4 de janeiro de 2015

Twelve Days of Christmas - 11 - Éclairs de chocolate e caramelo!

On the eleventh day of Christmas my true love sent to me,
eleven pipers piping, ten lords-a-leaping,
nine ladies dancing, eight maids-a-milking, seven swans-a-swimming, six geese-a-laying,
five gold rings, four calling birds, three french hens, two turtle doves and a partridge in a pear tree.


Lembro-me de ter escrito algumas vezes no blog a seguinte frase 'eu posso ter muitos defeitos, mas - inserir aqui um defeito qualquer - não é um deles'. E da última vez que o fiz (na receita de frango com Ervas de Provence da Julia Child) dei por mim a questionar-me:

Será que quem me lê sabe ao certo quais são os meus defeitos?


O que vos mostro é apenas uma pequena parte da minha vida. Aqui não há manhãs carrancudas, não há pessoas idiotas, não há choraminguices dramáticas nem há procrastinações desorganizadas. Aqui não há a realidade dura e crua do dia-a-dia, mas sim uma parte de mim - que corresponde claramente à verdade, mas que não deixa de ser apenas uma porção da minha alma.

Aqui, assumidamente, eu não falo assim tanto dos meus defeitos. E chegou a altura de isso mudar. Por isso aqui vai o pior. O mais vergonhoso, o mais escondido, o mais triste lado da minha personalidade:

Eu sou idiota no trânsito.


Sabem aquelas pessoas que buzinam à grande quando vocês cometem um erro? Sou eu. (Vá, a partir das oito da noite faço sinais de luzes - afinal, continuo a ser uma pessoa um bocadinho civilizada.)

Sabem aquelas pessoas que vos mandam para sítios horríveis quando vocês fazem uma azelhice das grandes? Sou eu. Sabem aquelas pessoas que vão na fila do meio só pela preguiça de não passarem para a direita e terem de ultrapassar carros? Sou eu. Sabem aquelas pessoas que reclamam quando demoram demasiado tempo a atravessar a estrada? Sou eu.


Os meus pais educaram-me muito bem. Sou simpática e educada, respeito os outros, não deito lixo para o chão e cedo sempre o meu lugar aos velhinhos e às grávidas. Mas metam-me um volante nas mãos, e transformo-me de um Bruce Banner querido e fofinho com pijamas de renas num The Hulk de buzinas e gritos.


Este é sem sombra de dúvida o meu defeito que eu mais detesto, mas confesso que todas as minhas tentativas para o mudar têm sido infrutíferas - creio que devido a uma combinação letal de impaciência e aumento da minha ansiedade enquanto conduzo. Assim sendo, presumo que não me reste mais do que assumir os meus erros, pedir desculpa a quem já levou com uma buzinadela ou um palavrão e rezar para nunca levar um banano de um condutor mais zangado.


Numa tentativa de melhorar a minha paciência, experimentei fazer estes éclairs no dia de Natal. Revelaram-se particularmente trabalhosos porque decidi fazer oito éclairs diferentes (com duas coberturas e quatro recheios), e confesso que tal como no trânsito também aqui acabei a barafustar e a reclamar. Mas no fim tudo correu bem, e é isso que realmente importa.


Por isso da próxima vez que alguém vos buzinar, tentem compreender. Do outro lado daquela buzina irritante nem sempre está um cabrão idiota sem consideração nenhuma: por vezes pode estar apenas uma miúda fofinha e simpática que tem um defeito tenebroso e uma paciência pouco treinada, mas que faz éclairs deliciosos porque quer realmente mudar :)


Éclairs de chocolate e caramelo

Ingredientes (para dez mini-éclairs):

Para a massa choux:
* 72g de água;
* 72g de leite;
* Uma pitada de sal;
* 4g de açúcar em pó;
* 50g de manteiga sem sal;
* 72g de farinha de trigo;
* 125g de ovos (dois ovos grandes);

Para o creme:
* 20g de açúcar;
* Dois ovos;
* 20g de amido de milho (farinha maizena);
* 250g de leite;
* 10g de cacau em pó;
* 55g de chocolate negro;
* 55g de natas para bater;

Para os diferentes recheios:
* Três colheres de chá de café;
* Duas colheres de chá de molho de caramelo;
* Raspa de uma laranja;
* Duas colheres de chá de compota de frutos vermelhos.

