25 de novembro de 2014

Bifes de peru panados com quinoa para uma adulta desapontada.

'Out in the woods stood a nice little Fir Tree. The place he had was a very good one: the sun shone on him: as to fresh air, there was enough of that, and round him grew many large-sized comrades, pines as well as firs.

But the little Fir wanted so very much to be a grown-up tree. He did not think of the warm sun and of the fresh air; he did not care for the little cottage children that ran about and prattled when they were in the woods looking for wild-strawberries. The children often came with a whole pitcher full of berries, or a long row of them threaded on a straw, and sat down near the young tree and said, 'Oh, how pretty he is! What a nice little fir!'. But this was what the Tree could not bear to hear.

At the end of a year he had shot up a good deal, and after another year he was another long bit taller; for with fir trees one can always tell by the shoots how many years old they are.

'Oh! Were I but such a high tree as the others are,' sighed he. 'Then I should be able to spread out my branches, and with the tops to look into the wide world! Then would the birds build nests among my branches: and when there was a breeze, I could bend with as much stateliness as the others!'

Neither the sunbeams, nor the birds, nor the red clouds which morning and evening sailed above him, gave the little Tree any pleasure.

In winter, when the snow lay glittering on the ground, a hare would often come leaping along, and jump right over the little Tree. Oh, that made him so angry! But two winters were past, and in the third the Tree was so large that the hare was obliged to go round it. 'To grow and grow, to get older and be tall,' thought the Tree - 'that, after all, is the most delightful thing in the world!'

Hans Christian Andersen

 

Ser adulto não é bem aquilo que me venderam. Disseram-me que ia ser divertido gerir o meu próprio dinheiro, que ia ter possibilidade e tempo para viajar, que nunca iria ter de trabalhar um dia na minha vida se escolhesse uma profissão pela qual fosse apaixonada e que as minhas opiniões iam ser consideradas válidas. Disseram-me que as inseguranças iam desaparecer e que ia descobrir o meu lugar. Disseram-me que ia deixar de ter medo do escuro.

Começo a achar que fui ludibriada.


Ninguém me falou da ginástica da conta, da conta poupança, da conta conjunta e da conta poupança conjunta. Ninguém me disse que os vinte dias de férias parecem dois. Ninguém deixou escapar que trabalhar é extremamente desagradável, mesmo quando adoramos o que fazemos (a sério, quem é que gosta de sair da cama às sete da manhã num dia frio?). Ninguém me contou que só aos cinquenta anos é que valorizam a nossa experiência e que os medos e receios continuam a assombrar-nos (talvez até mais!).

Ninguém me avisou que o medo do escuro aumenta agora que deixamos de acreditar em monstros e passamos a acreditar em pessoas más. Acima de tudo, ninguém me falou da quantidade abismal de contas, papéis, documentos, recibos, facturas e comprovativos que são necessários.

Para quem passou anos a querer crescer, confesso que isto está a ser um bocadinho anticlimático.


Neste dia fomos ao banco tratar de detalhes da nossa conta conjunta. Tivemos que levar os comprovativos de morada (no nosso caso as quotas da Ordem dos Médicos, a maior chulice de todos os tempos), os recibos de vencimento e uma data de fotocópias. Depois assinámos um montão de documentos e rubricámos mais uns quantos. Uma grande chatice, portanto.


À hora do jantar, mais uma dúvida existencial tão típica da vida adulta: o que fazer com os bifes de peru que tinha deixado a descongelar? Não podia recheá-los porque o Pedro não come queijo, não queria grelhá-los porque não aprecio bifes de peru simples, não tinha sementes de sésamo para poder paná-los, não gosto do outro tipo de panados (com ovo e farinha de trigo)... E eis que me ocorreu: será que conseguia paná-los com a quinoa cozida que andava abandonada e sozinha pelo frigorífico à espera de ser usada nuns hambúrgueres vegetarianos que ainda não tinham acontecido? Pus mãos à obra.


