3 de fevereiro de 2015

Sopa da Pedra (mais saudável) para uma boa esposa :)

Say you don't need no diamond rings,
And I'll be satisfied.
Tell me that you want the kind of things
That money just can't buy.
I don't care too much for money,
Money can't buy me love.

Can't buy me love,
Everybody tells me so.
Can't buy me love,
No no no, no.

The Beatles


O Pedro é uma pessoa relativamente fácil de fazer feliz, e por essa razão confesso que é bastante simples ser esposa dele.

(Acima de tudo é maravilhoso, claro, mas este não é um texto sobre as 38734184172319489171232382734234 razões pelas quais eu sou feliz todos os dias ao lado dele. Adiante.)


Dizia eu que é extremamente simples fazer o Pedro feliz: basta não falar muito antes de dormir, não chegar a casa resmungona e descarregar nele e não o forçar a fazer o que ele não nitidamente não quer e ele fica satisfeito da vida. 


 Ao contrário de mim, o Pedro não é particularmente exigente com as pessoas. E por isso é o exemplo perfeito de como a felicidade se atinge mais facilmente através do desapego.

Agora que penso nisso, talvez ele tenha sido budista numa outra vida.


Apesar disso, confesso que nem sempre sou uma boa esposa. Frequentemente falo pelos cotovelos mal deito o lombinho na cama, mesmo que tenha passado a última hora a cabecear de sono (e depois adormeço profundamente e deixo o pobre coitado a lidar com a sua eterna dificuldade em adormecer).


Também não é raro chegar a casa resmungona (normalmente porque estou cansada e com fome e conduzir à noite mexe-me com o sistema nervoso) e começar a implicar com ele sem razão. E como se isto não bastasse, sou sempre uma eterna optimista e gosto de tentar convencê-lo a fazer o que eu gostaria - umas vezes com mais sucesso do que outras, diga-se.

Pois é, não sou uma esposa perfeita. Mas faço uma sopa da Pedra bem deliciosa e saudável - isso deve contar para alguma coisa, certo? :)


Sopa da Pedra (mais saudável)

Ingredientes (para quatro pessoas):

* Uma cebola picada;
* Três dentes de alho picados;
* Duas folhas de louro;
* Quatro rodelas de morcela de arroz;
* Um fio de azeite;
* 400g de lombo de porco magro cortado em cubos;
* Uma colher de chá de piri-piri;
* Uma pitada de sal;
* Uma colher de chá de cominhos;
* Uma colher de chá de coentros;
* Uma colher de chá de pimentão-doce;
* Uma colher de chá de paprika;
* 200g de batatas pequenas descascadas;
* Couve-lombarda cortada em pedaços pequenos;
* Uma lata pequena de feijão vermelho cozido.

Confecção:

* Refogar a cebola picada, o alho picado, as folhas de louro e as rodelas de morcela num fio de azeite;

* Juntar os cubinhos de porco e deixar refogar;

* Temperar com o piri-piri, o sal, os cominhos, os coentros, o pimentão-doce e a paprika;

* Acrescentar água e juntar as batatas e a couve-lombarda;

* Deixar cozinhar em lume brando até as batatas ficarem cozidas;

* Juntar o feijão vermelho e rectificar os temperos, se necessário;

* A sopa fica sempre mais apurada no dia seguinte.



Até amanhã :D

12 comentários:

  1. Olá!
    Tem um aspecto delicioso. Uma receita a experimentar.
    Obrigada por partilhar.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Mesmo sendo ainda tão cedo, era capaz de ficar com um pratinho desta sopa para o meu almoço! Saudades duma sopinha da pedra! (O meu almoço tb vai ser sopinha, mas de feijão verde )
    Bjs e boa semana
    Ana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cai sempre bem, não é Ana? Mas a sopa de feijão verde também é bem boa :D

      Beijinhos :D

      Eliminar
  3. Bela sugestao!
    Beijinhos,
    http://sudelicia.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  4. A pedra não era saudável? ;) muito bom aspecto... Comia já!
    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A pedra é, o resto também :D

      Beijinhos e um bom resto de semana :D

      Eliminar
  5. Ainda bem que usas a palavra "esposa", acho a palavra "mulher" tão feia nesse contexto :P
    Haha :P muita paixão nesse parêntesis!
    Não parece assim tão simples. É preciso imenso auto-controlo para não tagarelar antes de dormir (não sei porquê, acho que é o momento oficial das divagações) e também para não descarregar nos outros, que é a forma mais fácil, imediata, instintiva, acessível e comum de lidar com o stress (a sério, é incrível, põe um grão de milho com problemas que ele começa logo a culpar os outros e gritar com eles. E a explodir. Pronto, não sei bem no que é que estava a pensar quando comecei a metáfora. É milho, não interessa. Milho é giro. O Pateta gosta.). E não impingir a opinião ou tentar persuadir também é anti natura :P
    Desapego... Soa mal :P baixa exigência não implica desapego... Espero eu :)
    Budista, que giro! Ele não teve nenhum déjà vu a rapar o cabelo?...
    Isso é comum, acho eu - estar a morrer de sono, ir para a cama e sentir imensa energia. :P
    Pensava que o desejo de silêncio antes de dormir vinha daquele estado entre acordado e a dormir no qual não apetece mexer ou falar, com dificuldades em adormecer é mais chato. É das piores coisas que há...
    Claro que sim! :D ainda por cima com este aspecto...
    Como fazes a sopa (e o post) dedicada (e -o) a ele e pões "Pedra" com maiúscula no início e "sopa" com minúsculas parece que de alguma forma estás a alterar o nome "Pedro" para feminino... Tipo "sopa da Pe(=ê)dra". Sendo Pedra o feminino de Pedro. Pronto, eu paro. Mas acho que considerava como nome de eventuais mini tus.
    Que. Estranho. Morcela não é tipo... Chouriça? Eu confundo um bocado com mortadela, mas acho que é chouriça. E de arroz?! Chouriça de arroz? Parece delicioso :P
    Temperos e refogados na sopa é engraçado :) ainda por cima picante. E sem triturar as coisas (batatas pequenas na sopa acho que é coisa que nunxa comi)! Es-tra-nho. E bom. Estranho e bom. Estranho, bom E com bom aspecto. :D
    Normalmente a MINHA sopa é pelo menos parcialmente triturada. Tudo menos o feijão e o repolho, e mesmo esses às vezes não escapam. MAS achei piada a esta, talvez porque tem um aspecto delicioso :) a minha avó chama à parte "sólida" da sopa "medinha". Acho eu, é qualquer coisa assim. E depois diz que um irmão dela deixava um resto de sopa, misturava na malga com vinho do porto E BEBIA. Eu sei.
    (Vou guardar a receita, qualquer dia faço isso. Ainda por cima com imensos minerais :P)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu adoro tagarelar quando vou para a cama, não consigo evitá-lo :D

      Morcela é uma espécie de chouriça, mas acho que é feita com sangue. Eu não gosto de comer, mas gosto do sabor misturado nas coisas (como a sopa da Pedra) :)

      Devias experimentar ;)

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...r: 0" />