12 de fevereiro de 2014

Molho Barbecue para uma viagem de sonho (ou não!).

Música que fica no ouvido e que tem uma coreografia giríssima? 


Quando eu era adolescente costumava dizer que a minha viagem de sonho seria à Índia. No entanto, quando aos 18 anos visitei o país confesso que fiquei tremendamente desiludida.

Há várias explicações para isso. O meu paladar ainda não estava completamente desenvolvido e eu não era grande apreciadora de caril na altura (eu sei, como é possível?), Bombaim não é propriamente a cidade mais interessante de sempre e é terrivelmente pobre (embora tenha achado Goa um local amoroso), e toda aquela miséria fez-me uma confusão arrepiante.

Por outro lado, há duas memórias da viagem que guardo com muito carinho. A primeira foi o concerto da Shakira a que assisti e onde chorei de emoção do princípio ao fim (e sim, eu tinha 18 anos). A segunda foi o episódio do bife de vaca.


Como sabem as vacas são sagradas para os hindus, e por isso não há carne de vaca em lado algum. Após longos dias a comer frango com frango (ou coisas mais estranhas cuja proveniência nem sequer queríamos investigar), eis que encontrámos por fim um restaurante que servia bifes. Vai daí esfregámos as mãos de contentamento, preparámos as papilas gustativas e começámos a exercitar activamente as glândulas salivares. E quando o prato finalmente veio para a mesa... Era doce.

Depois de dias a suspirar por um bifinho, ninguém conseguiu comer.


Desde então a minha tolerância a pratos salgados com molhos doces tem vindo a aumentar, muito por culpa do molho barbecue (e nomeadamente da pizza com molho barbecue, cuja receita sai amanhã). Mas este episódio continua incrivelmente vivo na minha memória, e se fechar os olhos consigo recordar de forma extremamente nítida as nossas caras de desilusão a olhar para o prato.

Hoje uma das minhas viagens de sonho continua a ser a Índia.


Molho barbecue (receita adaptada do blog 'Simply Scratch')

Ingredientes (para aproximadamente duas chávenas):

* Doze colheres de sopa de açúcar mascavado claro;
* Dez colheres de sopa de ketchup magro (para dar um ar saudável à coisa);
* Quatro colheres de sopa de vinagre;
* Uma colher de sopa de mostarda;
* Uma colher de chá de paprika;
* Meia colher de chá de pimenta preta;
* Uma pitada de sal.

Confecção:

* Juntar todos os ingredientes e mexer bem com uma vara de arames até o açúcar ficar dissolvido;

* Conservar no frigorífico.


Até amanhã! :D

8 comentários:

  1. Este é um excelente molho para carnes, e esta receita é bem simples de preparar!
    Lena
    http://cookingbooksblog.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  2. Uma vez comi pato com ananás... e detestei! O doce com o salgado da carne não foi algo que eu adorei, por isso só mesmo experimentando este molho para me decidir :)

    ResponderEliminar
  3. Uma sugestão a guardar.
    Bjs, Susana
    http://tertuliadasusy.blogspot.pt/
    https://www.facebook.com/Tertuliadasusy

    ResponderEliminar
  4. Adoro estes molhos...e com frango frito deve ficar fantástico.
    Beijinho
    Sónia
    http://cozinhadasalexandra3.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  5. Olha, tive uma experiência semelhante na Índia, mas ainda era mais nova! Tinha para aí uns 11 anos, imaginas o impacto da pobreza, dos cheiros (e atenção que eu já vivia na Ásia na altura!), da sujidade, do picante, numa criança de 11 anos??? E continua a não ser um destino ao qual tenha vontade de voltar, embora saiba que hoje em dia olharia para as coisas de maneira diferente. (O Tajmahal não deixou de me impressionar, claro, mas para chegar aí foi preciso atravessar paisagens de uma pobreza e desolação atrozes)

    ResponderEliminar
  6. Então sempre foste tipo Dora Exploradora :) a única viagem que alguma vez quis fazer foi aqui ao ladinho (e mesmo assim passo dias inteiros a pensar nisso)...
    Imagino o quão traumático tenha sido! Viajar é muitoo bonito mas às vezes acho que prefiro estar aqui no meu cantinho. Não gosto muito de sair de casa, e só de imaginar o calor, o suor, andar, imagens deprimentes,... Pronto, serve para experiência!
    Quanto a coisas doces, também já tive a minha parte :) para além dessa, ainda pedi frango com frutas frescas num restaurante com o prato muito inclinado... Que miscelânea! Mas uma coisa que ADORO (adorar mesmo...) é comida chinesa, que é estranhamente doce. Pato à pequim é dos meus pratos preferidos, incluindo aquele molho vermelho que até se parece com este (provavelmente não em sabor... Sabes se este molho sabe a molho de pato à pequim? De aspeto parece mesmo.). E até as saladas têm um toque doce, bem como a massa. (Frita. Tudo frito. Haha.) . E incrivelmente é maravilhooso! :P
    Por acaso tenho pensado em fazer um molho para carne. Tenho uma história trágica sobre uma receita de família perdida :P Nunca fiz uma coisa semelhante. Não costumo fazer molhos, mas são práticos e uma boa maneira de mudar um prato! :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. De facto quando viajas apanhas com isso tudo: calor, suor, andar, cheiros maus, imagens tristes, pessoas peganhentas, coisas que correm mal, cansaço físico e psicológico... Mas depois... Não sei, vale tudo a pena. Pelas coisas que vês, pelas pessoas que conheces, pelos momentos que ficam... Vale a pena :D

      Comida chinesa não me deixa histérica, mas gosto de algumas coisas (gambas principalmente!). Pato à Pequim não gosto muito, até porque comer pato me faz um bocadinho de confusão (são tão fofinhos, coitadinhos!) :)

      Que história trágica é essa? Agora fiquei curiosa :)

      Eliminar
    2. Eu gosto imenso da parte de porem gambas em tudo. Saladas, massas, arroz, tem de ter tudo gambas. Só é um bocado irritante que juntem 3 gambas a um balde de alface para lhe chamarem "salada de gambas" e cobrarem mais do dobro de uma salada normal :P
      Só agora reparei que por acaso deixei o "enigma"... Desculpa lá! :) De qualquer das maneiras, a história não é propriamente divertida... basicamente, o meu avô fazia um molho de frango internacionalmente conhecido. Ok, era só "familiarmente" conhecido. Segundo a minha avó, tinha a mania de "enfiar o bedelho" na cozinha - eu disse que ela não gosta muito que mais ninguém meta o focinho na panelada. Continuando: toda a gente adorava aquilo no frango frito. Mas mesmo toda a gente, incluindo o meu pai/tios/mãe/avó/parentes mais afastados. Tenho de inclui um pormenor, ou a minha avó deserda-me por intuição... Ele ia a restaurantes e enfiava-se sempre na cozinha a espreitar e falar com as cozinheiras para saber como faziam e para as "ajudar", pelo que toda a gente dos restaurantes o conhecia :)
      Depois ele ficou doente e esqueceu-se da receita :( (a carinha triste é mais dirigida à parte da doença, claro...). Ele ainda tentou dizer e balbuciou "azeite, margarina", mas não conseguiu dizer lá muito e claro que essa também não era a prioridade de ninguém.
      Pronto, basicamente é isto. Agora toda a gente se baba ao pensar no molho (até porque traz recordações boas...)! Gostava imenso de redescobrir essa receita, mas eu não sei como é o gosto nem faço ideia dos ingredientes. Só sei que é o melhor molho de frango de sempre.

      :)

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...r: 0" />