E descobri uma vantagem de crescer: a despensa é nossa, por isso podemos entupi-la com tudo o que quisermos. Podemos ter uma prateleira inteira cheia de quinoa, bulgur, sementes de todos os tipos e feitos, dez tipos diferentes de frutos secos (só para que conste são nozes, nozes pecan, amendoins, amêndoas, avelãs, cajus, castanhas do pará, macadamias, pinhões e pistachios), flocos de aveia, trigo, cevada, centeio e milho, granola caseira e chocapics. Podemos usar o dinheiro do nosso trabalho em miminhos mais caros como xarope de seiva de ácer, manteiga de amendoim natural e leites vegetais variados (já aqui verbalizei que os senhores da indústria dos leites vegetais devem estar milionários, certo?). E podemos passar os nossos dois dias de férias a viajar.

Nem tudo é mau, vá. Só um bocadinho.


Bifes de peru panados com quinoa

Ingredientes (para duas pessoas):

* Quatro bifes de peru;
* Sumo de dois limões;
* Uma pitada de sal;
* Uma colher de chá de pimentão-doce;
* Uma colher de chá de paprika;
* Uma colher de chá de orégãos;
* Uma pitada de piri-piri;
* Um ovo batido;
* Uma chávena de quinoa cozida;
* Um fio de azeite;
* Duas fatias de queijo (opcional).

Confecção:

* Temperar os bifes de peru com o sumo de limão, o sal, o pimentão-doce, a paprika, os orégãos e o piri-piri e deixar marinar durante duas horas;

* Passar os bifes pelo ovo batido e seguidamente pela quinoa cozida, pressionando bem;

* Cobrir com um fio de azeite e levar ao forno num tabuleiro (eu fiz na Actifry, sem a pá);

* Cobrir com quejo (opcional).

Até amanhã :D

18 comentários:

  1. Com toda a razão, ser adulto é bem diferente do que eu esperava.
    Quanto à sugestão, deliciosa.

    ResponderEliminar
  2. Olá ;)....
    Que aspecto divinal e delicioso :D..... 5 ***** :)
    Beijocas

    http://nacozinhadaleonor.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Leonor :) É uma forma diferente e saudável de comer bifes :)

      Beijinhos e um bom resto de semana :D

      Eliminar
  3. Não acho que ser adulta seja chato!
    Tenho 37 anos e adoro ser crescida, sou mãe de um menino de 12 anos e de uma menina de 7 meses e sinceramente não trocaria esta minha realidade pelos meus inconscientes 20 anos.
    Claro que gerir uma casa, filhos, contas e mais contas... não é fácil... Para mim muito difícil porque o meu marido trabalha no estrangeiro.
    Mas.... tenho poder para fazer o que "quero"... coisa que com os meus 20 não podia fazer!
    Tenho experiência para transmitir aos meus filhos que a vida é feita de pequenos escolhas que um dia vão fazer a diferença:-D
    Sinceramente. ... acho que sair da cama para ir fazer o que mais gostamos é extremamente gratificante!
    Quem quer ficar sempre nos 18 ou 20??
    Beijinhos Cristina

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Cristina!

      Na verdade isto foi um desabafo. Na maior parte dos dias eu sinto-me uma adulta muito feliz como é óbvio, mas os problemas e as preocupações são completamente diferentes das que tinha há uns anos e de repente parece que é tudo 'a sério' e eu fico com medo de não estar preparada para isto. É verdade que há sete anos que saí de casa, mas apesar de tudo no último ano comecei a trabalhar, casei e lancei um livro e o facto é que de repente as minhas responsabilidades são outras. Depois penso no futuro, em como vou conciliar tudo, em ter filhos, num sem fim de responsabilidades que ainda não tenho e fico ainda mais preocupada porque questiono-me como é que vou aguentar tudo se já me sinto drenada física e mentalmente agora. Mas enfim, tudo se consegue com reorganização de prioridades :)