Para a cobertura de chocolate:
* 125g de açúcar;
* 125g de natas para bater;
* 125g de chocolate negro;

Para a cobertura de caramelo:
* 225g de açúcar branco;
* 65ml de água;
* 85ml de natas para bater;
* Uma colher de chá de essência de baunilha;
* 70g de manteiga sem sal.

Confecção:

* Para a massa choux juntar a água, o leite, o sal e o açúcar e deixar ferver;

* Acrescentar a manteiga e deixar derreter;

* Incorporar a farinha com uma espátula (forma-se uma bola de massa) e deixar cozinhar durante dois minutos;

* Retirar do lume, juntar os ovos batidos e mexer bem até a massa ficar homogénea;

* Alisar a massa numa superfície e deixar arrefecer;

* Colocar a massa num saco de pasteleiro e formar éclairs sobre um tabuleiro coberto com papel vegetal;

*  Levar ao forno pré-aquecido a 250º, baixar imediatamente a temperatura para os 160º e deixar cozinhar durante 25 a 30 minutos;

* Deixar arrefecer;

* Para o recheio bater o açúcar com as gemas e juntar a maizena, misturando sempre;

* Aquecer o leite e verter um pouquinho na mistura, mexendo bem;

* Juntar o cacau com o leite quente restante e incorporar na mistura anterior;

* Aquecer a mistura em lume brando até engrossar, mexendo sempre;

* Derreter o chocolate juntamente com as natas em banho-maria ou no micro-ondas e juntar 100g desta mistura ao recheio, batendo energicamente;

* Cobrir com papel aderente e reservar no frio;

* Dividir o recheio em quatro partes e misturar em cada uma o café, o caramelo, a raspa de laranja ou a compota de frutos vermelhos;

* Para rechear os éclairs, fazer um furo numa das extremidades com o auxílio de um bico de pasteleiro e pressionar o recheio;

* Para a cobertura de chocolate aquecer o açúcar em lume brando até que derreta e fique escurecido;

* Incorporar as natas aquecidas;

* Retirar do lume e juntar o chocolate;

* Para a cobertura de caramelo juntar o açúcar e a água numa panela e levar a aquecer em lume brando;

* Mexer com uma espátula até o açúcar dissolver;

* Aumentar o lume para o máximo e deixar ferver sem mexer até a mistura ficar da cor do caramelo;

* Retirar do lume, juntar as natas, a manteiga e a essência de baunilha e levar novamente ao lume, mexendo bem com a espátula até ficar uma mistura homogénea;

* Mergulhar os éclairs individualmente na cobertura desejada e deixar secar.



Até amanhã! :D

10 comentários:

  1. Mesmo que não escondas os defeitos intencionalmente é natural que nós, míseros leitores do teu blog e devoradores das tuas receitas, não os saibamos, porque nem todos os dias uma pessoa se lembra de escrever um texto inteiramente dedicado à descrição extensiva da sua carranca matinal. E depois porque os defeitos mesmo defeitos são mais difíceis de admitir e até identificar do que coisas óbvias como a antipatia ou o medo (por exemplo)... Pelo menos é o que eu acho, outras pessoas podem ser mais abertas (ou mais perfeitas) :P
    Eu não gosto muito de condutores maus e mal-dispostos, mas até gostei deste "insight" que deste, porque não costumo considerar o outro lado (acho que é mal geral). Não prometo nada, mas vou passar a ter em conta possíveis atenuantes (apesar de me irritar à mesma). O problema é que tinha de alargar a tolerância a pessoas com mau temperamento a geral, não sei se sou capaz ;) mas nem sei para que é que estou a pensar, claro que os éclairs te ilibam completamente! Estão com um aspeto delicioso :) as coberturas parecem muito boas. É engraçado, suspeito que na maioria dos éclairs a cobertura seja um bocado de líquido relacionado com o sabor do creme de pasteleiro + meio quilo de açúcar em pó.
    Às vezes fazer éclairs é um bocado chato na parte de rechear. A mim nunca me chateou, mas da última vez a boca de pasteleiro tinha buracos por todos os lados, desmontava-se e deitava creme pela mesa... Foi um bocado irritante. Eu substituí por uma saca + a boca só, mas não resultava e gastei umas 5 sacas. Eu só faço 1 buraco, talvez com 3 dê mais jeito... Normalmente vai até ao fundo na mesma. Vou experimentar com 2 da próxima vez :)
    Os sabores parecem deliciosos! Qual foi o preferido? O de laranja parece estranho, nunca tinha pensado :P normalmente tenho a necessidade de procurar receitas específicas para cada sabor, porque espero que estejam adaptadas ao sabor particular de modo aa que fiquem deliciosas :P
    Os éclairs bebé ficam mesmo giros :) eu já não costumo fazê-los grandes (pelo menos em comparação com aqueles monstruosos das pastelarias - aquilo é assustador), mas ainda mais mini ficam muito bonitos! A julgar por eles conseguiste superar o teu defeito :D eu já tentei fazer vários recheios ao mesmo tempo, mas devido à acima citada e irritante obsessão com receitas mesmo diferentes e não adições no fim. Desisti e acabei por fazer só dois, mas já não foi mau porque no total foram esses dois cremes de pasteleiro + outro de baunilha para outro bolo + doce de ovos. Foi uma tortura. O que me chateava mais nisso era o saco de pasteleiro - que horror ter de o lavar tantas vezes :P
    "Papel aderente" é giro, nunca ouvi :P só "película" :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O meu preferido foi mesmo o de chocolate e laranja :D Tão bom :D

