29 de março de 2016

Pregnancy Diary #103

Há uns anos conversava na brincadeira com uma amiga sobre quais seriam as profissões ideais para os nossos filhos. Na altura ela dizia que gostava de ter três filhos: um jogador de futebol (para a ajudar financeiramente), um advogado (para a safar das coisas relacionadas com a justiça) e um médico (para lhe tratar as doenças).

Sinceramente acho que mesmo que tivesse cinquenta filhos arranjava profissões bastante úteis para todos eles. Um podia ser padeiro (mmm pão quentinho em casa todos os dias), outro canalizador (só quem já passou pela experiência traumática de ter um cano rebentado percebe a vantagem de ter alguém em casa que perceba disso), outro estilista (bem precisamos), outro piloto de aviões (para levar os papás a viajar de borla), outro historiador (para ajudar a manter um bom nível cultural cá em casa)... E a lista continua.

Por outro lado, desde que a minha placenta começou a desistir de viver e a dor ciática decidiu infernizar-me a vida fiquei mais ou menos em repouso forçado. Vai daí, tenho ocupado os meus dias a ver episódios do Poirot em modo binge, de tal forma que começo a achar que esta criança está já a ser subconscientemente empurrada para uma destas profissões:

* Polícia;
* Detective;
* Arqueólogo (há uns quantos episódios que são passados em ruínas);
* Assassino (espero que não).

13 comentários:

  1. ahahahahah :)
    Eu ficava contente com médico (uma vez que sou uma hipocondríaca assumida).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por acaso não faço questão rigorosamente nenhuma. Acho que há profissões bem mais interessantes :P

      Eliminar
  2. Pode-se considerar "assassino" como profissão? :) acho que ele consegue ser assassino mantendo qlq uma das outras profissões :P ehehe

    Margarida :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem, pode ser um assassino por contrato :P Mas sim, tens razão :P

      Eliminar
  3. Cá em casa há um canalizador (o pai) e concordo que nos safa nas situações mais desesperadas :-)

    ResponderEliminar
  4. Como defenderam sempre os meus pais (obrigada pais!), que sejamos o que quisermos, mas bons e felizes naquilo que façamos.

    P.s. acho que me ri um pouco demais com a piada do genghis khan e agora esta musica está em modo repeat na minha cabeça!!! https://www.youtube.com/watch?v=F6eJN6grf2s


    Paula,

    http://receitasprovadaseaprovadas.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os meus pais também sempre nos transmitiram isso: o importante é gostarmos e darmos o nosso melhor, porque se formos realmente bons numa coisa tudo corre bem :)

      Eu também me ri imenso com a piada :P

      Eliminar
  5. Não sei se sabes que o segundo marido da Agatha Christie era arqueólogo, ela participou em algumas escavações, ajudava o marido em várias funções e os lucros de alguns dos seus livros reverteram para expedições arqueológicas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sei, já li várias coisas sobre a vida dela :) A mulher era mesmo genial :D E de facto os livros mais giros são precisamente esses :)

      Eliminar
    2. Mas a ser arqueólogo que seja como o Indiana Jones! Beijinhos

      Eliminar
    3. Mmm não sei... Ele não se dava lá muito bem com o pai :P

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...r: 0" />