      Beijinhos e obrigada pelo comentário :)

      Eliminar
  4. Concordo... eu ainda não me habituei, vê tu bem! :P
    Mas na cozinha continuamos a conseguir brincar, o que é uma delícia, Joana! Esses bifinhos estão com um aspeto nham-nham!
    Bjos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que ninguém se habitua Maria João :) Mas fazemos o que podemos e vamos vendo o lado positivo ;)

      Beijinhos :)

      Eliminar
  5. Tenho dias que queria ser criança de novo e correr para o colinho da minha mãe (vou na mesma).
    Gostei mt da tua sugestão. Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sabe tão bem :) Mas pronto, ser adultos também terá as suas vantagens - hoje não me ocorre nenhuma, mas amanhã é um novo dia ;)

      Beijinhos :)

      Eliminar
  6. Bom dia Joana!
    Adorei esta receita inovadora e talvez nesta semana já a faça. :)
    Ser adulto nunca é fácil e como tudo na vida, implica esforço (mesmo em algo que gostemos)...tentar pensar, sempre, na forma mais positiva de ultrapassar as adversidades ajuda a "colorir" os nossos dias :)
    Beijinhos e obrigado por mais uma partilha maravilhosa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se experimentares diz como correu :) Sim, ser adulto é difícil. Mas pronto, tem as suas vantagens certamente :)

      Beijinhos e um bom resto de dia :D

      Eliminar
  7. Esses contos infantis em inglês são demais :) aliás, os livros em inglês velhinho tipo "A Tale of Two Cities" E os poemas "antiquados" são "todos" muito giros - até dá gosto ler! E não é só por terem sido essenciais para o fim do apartheid :P... Aquilo é inimitável, é um conjunto de expressões, sucessões de frases com dois pontos sem outros sinais e palavras ligeiramente diferentes que entraram em desuso que não é possível replicar :P eu já tentei e até pesquisei "tale english" no google, mas não consegui nada. Acho que tenho de me ficar pelo uso do "for" como "pois" e com dizer "thou" às vezes :)
    Eu nunca tive nem tenho grande pressa de "crescer" e me tornar independente. Parece um bocadinho assustador. Uma coisa que não parece ser nada agradável é a contabilidade, embora de certa maneira até gostasse de gerir o meu próprio dinheiro (sim, eu sei que é uma visão utópica, mas poder gerir as coisas de acordo com as minhas prioridades (não que queira ser avarenta... Haha) é a parte menos má. O que obviamente não quer dizer que deixava de gastar dinheiro em coisas idiotas como brinquedos para o meu irmão - se ele ainda os quiser, porque a oferta não se estende a chapéus de gangster mimado e calças de ganga que ficam pelos joelhos.)
    Pelo que vejo as opiniões nunca são consideradas válidas :P há sempre pessoas mais velhas, sábias ou teimosas (principalmente teimosas).
    As férias parecem sempre menos do que o que são, mas se dizes que é pior eu acredito. Acho que hoje vou ter pesadelos.
    Também se sai às 7 da manhã de casa sem ser para trabalhar :P mas percebo o que queres dizer, isso de "amar a profissão" é muito bonito mas não consigo acreditar que sejam só rosas. Não sei se é muuito bom sinal amar cada momento nesse momento.
    Deves ter apanhado uma desilusão :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu agora tenho um livro de contos de Natal em inglês que o Bernardo me ofereceu (foi de onde saiu esse conto) e ando a adorar :)

      Aproveita bem, crescer é uma seca ;)

