16 de janeiro de 2015

Tarte de limão e Limoncello com merengue para um filme de terror em câmara lenta.

'Cause I can almost breathe the air
Right beyond my fingertips,
I'll turn around and pick up the pieces.
One more push and I'll be there,
Back where I belong...
I'll turn around and pick up the pieces.

Hoobastank 


Era Sexta-feira e tínhamos um jantar em casa de um amigo do Pedro que se tinha mudado recentemente para Lisboa. Eu tinha-me oferecido para fazer uma tarte para a sobremesa, mas no dia anterior descobri que só iria sair do trabalho às 20.00h - assim sendo, cozinhar algo antes de sairmos para o jantar estava fora de questão.

Desenvolvi um plano simples: preparava tudo individualmente no dia anterior, acordava uma hora mais cedo na Sexta-feira, juntava as partes da tarte, levava ao forno, fotografava, deixava a tarte no frigorífico durante o dia e saía para o trabalho a horas decentes. Fácil, certo?


Acordei às 6 da manhã. Vesti a nova camisola cor-de-rosa que tinha comprado em Paris com a minha mãe, coloquei o creme de limão e Limoncello sobre a base de bolacha, fiz o merengue, montei a tarte e levei tudo ao forno. Quando a tarte ficou pronta estava absolutamente linda.

Mas eu tinha pressa para fotografar. Não podia esperar que a tarte arrefecesse para a tirar da forma, por isso decidi retirá-la logo - e repentinamente tudo começou a andar em câmara lenta.


A base de bolacha cedeu nas partes laterais e começou a cair pela bancada. O molho de limão começou a escorrer pela manga da minha camisola nova. O merengue soltou-se e caiu sobre a máquina de lavar roupa.

E eu fiquei ali. Parada. Estática. Em choque. Em processamento. Em câmara lenta. Impotente a olhar para aquele filme de terror culinário.


Pensei em chorar. Pensei em praguejar. Pensei em mandar tudo para o lixo. Pensei em fugir para o trabalho e deixar o Pedro lidar com aquele cenário de guerra. E depois parei de pensar e agi.

Limpei a camisola, apanhei da bancada os bocados de tarte ainda vivos (e os bocados da minha auto-estima também) e misturei-os num tabuleiro. Chamei àquela tarte decapitada 'verrine de limão merengada'. E no fim acabámos todos a lamber-nos com esta pequena maravilha.


Algumas semanas depois, repeti a proeza - desta vez dando tempo à tarte para consolidar no frio antes de a desenformar. E ficou igualmente maravilhosa, para além de bonita visualmente.

E assim aprendi três importantes lições:

1. Na culinária, tal como na vida, tudo tem o seu tempo e não vale a pena apressarmos as coisas.
2. Acordar às 6 da manhã para cozinhar dá azar.
3. Estou muito melhor a lidar com situações imprevistas! :D


Tarte de limão e Limoncello com merengue (receita adaptada da Saveurs especial de sobremesas e da Saveurs Best Of 2014)

Ingredientes:

Para a base:
* 200g de bolachas maria;
* 80g de manteiga sem sal derretida;

Para o creme de limão e Limoncello:
* 220g de açúcar branco;
* Raspa de três limões;
* 150ml de sumo de limão;
* Quatro ovos grandes;
* 150g de manteiga sem sal amolecida;
* Três colheres de sopa de Limoncello;

Para o merengue:
* Três claras de ovo;
* Uma pitada de sal;
* 150g de açúcar.

Confecção:

* Picar finamente as bolachas maria e misturar com a manteiga derretida, amassando bem até obter uma pasta homogénea;

* Colocar na base da tarte, calcar bem e levar ao frigorífico;

* Para o creme juntar o açúcar, a raspa de limão, o sumo de limão e os ovos e bater bem com uma vara de arames;

* Levar a aquecer em banho-maria, mexendo sempre até engrossar e sem deixar ferver (aproximadamente dez minutos);

* Retirar do lume e juntar a manteiga cortada em pedaços pequenos, misturando para envolver;

* Juntar o Limoncello e levar ao frigorífico pelo menos durante duas horas;

* Para o merengue bater as claras em castelo juntamente com a pitada de sal;

* Acrescentar o açúcar aos poucos, continuando a bater até ficar duro e brilhante;

* Cobrir a base de bolacha com o creme de limão e com o merengue e levar ao forno pré-aquecido a 240º durante três a cinco minutos;

* Esperar até esfriar para desenformar.

