12 de março de 2015

Panquecas de limão com sementes de chia e uma música espectacular.

(Hoje não vos trago um texto, mas sim a letra de uma música absolutamente fascinante do Gabriel, o Pensador. Para ouvirmos e pensarmos enquanto degustamos umas panquecas deliciosas. Porque só depende de nós mudar o mundo!)


Não adianta olhar para o céu com muita fé e pouca luta.
Levanta aí que você tem muito protesto para fazer,
E muita greve, você pode, você deve, pode crer.
Não adianta olhar para o chão, virar a cara para não ver.
Se liga aí que te botaram numa cruz,
E só porque Jesus sofreu, não quer dizer que você tenha que sofrer!


Até quando você vai ficar usando rédea,
Rindo da própria tragédia?
Até quando você vai ficar usando rédea,
Pobre, rico ou classe média?
Até quando você vai levar cascudo mudo?
Muda, muda essa postura!
Até quando você vai ficando mudo?
Muda que o medo é um modo de fazer censura!

Até quando você vai levando porrada, porrada?
Até quando vai ficar sem fazer nada?
Até quando você vai levando porrada, porrada?
Até quando vai ser saco de pancada?


Você tenta ser feliz, não vê que é deprimente,
O seu filho sem escola, seu velho está sem dente.
Você tenta ser contente e não vê que é revoltante,
Você está sem emprego e a sua filha está gestante.
Você se faz de surdo, não vê que é absurdo,
Você que é inocente, foi preso em flagrante!
É tudo flagrante! É tudo flagrante!

Até quando você vai levando porrada, porrada?
Até quando vai ficar sem fazer nada?
Até quando você vai levando porrada, porrada?
Até quando vai ser saco de pancada?


A polícia matou o estudante,
Falou que era bandido, chamou de traficante!
A justiça prendeu o pé-rapado,
Soltou o deputado e absolveu os PMs de Vigário!

Até quando você vai levando porrada, porrada?
Até quando vai ficar sem fazer nada?
Até quando você vai levando porrada, porrada?
Até quando vai ser saco de pancada?


A polícia só existe para manter você na lei,
Lei do silêncio, lei do mais fraco,
Ou aceita ser um saco de pancada ou vai para o saco!
A programação existe para manter você na frente,
Na frente da TV, que é para te entreter,
Que é para você não ver que o programado é você!


Acordo, não tenho trabalho, procuro trabalho, quero trabalhar!
O cara me pede o diploma, não tenho diploma, não pude estudar!
E querem que eu seja educado, que eu ande arrumado, que eu saiba falar!
Aquilo que o mundo me pede, não é o que o mundo me dá!

Consigo um emprego, começa o emprego, me mato de tanto ralar,
Acordo bem cedo, não tenho sossego nem tempo para raciocinar.
Não peço arrego, mas onde é que eu chego se eu fico no mesmo lugar?
Brinquedo que o filho me pede, não tenho dinheiro pra dar!


Escola, esmola!
Favela, cadeia!
Sem terra, enterra!
Sem renda, se renda! Não! Não!

Até quando você vai levando porrada, porrada?
Até quando vai ficar sem fazer nada?
Até quando você vai levando porrada, porrada?
Até quando vai ser saco de pancada?


Muda, que quando a gente muda o mundo muda com a gente,
A gente muda o mundo na mudança da mente.
E quando a mente muda a gente anda para a frente,
E quando a gente manda ninguém manda na gente!


Na mudança de atitude não há mal que não se mude nem doença sem cura.
Na mudança de postura a gente fica mais seguro,
Na mudança do presente a gente molda o futuro!

Até quando você vai levando porrada, porrada?
Até quando vai ficar sem fazer nada?
Até quando você vai levando porrada, porrada?
Até quando vai ser saco de pancada?


Panquecas de limão com sementes de chia

Ingredientes (para oito panquecas pequenas):

* Meia chávena de chá de leite;
* Uma colher de sopa de sumo de limão.
* Uma chávena de chá de farinha de trigo;
* Uma colher de chá de fermento em pó;
* Duas colheres de sopa de açúcar;
* Um ovo;
* Raspa de um limão;
* Uma colher de sopa de sementes de chia.

