ao Brasil ;)
    As não idas ao cabeleireiro não impedem de andar sempre bonita e arranjada - para além do mais, quem olha para cabelo quando há bandoletes? :)
    A minha avó diz que os anormaizinhos (disclaimer: sentido não muito pejorativo :P) todos se arranjam todos para ir à missa e ao médico. Por isso é uma competição injusta :P
    Mas podia haver melhor cozinheira? :D
    Alguém te diz que não chegas a uma consulta a horas?! Ou que entraste no curso por seres marrona?! Ou que não queres saber dos doentes?! Ou qualquer uma das outras perguntas?! Uau... Baseado no facto de... Seres médica? :P que grande generalização! Não faz sentido nenhum :P mas vejo imensa gente com dor de cotovelo por causa das médias de entrada para medicina que partem para o insulto (marrões, crânios, totós) porque os filhos ou eles ou não sei quem não conseguiu entrar e tinha «a verdadeira vocação». A sério, a quantidade de pessoas com essa opinião. E depois defende-se o sistema americano, que é muito melhor porque pff, julgamentos subjectivos, desigualdade, aleatoriedade, cunhas, o que é isso?...
    A mentalidade «há pior, não te queixes» consegue ser bastante enervante :)
    Eu voto mesmo nas Bahamas :P
    Ainda bem que não foste «ao engano», podia ser muito chata a desilusão! Gostei de ler este «insight» na tua vida como médica ;) o que vale é que no fundo gostas do que fazes :D
    De qualquer das maneiras também nunca te contaram que os médicos faziam queques e iogurtes deliciosos - e essa boa surpresa tem de contar para alguma coisa, certo? :D
    Ah, tem mesmo bolachas em pedacinhos? Que giro! Acho muita piada aos sabores de sobremesas noutros doces, especialmente quando é uma abordagem multifacetada em que se pega por várias frontes para fazer próximo do sabor original. Sei lá, é giro :) os palitos de champanhe (nome menos fino, mas pronto) fazem-me lembrar tanto a minha avó! Os iogurtes parecem deliciosos :D a ideia é muio gira :) para alguém que não aprecia muito iogurtes com pedaços mas até gosta de iogurte com cereais «já incorporados» aconselhas a fazer assim ou a pôr as bolachas partidas depois de estar pronto só para não ficar tão mole? :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, o sistema americano é óptimo (só que não!) ;)

      Podes experimentar depois de estar pronto :) Mas as bolachas desfazem-se mesmo, não ficam propriamente em pedaços ;)

      Eliminar
  7. Olá Joana :)
    Já não me lembro muito bem como é que vim "aqui" parar (foi no inicio de 2014). Apesar de não ter ido atrás ler tudo de fio a pavio (às vezes apanho uns posts antigos de sugestões), devo dizer que para além das receitas FENOMENAIS, também fiquei "presa" com as tuas histórias do dia-a-dia (a aventura de começar a trabalhar no Ano Comum, o Casamento e a lua de mel, os fins de semana no Porto, o drama da escolha de Especialidade, as viagens, o primeiro ano de Internato de Formação Específica...)
    Enfim, apesar de dar cá um saltinho todas as semanas, deve ser a primeira vez que comento. E porquê?! Porque como médica (interna também), me revejo em TUDO aquilo que descreveste no teu texto!! Que as pessoas no geral têm uma visão bastante romântica da nossa vida... Que até pode corresponder à verdade em alguns casos na actualidade (sinceramente, também não os conheço), mas que nesta geração em formação e recém-especialista está muitíssimo longe de vir a acontecer...
    Valha-nos as extravagâncias como os iogurtes de tiramisu ;)
    Beijinhos
    P.S.1 Escrevi este comentário antes de ir a correr almoçar...
    P.S.2 Bolo de coco e bolo de diamante negro, as receitas inspiradas no blog que mais vezes fiz, ambos empatados em 1º lugar!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, eu também não conheço ninguém com essas vidas. Na verdade, a maioria dos meus amigos está mais próximo do burnout do que propriamente das Bahamas ;) Mas pronto, continuamos a ter muito amor à camisola (ou masoquismo) e o resto é conversa :D

      Boa semana e bom trabalho :D

      P.S.1.: Escrevi o comentário porque o meu último doente faltou! Ainda vou dar um salto ao internamento antes de ir para casa :)

      P.S.2.: O bolo de coco é uma maravilha :D

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...r: 0" />