      Eliminar
  8. Rubricar é uma coisa que parece muito divertida quando tens 5 anos...
    Pelo menos já estou mais ou menos preparada para as pessoas más :P é uma habituação gradual, há sempre mas cada vez mais evidente.
    E o que são chatices com contas bancárias e pessoas más quando comparadas com não saber o que fazer com bifes de peru? Que terror D:
    Eu acho desagradável descongelar coisas sem saber o que fazer com elas. Parece que fico condicionada, depois mudo sempre de ideias. Como quando estou sem ideias do que quero fazer Sábado (raramente, tenho sempre receitas à espera :P) e penso "Olha, vou levar um pacote de massa folhada para cobrir todas as possibilidades. É melhor, certo?" Não. Depois quero fazer outra coisa qualquer e a massa folhada é mais pesada do que uma âncora. Uma âncora velha e ferrugenta, porque eu faço sempre a "outra coisa qualquer" e deixo-a a apodrecer até me lembrar de fazer croissants (mesmo para a usar, é a coisa mais simples :P). Mas se calhar é porque a minha avó sempre fez isso, eu gosto de lhe chamar "descongelação selectiva" ou "Xaninha, diz lá se pode ser X para amanhã? Ou querem fazer outra coisa?" ("Claro, por que é que não havia de poder?"/"não, nós queremos fazer outra coisa, temos de ir ao talho porque não trouxemos nada quando fomos às compras - *analogia da massa folhada aqui*". Peixe necessita de dupla confirmação, porque quando volto à cozinha às seis e meia da manhã ainda inalo um bocado de dourada.).
    Pelo menos tens um frigorífico com restos criativos, não sei se o meu alguma vez teve mais do que arroz, sopa, comida já feita e frasquinhos com invenções que correram mal e adio deitar fora até a minha avó ter um ataque de pânico.
    Eu normalmente compro "mixed nuts" porque é mais barato, mas cajus e castanha do pará são mesmo bons :)
    Onde compras macadamia? Nunca vi sem ser frito e em embalagens não de frutos secos, mais de aperitivos ou atum em lata. Também já vi numa edição limitada com casca e caro como tudo.
    Fazes a manteiga de amendoim em casa? :)
    Ainda é um bocado mau, com ou sem bifes e xaropes chiques :) mas assim já melhora! E arranjaste maneira de pôr queijo :) haha
    Não parece quinoa, parece um bife super tostadinho e com cores giras :P Mas se aproximar dá para ver bolinhas giras! Tem muito bom aspeto, melhor do que os panados tradicionais. Só acho que "sem a" e "pá" devia haver um nome de utensílio e uma vírgula. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também me acontece a dança do 'descongelei isto mas agora apetecia-me outra coisa'. Tenho resolvido isso fazendo ementas semanais onde há algum espaço para mudanças ;)

      Compro macadamias no Continente, mas como têm imenso sal lavo-as :) Nunca encontrei macadamias ao natural, tirando quando viajo (aproveito sempre para trazer algumas, mas depois como-as ao natural) :)

      Ultimamente não tneho feito a manteiga de amendoim em casa porque o Pedro tem comprado sacos de um quilo de amendoim com casca e não tenho paciência (nem tempo) para descascar aquilo tudo (sou feia e preguiçosa). Por isso tenho comprado a Crunchy no Continente. Um dia tenho que comprar amendoins já descascados para fazer manteiga caseira novamente :)

      Eliminar
  9. Olá Joana! Já fiz a receita para o jantar de ontem e posso confirmar que é deliciosa!

    Todos lá em casa ficaram fãs e já pedem mais...bem, o João, a minha cara-metade, não pode provar pois foi ontem em trabalho para a Tunísia e ficou curioso depois das reacções este prato dos 3 mais novos lá de casa a mas já lhe garanti que assim que voltar, no final da semana, volto a fazer para ele provar. :)

    Os bifinhos ficaram com um sabor maravilhoso e a quinoa crocante. Já tenho fotos e vou enviar por mail para veres o aspeto.

    Beijinhos e obrigado pela partilha :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Ana!

      Bem, fico muito contente :D Espero que repitam e que o prato seja aprovado pelo João também :D Já recebi o mail, vou guardar para partilhar na rubrica de receitas aprovadas :D

      Beijinhos e boa semana :D

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...r: 0" />