Confecção:

* Misturar o leite com o sumo de limão e reservar durante cinco minutos;

* Numa tigela juntar a farinha de trigo, o fermento e o açúcar e misturar bem;

* Juntar o leite e o ovo e bater bem até fcar uma massa homogénea;

* Incorporar a raspa de limão e as sementes de chia;

* Untar uma frigideira anti-aderente com um pouco de manteiga e levar a lume médio até aquecer;

* Colocar uma concha de massa (aproximadamente um quarto de chávena de chá);

* Quando se formarem pequenas bolhinhas de ar virar a panqueca do lado oposto e deixar cozinhar;

* Repetir o processo até terminar a massa;

* Servir as panquecas com mel.


Tenham um óptimo fim-de-semana :D

6 comentários:

  1. adoro panquecas, adoro essas estão com um aspeto tão bom.


    www.ocantinhodosgulosos.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  2. Que aspeto delicioso. Então aquele vídeo inicial até me veio água à boca.
    Beijo e bom fim de semana.

    http://ps-eucozinho.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Valeu bem a pena as horas que demorei a fazer o GIF então :D

      Beijinhos e um bom resto de dia! :)

      Eliminar
  3. Não gosto muito de ouvir música enquanto como, mas separadamente tudo bem ;)
    Esse GIF. Ainda por cima com o xarope cristalino e as panquecas fofinhas e altas... Tão giro (e delicioso) (sim, o GIF é delicioso)! Tenho um fascínio por isto, fico sempre a olhar mais tempo do que seria razoável. Como para aquelas coisas de vidro com bolinhas coloridas a «nadar» e fundir-se/separar-se aleatoriamente.
    Há canções que leio e imagino logo o tom da música. Claro que muitas vezes estou enganada, mas continuemos :P
    «Cascudo mudo» soa imensamente bem :)
    Há coisas em rap e canções que acho que ficam mesmo mal, mas a falar aperta-se ao máximo e lá vai :P
    Vejo uma tendência para a conspiração (ou então eu é que estou paranóica porque estive a ler sobre isso :P)...
    Embora sinta falta de um texto teu gostei de ler a letra da música, acho que soa muito bem! Gosto de algumas rimas, há rimas que prendem. E da letra, claro :) se calhar até não ia mal com umas panquecas de limão... :D
    Que pena, e eu com epserança de que fosse a receita que tinha visto ;) haha
    (Acho que já não sei qual era sequer... :P)
    Afinal não é xarope, é mel :P
    É estranho, depois de ver sempre com molho (= mel, isto é uma forma de ocultar o meu falhanço ao lhe chamar «xarope»), ver as panquecas sem nada :) estranhamente, parecem deliciosas à mesma!
    Já agora, as fotos do interior - UAU, parecem tão fofas! fazem-me lembrar sêmea, o que é um feito ;) a s´rio, a textura parece fenomenal. Tipo toneladas de pão de Ló, sêmea e queques fofos concentrados num ponto minúsculo para fazerum buraco negro de fofura (não a fofura de animais e bebés). Também parece um bocadinho algodão e bolo de fécula de batata fofo :P
    ÚLTIMA FOTO ANTES DA RECEITA :O como é que consegues tirar assim? Fazer essa espiral perfeita enquanto tiras a foto?... É um talento ;) Está mais enrolado do que um caracol perfeito (que segundo a minha avó não existe, por muitos argumentos argumentos ontolgicos distorcidos que lhe apresente) :D e ainda por cima é muita pressão, porque só dá para pôr uma vez, senão é preciso mudar ou virar a panqueca e limpar o prato pegajoso. Vale tudo a pena por esse cone ideal ;)
    Pronto, não bastava o GIF e as fotos exageradamente giras de morrer e ainda tinhas de pôr pedaços de panqueca a recriar a boca do Grover escancarada no fim! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu gosto mais de comer panquecas com xarope, mas com mel também marcham e estas acho que pediam mel (talvez pela combinação com o limão, não sei).

      É uma grande ciência tirar fotos enquanto ponho o mel :D O tripé ajuda, pelo menos não preciso de segurar a máquina ;)

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...r: 0" />