2 de março de 2015

Iogurtes de ananás para o recomeço de uma relação :)

 But we had time against us and miles between us.
The heavens cried, I know I left you speechless.
But now the sky has cleared and it's blue,
And I see my future in you.

I'll be waiting for you when you're ready to love me again.
I put my hands up, I'll do everything different,
I'll be better to you.

Adele


Lembram-se da euforia que foi quando os queques de pêra e canela com crumble de amêndoa me fizeram voltar a apaixonar de uma forma inocente e adolescente por aquilo que era já o meu amor sereno e estável pelos queques? Estes iogurtes de ananás fizeram a mesma coisa pelos iogurtes.


Passo a explicar: depois de uma primeira fase de histeria extrema em que saíam da minha cozinha duas ou três receitas de iogurtes por semana, atingi uma espécie de rotina simpática em que fazia uma receita por semana ou de duas em duas semanas. A chegada do frio do Inverno não ajudou, a agenda mais apertada do início da especialidade também não, e a escassez de ideias originais deu o golpe final nesta relação, que ficou quase a roçar o moribundo.

Não houve propriamente uma ruptura abrupta, mas com o tempo percebi que ocorreu um desinvestimento da minha parte. E decidi voltar a entregar-me a esta relação.


A compota de ananás que a mãe do Bernardo me enviou deu o mote a estes iogurtes, e também a uns queques que irei publicar daqui a algum tempo. Uma compota simultaneamente doce e ácida, com uma consistência perfeita, que me fez devorar estes iogurtes uns atrás dos outros.

Três dias depois, já precisava de uma nova fornada. A paixão estava de volta.


Na verdade, há algum tempo que a mãe do Bernardo me envia carinhosamente frasquinhos de compota, creio eu como forma de agradecimento pelos docinhos com que presenteio um dos nossos amigos mais queridos. Todas elas eram deliciosas, mas esta de ananás ficou para a história de tal forma que até me pareceu pecaminoso pedir a receita - como se estivesse a insinuar que a mãe do Bernardo devia quebrar um segredo precioso.


Por isso desculpem, mas a receita que se segue não traz consigo a informação de como se faz a compota de ananás dos deuses. Por outro lado, partilho convosco um pequeno truque que descobri recentemente: usar leite fresco gordo faz com que os iogurtes fiquem muito mais cremosos.

Talvez um dia ganhe coragem e peça a receita à minha musa das compotas, mas até lá basta-me recordar com um quentinho na barriga aqueles que foram sem sombra de dúvida os melhores iogurtes de sempre. E começar a recuperar esta relação, porque indubitavelmente ela merece.


Iogurtes de ananás

Ingredientes (para sete iogurtes):

* Um litro de leite fresco gordo;
* Três colheres de sopa de leite em pó magro;
* Três colheres de sopa de açúcar branco;
* Um iogurte natural;
* Sete colheres de chá de compota de ananás.

Confecção:

* Numa panela colocar o leite, o leite em pó e o açúcar e mexer com uma vara de arames;

* Levar ao lume até ferver e deixar arrefecer;

* Quando estiver morno juntar o iogurte, misturando com a vara de arames;

* Colocar uma colher de chá de compota de ananás em cada copinho de iogurte e cobrir com o leite;

* Levar à iogurteira durante cerca de dez horas;

* Transferir para o frigorífico durante pelo menos quatro horas.


 
Tenham uma óptima semana :D

12 comentários:

  1. esse iogurtes estão com aspeto mesmo saboroso, também costumo fazer os meus iogurtes, muito bom.


    www.ocantinhodosgulosos.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também sou fã de fazer iogurtes em casa. São mais saborosos e versáteis :D

      Beijinhos e uma óptima semana :D

      Eliminar
  2. Olá Joana! :D
    Este fim de semana tentei fazer a tua receita de muffins de café com pepitas de chocolate! Não correu lá muito bem, eles não cresceram lá muito e como aqui em casa somos vegetarianos usei leite de aveia o que, provavelmente, alterou o sabor. Não estavam delicioso mas deu para comer um docinho. Para a próxima vou tentar colocar menos calor no forno e ver se crescem mais :D
    Queria-te pedir uma receita! O teu arroz branco que acompanhas com tanta coisa tem sempre um aspecto delicioso e, bem, eu não sei fazer arroz. Nunca, mas nunca fica bom! Não poderias fazer um tutorial? Obrigada :D
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá!

      Eu tenho duas receitas de queques de café com chocolate, qual fizeste? Há esta:
      http://omeubemestar.blogspot.pt/2012/12/muffins-de-cafe-e-canela-com-pepitas-de.html
      e esta:
      http://omeubemestar.blogspot.pt/2014/04/muffins-de-chocolate-e-cafe-com-farinha.html
      Do que me lembro as receitas correram bem e ficaram boas :) Nenhuma das receitas era particularmente doce, terá sido disso? Nenhum deles cresce lá muito, aliás nota-se nas fotos :) A segunda receita porque tem farinha de arroz e a primeira porque ainda não tinha dominado a técnica de fazer as cúpulas mais altinhas :) Basicamente a técnica é: colocas no forno inicialmente a uma temperatura mais alta (eu ligo a 220º) durante cinco a sete minutos e depois baixas para 180º e deixas cozinhar mais quinze minutos. Eu faço os queques com a ventoinha ligada. Experimenta, porque resulta mesmo :)

      Obrigada pela sugestão! :D Vou fazer isso do tutorial, acho que é uma óptima ideia :D