 

Tenham um óptimo fim-de-semana! :D 

20 comentários:

  1. Ahahah realmente, por vezes, o nosso dia-a-dia acaba sempre por ser o 'melhor' filme de terror! Mas eu percebo-te inteiramente; também gosto que tudo o que eu faço fique perfeito e se algo corre mal é literalmente, sim, literalmente, o fim do mundo. Já estive por várias vezes numa situação semelhante à tua: o bolo estava lindo assim que saíu do forno, mas no momento em que o comecei a a desenformar ele começou a desfazer-se, em camara lenta, mesmo diante dos meus olhos.... e sim, é realmente o fim do mundo. Chorar, praquejar que nem uma louca para os pedaços daquilo que deveria ser um 'suposto' bolo lindo e perfeito, e acabar por o deitar no lixo sempre nos parecem as melhores soluções naquele momento. Tu agiste da melhor maneira ;) eu muitas vezes, não consigo lidar com isso... ahah admito!
    Quanto à tarte,deve ter ficado realmente deliciosa. Adoro tartes merengues de limão ^^ são sempre tão fresquinhas
    Beijinhos, Joaninha :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É que até parece mesmo que começa tudo a acontecer em câmara lenta, não é? :) Eu quando fico mesmo bloqueada de terror chamo o Pedro, ele é óptimo a reagir em situações destas e dá umas sugestões bem maneirinhas :) Mas já ando a ficar melhor :D

      Beijinhos :D Espero que esteja tudo bem :D

      Eliminar
  2. Os planos são meras formalidades que impomos a nós próprios... 90% da vezes saem sempre ao lado!
    No improviso a vida até tem mais graça e muito mais adrenalina :)
    http://petiscana.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo plenamente Ana! Aliás, todos os dias aprendo cada vez mais isso! Comecei o ano com uma data de planos, objectivos, ideias e certezas e agora olha... Vai tudo sair de forma diferente. E ainda só passaram 20 dias, por isso mal posso esperar para ver o que me espera :D

      Beijinhos :D

      Eliminar
  3. Realmente na cozinha de vez em quando acontecem cenários catastróficos que só nos fazem pensar "porque raio me meti nisto?!". Mas esses erros fazem-nos "crescer" e ajudam-nos a melhorar, é indiscutível. Também acho que na cozinha as coisas requerem o seu tempo e não vale a pena apressarmos embora muitas vezes as coisas feitas a pressa saem mil vezes melhor, nunca percebi porque! De qualquer modo tenho a certeza que essa tarte compensa tudo porque para além de bonita deve ser para lá de boa!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, apressar é meio caminho andado para o desastre! Eu pensei que seria simples porque tinha tudo feito do dia anterior: fiz a base, fiz o molho e era só mesmo fazer o merengue e montar. Mas mais do que aprender que não me devo apressar, aprendi outra coisa ainda mais importante: comprometer o resultado da receita por causa das fotos não faz qualquer espécie de sentido ;)

      Beijinhos :D

      Eliminar
  4. Primeiro que tudo, tarte maravilha, quero fazê-la, quero mesmo!
    E essas peripécias realmente acontecem... e fico igualmente estática a olhar... a reacção vai-se. E sim, acordo as 6 da manhã para cozinhar!! pff...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É doloroso, mas quando tem de ser tem de ser. Também acordo às 6 da manhã para ir viajar, ou até para ir trabalhar às vezes ;)

      Eliminar
  5. A minha mãe faz esta receita mas à base acrescenta café e em vez de creme de limão mete uma camada de leite condensado. Amo esta tarte! :D

