29 de julho de 2014

Iogurtes líquidos de morango (O que fazer quando uma receita de iogurtes corre mal?)

Did you know, when you go
It's the perfect ending
To the bad day I've got used to spendin'?
When you go all I know is
You're my favorite mistake,
You're my favorite mistake.

Sheryl Crow


A minha experiência com iogurtes é relativamente recente - de facto, a primeira vez que fiz iogurtes foi há apenas alguns meses. No entanto, e graças a um extensivo estudo bibliográfico prévio, nunca nenhuma receita me tinha corrido mal.

Fazer iogurtes é praticamente científico: seguem os passos, respeitam as reacções químicas, esperam um montão de horas, resistem à tentação de espreitar para dentro da iogurteira e voilá, ciência. Pelo meio inventam-se umas coisinhas, adaptam-se receitas e descobrem-se truques bem sucedidos. E arrisca-se.


Há basicamente duas formas gerais de fazer iogurtes: o método 'iogurte natural + recheio ou compota' e o método 'iogurte de aromas'. Ultimamente tenho-me divertido a saltitar entre as duas alternativas, e neste dia em especial decidi fazer um iogurte com aroma de morango.

Eu sabia, mal o pensamento me ocorreu, que isto ia correr mal. O morango é uma fruta ácida cheia de enzimas, que eu sabia que iam impedir o iogurte de solidificar. A par do ananás é a fruta com mais tendência para talhar o leite. Era óbvio onde isto ia parar.


Efectivamente o esperado aconteceu, e os iogurtes ficaram com uma camada de soro no fundo. Mandei uma mensagem ao meu pai a perguntar se aquilo é que era um iogurte talhado e se faria mal comê-lo, e fiquei mais sossegada quando ele respondeu que não (e ainda disse que os maasai talhavam o leite de propósito para beberem o soro). E lá experimentei, um bocado a medo.


Na verdade, depois de misturado com o soro, o iogurte estava uma delícia (embora estivesse completamente líquido). O sabor a morango dominava e tornava os iogurtes fresquinhos e pouco doces, e era uma verdadeiro prazer para a barriguinha beber cada uma destas delícias.

Por isso aqui têm uma moral da história bonita: não desistam de uma receita que aparentemente correu mal, porque nunca se sabe o que uns pózinhos de perlimpimpim podem fazer. E se o prato não tiver mesmo salvação possível encolham os ombros, sigam em frente e concentrem-se na ideia maluca seguinte.

Porque só quem arrisca é que erra, e só quem erra é que aprende :)


Iogurtes líquidos de morango

Ingredientes (para sete iogurtes):

* Vinte morangos;
* Um litro de leite fresco meio-gordo;
* Três colheres de sopa de leite em pó magro;
* Três colheres de sopa de açúcar branco;
* Um iogurte natural;

Confecção:

* Triturar os morangos com a varinha mágica;

* Numa panela colocar o leite, o leite em pó e o açúcar e mexer com uma vara de arames;

* Levar ao lume até ferver e deixar arrefecer;

* Quando estiver morno juntar o iogurte, misturando com a vara de arames;

* Juntar o puré de morango e envolver;

* Levar à iogurteira durante cerca de dez horas;

* Transferir para o frigorífico durante pelo menos quatro horas.
 

Até amanhã! :D 

2 comentários:

  1. Adorei a última frase... MESMO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Eu errei tantas vezes em tantas coisas da vida (e ainda tenho tanto para errar) mas isso fez-me crescer e aprender!
    Sem dúvida que faz parte da vida errar e temos é de aceitar e dar a volta por cima! O mesmo se aplica às receitas, mas esses não parecem ter corrido nada mal... Tem um aspecto tão bom :-)

    Beijinhos***
    Joana

    ResponderEliminar
  2. hehehe.. também fiz uns d morangos.. aconteceu a mesma coisa.. e também eu os bebi porque mesmo liquidos eram óptimos ;)
    Beijinhos,
    http://sudelicia.blogspot.pt/

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...r: 0" />