      Beijinhos e tem uma óptima semana :D

      Eliminar
    2. Foi a segunda :D Ahh nas fotos parecem grandinhos e ficaram mesmo bonitos. Os meus racharam muito por causa das pepitas (e as pepitas ficaram queimadas T___T). Fiz como disseste, em relação ao forno. Só não me lembro se deixei a ventoinha ligada... Poderá o forno ter alguma diferença, ainda que usando as mesmas temperaturas? É que ficaram 7 min a 220º e depois mais 7 min e estavam prontos (estavam a ficar muito dourados por cima e fiz o teste do palito). E a massa ficou bastante consistente e não tão fofa como os muffins que já comi AH, outra coisa que pode ter sido a causa do "desastre" é que foi a primeira vez que fiz. :D Tu é que me tens dado vontade de cozinhar cada vez mais, porque sempre cozinhei mal. Mas vou experimentar mais coisinhas, de certeza, e qualquer diz vou-te dizer que finalmente uma receita correu super bem e estava deliciosa!

      Eu é que agradeço por ouvires o meu pedido desesperado de dona de casa que não consegue fazer arroz decente. Beijinhos e boa semana para ti! :*

      Eliminar
    3. O forno tem certamente algumas diferenças, mesmo usando as mesmas temperaturas! Quando cozinho em casa dos meus pais fico sempre a cismar porque até posso usar a mesma temperatura e a ventoinha, mas as coisas ficam sempre diferentes! Não ficam tão saborosas, ficam feias... Acho que é mesmo uma questão de atinar com o forno ;)

      A ver se na próxima semana faço arroz e fotografo tudo direitinho. Ultimamente não tenho cozinhado nada de especial, tem sido uma semana de loucos mesmo!

      Beijinhos e bom fim-de-semana :D

      Eliminar
  3. Eu só consigo comer iogurtes caseiros. Nunca fui fã / gosto pouco (muito pouco) de iogurtes.
    Mas aqueles feitos em casa pelas minhas mãos eu consigo comer, mas tem de vir o bom tempo. Não consigo passar sem o meu chá bem quentinho. Mas ao ler o teu post fiquei com a mesma sensação, que fui eu que deixei os iogurtes de lado. Tenho de os voltar a fazer, brevemente, agora! :) Vou tentar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Agora até está mais calorzinho e tudo, sabe mesmo bem :D

      Beijinhos! :D

      Eliminar
  4. O truque que eu uso para fazer os meus iogurtes, é que uso sempre leite gordo e não uso leite em pó e eles ficam muito cremosos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu gosto de usar leite em pó, gosto da consistência :) Mas com leite gordo então, ficam uma delícia :D Super cremosos mesmo! :D

      Beijinhos e boa semana :D

      Eliminar
  5. Lembro-me bastante bem, por acaso :)
    Eu até percebo, é complicado manter o fogo numa relação que pode ser monótona, especialmente com a mentalidade «as combinações de sabores para iogurtes parecem bastante finitas» (eu). Eu não conseguia, mas acho que já disse :P canso-me facilmente das coisas e não cozinho o suficiente para fazer um montão de variações num curto espaço de tempo sem subsistir à base disso.
    No Inverno pode ser pior, mas por acaso até como. Às vezes faz um bocado de impressão, mas não foram poucas as vezes neste Inverno em que o meu pequeno-almoço incluiu queijo fresco batido :)
    (Queijo fresco batido é TÃO bom.)
    Tu és muito criativa com os sabores :) essa é a revelação de cada vez que vou ver o teu índice de receitas na parte dos queques :P
    Deve ter sido inspiração divina, e com «inspiração divina» quero dizer experimentar a compota :P haha
    A compota soa mesmo bem :D
    É uma fantástica relação, compotas por queques :) acho que queques de compota é um bom resumo da «troca» carinhosa. Devias fazer queques com a compota, oferecer-lhos e ela (eu sei que este pronome é visto como má educação, mas não tenho grande alternativa) faz COMPOTA DE QUEQUE (que OBVIAMENTE não fica «soggy»). E depois dá-te, tu fazes queques. Sempre assim.
    :O :O *estado de choque*
    ...Então... Não há a receita?... Nãããooo :P
    Um quentinho na barriga?... hahaha :P
    Eu gosto de usar leite gordo para todas as receitas, apesar de o achar um bocado intragável: cremes, molhos, tartes, etc. Acho que fica sempre melhor :) nem me quero lembrar do creme de pasteleiro com leite magro que fiz... É o que há em casa normalmente :P desde aí nunca fui apanhada sem um pacote de leite gordo em casa...
    É um bom truque :) se já tinham tudo para ser estrondosos por causa da compota, com mais esta inovação... ;) Até tiraste uma foto com uma colher retirada para dar para ver melhor a textura?... É que dá. E parece fenomenal. :D
    Também acho que merece ;) iogurtes de manga também soa muito bem, já agora :P
    Eu acho que a melhor compota que já comi foi uma de abóbora, nozes e mel. Já provei algumas deste sabor que não são más mas não são estrondosas, mas aquela apetecia comer à colher... Sabia a baklava :D desde aí fiquei com vontade de fazer compota de baklava, mas nunca cheguei a fazer... Vai ter de ser, qualquer dia :)
    Parecem mesmo deliciosos, e realmente a textura está espetacular!
    ÚLTIMA FOTO. :O

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não há receita, sorry. Aliás, o Bernardo diz que nem a mãe dele sabe a receita, que simplesmente junta ananás e açúcar e voilá. A sério, não gosto das pessoas que cozinham lindamente a olho :P

      Compota de abóbora, nozes e mel também é bem boa :D

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...r: 0" />