    ResponderEliminar
  6. parece mesmo boa!! gostei da ideia da verrine ;)
    Beijinhos,
    http://sudelicia.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  7. Acho que consigo sentir o terror. Fiquei petrificada a ler o texto :P Estava a pensar obsessivamente « MAS COMO É QUE A TARTE FICOU LINDA? COMO?! NÃO CONSIGO VIVER ASSIM!» :P a certo ponto começou a parecer impossível, não vejo como poderias reconstruir o merengue :P
    Eu chego a casa tarde às sextas, o que me irrita profundamente porque não posso fazer para sábado para coisas que têm de ser feitas com antecedência ou adiantar sobremesas (ou comida, mas eu prefiro sobremesas, logicamente), sob pena de me deitar já com a aparência, o espírito e os reflexos de um zombie (e é muito desagradável lavar panelas pegajosas à meia noite quando só me apetece esborrachar a cara na almofada - sou extremamente resistente ao sono, eu sei). Não posso fazer pudim, cheesecake, se quiser fazer coisas mais elaboradas não faço mais nada no Sábado... É um drama :P Desforrei-me no Natal, foi um desfile de coisas que só se fazem no dia anterior.
    Não podias desenformar e fotografar à noite, quando a fosses buscar? :P Desenformar coisas já é mau... Especialmente cheesecake, desenformar cheesecake é uma enorme provação. E ainda por cima a tensão de estar à espera... Quando se tem de ser rápido ainda vá lá, mas ter de despachar as coisas E não poder fazer nada (exceptuando talvez bufar para cima da forma, bufar para cima da forma é sempre produtivo)
    Eu nuunca ia arriscar fazer de manhã. O meu coração está acelerado só de pensar em cozinhar em contra-relógio! Eu quase que tenho um ataque de pânico a jogar às apanhadinhas (está totalmente relacionado E é horrível ter de percorrer uma certa distância sob pressão, por muito amigáveis que os perseguidores bochechudos sejam), quanto mais acordar mais cedo para cozinhar. Ainda por cima numa hora, ia ser lindo. Nem dormia nada a noite toda. Se fosse alguma coisa simples ainda vá lá... Antes acordava às 5 ou 6 e fazia aveia ou panquecas (as tuas, que experimentei 2 vezes outras e foi deprimente ter de comer pão, ou a materialização do meu fracasso. Aliás, cozinhar alguma coisa para o pequeno-almoço e acabar por não prestar é SEMPRE horrível). Quando comprei a máquina de waffles queria tanto experimentar que no dia seguinte acordei uma hora mais cedo. Aproveitei os planos exagerados e planeei também acabar de fazer um vídeo que preferia que ficasse pronto no dia com a ajuda da minha irmã. Fiquei a montar o vídeo, ajustar o som, cortar, essas coisas, mas o computador decidiu transformar-se no maior calhau pré-histórico e lento de sempre - a sério, foi um enorme stress. Acho que nem senti o sabor dos waffles, porque enquanto os comia estava demasiado ocupada a ser um monstro corcunda com os olhos assassinos injetados de sangue, o maxilar inferior protuberante a amparar uma língua estendida como a de um cão ofegante e um garfo agarrado de maneira rudimentar. Pelo menos os waffles ficaram bons, se não ficassem acho que tinha um ataque de choro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sabes que até guardei as fotos da verrine para mostrar como ficou apetitosa no fim, mas depois apaguei-as sem querer (acontece-me muito, infelizmente).

