20 de janeiro de 2015

Tortilhas de trigo caseiras para uma tradição reciclada :)

You don't know the latest dance,
But when it's time to make romance
Your kisses let me know you're not a tomboy.

So, please, don't ever change,
No, don't you ever change,
Just promise me you're always gonna be
As sweet as you are.

The Beatles


Cá em casa estamos constantemente a inventar novas tradições e a reciclar tradições antigas. E é por isso que comemos comida japonesa no primeiro dia do ano, que o Pedro cozinha para mim no nosso aniversário de namoro, que todos os meses celebramos mais um mês de casamento com um jantar especial ou um programa romântico e que ignoramos consistentemente o dia dos namorados. É também por isso que fazemos um programa anti-social no aniversário do Pedro, que vamos ao Jardim Zoológico ou a Sintra todos os anos e que fazemos a árvore de Natal e o presépio no dia 1 de Novembro.

Pelo caminho ficaram certamente outras tradições.


Agora já não há a Quarta-feira da pizza, que acontecia de duas em duas semanas e que desapareceu quando eventualmente nos fartámos de pizza. Por outro lado, de vez em quando temos ainda a Quarta-feira do frango no churrasco, quando eu chego tarde da aula de canto e não nos apetece orientar nada para o jantar.


Agora já não celebramos o nosso fim-de-semana de Natal, cheio de filmes, pratos de esparguete à bolonhesa e colheradas bem gulosas de mousse de chocolate. Em vez disso, passamos o Natal com a nossa família e com as tradições originais que nos rodearam durante a infância.


Agora já não fazemos a Sexta-feira mexicana todas as semanas. No entanto, tornámo-nos mais versáteis: dizem que o Natal é quando um homem quiser, mas cá em casa é o dia da comida mexicana que é quando nós queremos.


Desta vez a Sexta-feira mexicana foi num almoço de Sábado, e trouxe consigo tortilhas de trigo caseiras. Fáceis, deliciosas, inconfundíveis, incomparavelmente melhores do que as de compra e com o poder de nos teletransportar directamente para o quentinho do México. E quem sabe, talvez se tornem também uma tradição cá por casa :)


Tortilhas de trigo caseiras (receita adaptada do blog 'The Café Sucré Farine')

Ingredientes (para seis tortilhas):

* Uma chávena de farinha de trigo;
* Uma pitada de sal;
* Meia colher de chá de fermento;
* Duas colheres de sopa de azeite;
* Um terço de chávena de água morna (80ml).

Confecção:

* Juntar todos os ingredientes e misturar bem;

* Transferir para uma superfície enfarinhada e amassar;

* Dividir a massa em seis porções, formar seis bolas e espalmar;

* Cobrir com um pano limpo e seco e reservar durante quinze minutos;

* Estender cada bolinha com o rolo até ficar bem fina;

* Colocar uma frigideira larga a aquecer em lume médio e colocar um círculo de massa;

* Deixar cozinhar durante um minuto e virar a tortilha, deixando cozinhar durante aproximadamente trinta segundos;

* Remover da frigideira e continuar o processo com as tortilhas restantes.


Até amanhã! :D

8 comentários:

  1. É bom mudar. Se fizéssemos sempre a mesma coisa a vida seria de uma monotonia insuportável. Ainda bem que há escolhas. E ainda bem que podemos escolher entre tortilhas caseiras ou torilhas de compra. Adorei a receita. Na maioria das vezes as tortilhas de compra são péssimas. Tendo em conta que estas são tão simples de preparar e com ingredientes básicos, acho que não há dúvidas entre quais escolher!

    ResponderEliminar
  2. Eu até gostava das tortilhas de compra... Até ter experimentado estas! Já fui ao México duas vezes e caramba, estas tortilhas sabem MESMO às que se comem lá :D E são rápidas, é só vantagens :D

    Beijinhos :D

    ResponderEliminar
  3. Também já fiz em casa mas não me saíram tão bem como as tuas! Vou tentar de novo. Tento fazer o máximo de coisas em casa, pão, massas quebradas, iogurtes de soja, leites vegetais...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, eu também ando viciada em fazer coisas em casa. Fica mais saboroso e é tão giro :D

      Beijinhos! :D

      Eliminar
  4. Gostei!!! Tenho d testar!
    Beijinhos,
    http://sudelicia.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  5. Toda a gente acaba por tradições, especialmente se a definição de "tradição" for uma coisa alargada ao estilo de "hábito tornado obrigatório, recordado com carinho e alguma obsessividade". Mas tu pareces dar-lhes especial importância, atenção e nitidez (ou seja, algo menos abstracto do que "cozinhar aos sábadooos"). Ah, e perfeição. Também lhes dás especial perfeição.
    (= porque é que as MINHAS tradições não têm elefantes ou pauzinhos?!)
    "Sintra" é uma palavra estranha :P
    Não sei porquê há qualquer coisa nas tuas tradições oficiais e declaradas que as torna (ou deveria tornar) intocáveis, o que faz com que eu fique um bocado escandalizada com um fim tão abrupto para a massa de pão com queijo. Que coisa tão repentina, sem sequer sinais de ruptura. Mas acho que faz parte... Por muito que custe :P às vezes agarramo-nos demasiado às coisas. Para que é que se quer saber do apego emocional quando se tem frango de churrasco? Ninguém precisa de satisfazer o apego emocional quando tem frango de churrasco.
    (Estou a gozar, não gosto assim taanto de frango de churrasco. Por acaso até tenho saudades.)
    Estabeleces sempre esses rituais em dias específicos, eu não conseguia ter tradições tão específicas e marcadas! Não que pareça um sacrifício, claro ;)
    Não me aventurei muito na culinária mexicana, por acaso :P mas algumas coisas parecem muito boas. E com "algumas coisas" obviamente que NÃO quero dizer tacos, nachos e burritos. Especialmente burritos, que têm um nome bestial.
    (Bestial é uma palavra horrível.)
    Eu não sou grande fã de wraps ou tortilhas. Não sei, parece que falta sempre qualquer coisa... Se calhar é um gene. A maioria das sandes, saladas e wraps não me parecem nada de especial. Felizmente encontrei uma ou duas excepções para cada caso :)
    Já tentei fazer wraps caseiros e correu "meio" mal. Mas estas tortilhas de certeza que faziam esquecer a experiência :D acho que pela foto consigo ver a vantagem que têm face às de compra, que parecem mirradas, lisas e encolhidas na minha mente assoberbada por estes discos branquinhos :)
    Não sei porque é que os mexicanos gostam tanto de pratos quentes e picante, isso dava mais para o frio, até. Mas parece que nas Rússias os métodos são outros ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não foi propriamente um fim abrupto, a tradição da pizza foi morrendo aos pouquinhos e teve o seu golpe final quando o Pedro aderiu à alimentação paleo ;) De vez em quando ainda acontece, mas é raro :)

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...r: 0" />