      Eliminar
  2. Vou ver se começo a olhar de maneira diferente para as pessoas stressadas no trânsito. Eu sou uma pessoa muita pacata a conduzir :-) por ver os teus eclaires, lembrei - me que tenho ali um livro só destas doçuras e ainda não lhe dei uso.

    ResponderEliminar
  3. Mesmo que não escondas os defeitos intencionalmente é natural que nós, míseros leitores do teu blog e devoradores das tuas receitas, não os saibamos, porque nem todos os dias uma pessoa se lembra de escrever um texto inteiramente dedicado à descrição extensiva da sua carranca matinal. E depois porque os defeitos mesmo defeitos são mais difíceis de admitir e até identificar do que coisas óbvias como a antipatia ou o medo (por exemplo)... Pelo menos é o que eu acho, outras pessoas podem ser mais abertas (ou mais perfeitas) :P
    Eu não gosto muito de condutores maus e mal-dispostos, mas até gostei deste "insight" que deste, porque não costumo considerar o outro lado (acho que é mal geral). Não prometo nada, mas vou passar a ter em conta possíveis atenuantes (apesar de me irritar à mesma). O problema é que tinha de alargar a tolerância a pessoas com mau temperamento a geral, não sei se sou capaz ;) mas nem sei para que é que estou a pensar, claro que os éclairs te ilibam completamente! Estão com um aspeto delicioso :) as coberturas parecem muito boas. É engraçado, suspeito que na maioria dos éclairs a cobertura seja um bocado de líquido relacionado com o sabor do creme de pasteleiro + meio quilo de açúcar em pó.
    Às vezes fazer éclairs é um bocado chato na parte de rechear. A mim nunca me chateou, mas da última vez a boca de pasteleiro tinha buracos por todos os lados, desmontava-se e deitava creme pela mesa... Foi um bocado irritante. Eu substituí por uma saca + a boca só, mas não resultava e gastei umas 5 sacas. Eu só faço 1 buraco, talvez com 3 dê mais jeito... Normalmente vai até ao fundo na mesma. Vou experimentar com 2 da próxima vez :)
    Os sabores parecem deliciosos! Qual foi o preferido? O de laranja parece estranho, nunca tinha pensado :P normalmente tenho a necessidade de procurar receitas específicas para cada sabor, porque

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda por cima descobri agora que tenho miopia nocturna, por isso para além de ser idiota também sou cegueta a conduzir à noite ;)

      Eliminar
  4. Defeitos todos temos! E às vezes os defeitos não têm de ser necessariamente maus! E também não têm de ser propriamente apelidados de defeitos. São coisas menos boas, vá! E que monótonos e aborrecidos seríamos se não tivéssemos características menos boas! Bons bons são esses teus eclaris!

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...r: 0" />