      Fotografar à noite é sempre aquele drama! Mas agora está resolvido, porque uma das minhas prendas de anos foi um mini-estúdio em casa :D :D :D :D Daqui a nada começo a mostrar as fotos já tiradas à noite com luz decente :D

      Agora tenho feito panquecas à tarde e guardo algumas para o dia seguinte. Aqueço no micro-ondas e pronto, ficam uma delícia. Mas eu sou suspeita, acho que gosto de tudo que leve xarope de seiva de ácer por cima :D

      Eliminar
  8. Desenformar só quando está frio é das coisas mais difíceis de fazer. Há uma força inexplicável que atrai as minhas mãos para a forma :P
    Nessas situações fico mesmo desesperada. É mesmo horrível... Fico a olhar como se não fosse possível acontecer. É uma espécie de negação obsessiva. Nunca considero uma desgraça iminente de tal magnitude :P Até vejo a vida a andar para trás. Quase tinha um enfarte quando a minha irmã esmigalhou uma tarte já por si causadora de stress no meio do chão. Ainda por cima cozinhamos as duas e se corre alguma coisa mal começamos a culpar-nos mutuamente :P a minha avó adoora isso.
    ...Então quando fico com a roupa suja... Fico com os nervos em franja :P não sei, há qualquer coisa na roupa suja que me tira do sério. E a camisola? Não disseste o que aconteceu à camisola! Sobreviveu?! A CAMISOLA SOBREVIVEU?
    Eu acho que optava por arrancar os cabelos e atirar tudo para o meio do chão, mas a tua opção também me parece bastante agradável :) realmente foi uma solução brilhante para o caso, que capacidade de reação em situação de crise! E devia estar delicioso à mesma :D
    Quando fiz lemon bars (última vez) a base cresceu imenso (acho que já disse). Não sei porquê. Mas imenso «triplica de tamanho e ocupa o tabuleiro todo» imenso. Eu escavei parte e esmaguei o resto para consolidar. Acabei de fazer e fiquei orgulhosa de mim, mas acho que a minha capacidade de manter a capacidade de lidar com situações imprevistas se esgotou aí, porque deixei a parte de cima em sumo :P para melhorar as coisas, a minha mãe provou à mesma e disse QUE SABIA DEMASIADO A LIMÃO. Eu sei, que mãe insensível.
    (Pelo lado positivo, a parte da bolacha que escavei foi vorazmente devorada pelo meu irmão...)
    Concordo completamente com as conclusões :D E as fotos da tarte perfeitinha são um suporte mais que suficiente para elas :) está mesmo gira! Vou tentar evitar menções de cisnes e outros animais espalhados no merengue ;) Parece muuito boa! Gostas mais desta ou da normal (= sem limoncello)? :) Limoncello parece imensamente adequado a ti, que gostas de limão e de música :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A camisola sobreviveu. Limpei os restos mortais da tarte com um pano molhado, secou na viagem até ao centro de saúde (liguei o ar condicionado quentinho, até foi agradável) e passei o resto do dia a cheirar a limão :D Confesso que a opção mais tentadora para mim era mesmo sair de casa e pedir ao Pedro para arrumar tudo, mas isso é muito feio ;)

      Gosto mais com limoncello :D Aliás, quando mostrar a receitas de coquinhos com limoncello (isso existiu, sim) vais reparar que na foto a garrafa já vai a menos de metade :D Adoro aquilo :D

      Eliminar
  9. Olá Joana! Pois é, a mim a cozinha ajuda-me a descontrair desde que tenha tempo. Cozinha e stress/rapidez não combinam comigo...quando esta dupla se junta, dá asneira na certa! E a asneira mais comum é eu queimar-me ou algo cair no chão quando não deve...sim, já tenho umas quantas lembranças nas mãos (felizmente pequeninas) para me recordar que devo cozinhar com mais calma e paciência.
    Mas ao olhar para as tuas fotos fiquei com água na boca e vontade de cozinhar esta receita deliciosa...vamos ver quando tenho tempo...para cozinhar e fotografar.
    Beijinhos e 6 horas da manhã para cozinhar é cedo demais em dia de trabalho ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por acaso é muito raro eu queimar-me, mas coisas no chão é bastante frequente :)

      Beijinhos e boa semana :D

      Eliminar
  10. Olá Joana,

    Posso fazer sem o limoncello aumentando a quantidade de sumo de limão? Obrigada.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...r: 0" />