29 de dezembro de 2014

Twelve Days of Christmas - 5 - Pavlova de cacau com chantilly, molho de caramelo e café e framboesas!

On the fifth day of Christmas my true love sent to me,
five gold rings, four calling birds, three french hens, two turtle doves and a partridge in a pear tree.


Passei os últimos meses a debater-me com as minhas dúvidas em relação a qual seria a especialidade certa para mim.

Não sabia qual era o meu caminho: tinha várias opções, cada uma com as suas vantagens e chatices. Hoje acordava com a certeza que deveria seguir pela direita, amanhã o caminho da esquerda parecia-me mais sorridente. Estava perdida no meio de uma rotunda com várias saídas, sem saber qual seria a correcta.


Quando descobri qual era a minha direcção, as dúvidas continuaram: já sabia qual era o meu caminho, mas será que conseguia lá chegar? Será que a minha vaga iria estar à minha espera?

As vagas saíram. Os meus colegas começaram a escolher, e de repente algo muito curioso aconteceu: cada vez que alguém ia pelo caminho que eu tinha escolhido eu ficava aborrecida, mas cada vez que alguém ia por outro caminho eu ficava destroçada.


Fiquei confusa. Tinha passado os últimos meses indecisa entre a psiquiatria e a medicina geral e familiar, mas de repente uma epifania invadiu o meu coração e uma certeza conquistou a minha alma: a pedopsiquiatria era o meu caminho.


Seguiram-se os dias mais difíceis da minha vida. Pouco comia, mal dormia e passava praticamente todos os minutos do meu dia agarrada ao computador a ter a certeza que as vagas continuavam à minha espera.

E quando a minha vez chegou, não tive qualquer dúvida sobre qual era o caminho que queria escolher. E entrei em pedopsiquatria.

Just keep following the heartlines on your hand.
Just keep following the heartlines on your hand.
Keep it up, I know you can!
Just keep following the heartlines on your hand,
'Cause I am.

Florence And The Machine


Vou ser pedopsiquiatra. Vou ser psiquiatra de crianças e adolescentes. Vou dar o primeiro passo dessa grande maratona que será cumprir o meu propósito.

A partir do dia 2 de Janeiro, não sei o que o caminho que escolhi me reserva. Não sei que cruzamentos me deixarão confusa, que obstáculos me atrasarão e que desvios tornarão o meu percurso imprevisível, mas certamente mais divertido.

A partir do dia 2 de Janeiro, a verdadeira aventura começa. E por isso pareceu-me justo festejá-la no blog da melhor forma que conheço: com uma pavlova.


Esta é sem sombra de dúvida a pavlova mais decadente que já cozinhei. Tem cacau, tem chantilly, tem caramelo, tem café e tem framboesas, numa combinação apetitosa e pecaminosa que vos vai fazer ir ao céu e voltar.

Espero muito sinceramente que gostem. E espero que fiquem por aí a descobrir comigo o que o caminho que escolhi me reserva. Porque podem ter pelo menos uma certeza: estará seguramente cheio de deliciosas pavlovas :D


Pavlova de cacau com chantilly, molho de caramelo e café e framboesas

Ingredientes:

Para a pavlova:
* Seis claras;
* 320g de açúcar;
* Três colheres de chá de amido de milho (farinha maizena);
* Três colheres de chá de vinagre;
* Três colheres de sopa de cacau em pó magro;

Para o chantilly:
* 200ml de natas;
* Duas colheres de sopa de açúcar;

Para o molho de caramelo e café:
* 225g de açúcar branco;
* 65ml de água;
* 85ml de natas para bater;
* Uma colher de chá de essência de baunilha;
* 70g de manteiga sem sal;
* Um café curto.

Para a cobertura:
* 200g de framboesas.

Confecção:

* Pré-aquecer o forno nos 150º;

* Bater as claras em castelo;

* Acrescentar o açúcar aos poucos, continuando a bater;

* Continuar a bater até as claras ficarem completamente duras e muito brilhantes;

* Acrescentar o amido de milho, o cacau em pó e o vinagre e envolver bem com uma vara de arames;

* Forrar um tabuleiro com papel vegetal e desenhar um círculo com aproximadamente 20cm de diâmetro;

* Colocar as claras dentro do círculo e moldar com uma espátula até ficarem com a forma de um bolo;

* Levar a pavlova ao forno e reduzir a temperatura para os 120º;

* Deixar cozinhar durante 1.20h, sem abrir a porta do forno;

* Desligar o forno e deixar a pavlova arrefecer completamente antes de a retirar (de preferência durante a noite);

* Para o caramelo juntar o açúcar e a água numa panela e levar a aquecer em lume brando;

* Mexer com uma espátula até o açúcar dissolver;

* Aumentar o lume para o máximo e deixar ferver sem mexer até a mistura ficar da cor do caramelo;

* Retirar do lume e juntar com cuidado as natas, a manteiga e a essência de baunilha;

* Levar novamente ao lume, mexendo bem com a espátula até ficar uma mistura homogénea;

* Deixar arrefecer e juntar o café;

* Para o chantilly bater as natas com o açúcar até ficarem bem firmes;

* Colocar o chantilly no centro da pavlova e cobrir com o molho de caramelo e café e com as framboesas.

 

Até amanhã! :D

10 comentários:

  1. Olá Joana,

    Não vou comentar a pavlova porque as imagens falam por si :-) Deliciosa! Imagino...
    Vou sim, desejar-te muitas felicidades e de certeza que escolheste o caminho certo... Se foi isso que o teu coração ditou, vai com certeza correr bem e vais ser uma boa pedopsiquiatra...
    Que 2015 te reserve muitas coisas boas a todos os níveis!

    Beijinhos***

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estava deliciosa sim, confirmo. Nem sobrou para o almoço do dia 25 :D

      Muito obrigada pelas tuas palavras Joana :D

      Muitos beijinhos e umas óptimas entradas :D

      Eliminar
  2. "Cheira-me" que ainda vais publicar um livro só com estes docinhos que só de olhar até nos engordam a alma! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se dependesse de mim publicava uns trezentos livros :D :D

      Boas entradas Filipa :D

      Eliminar
  3. Fiquei tão contente quando vi que tinhas entrado em pedopsiquiatria :) acho que fazem sempre falta médicos motivados e, por muito que o caminho possa ser difícil, tu compreendes bem aquilo que um problema psiquiátrico pode fazer a um adolescente ou a uma criança. E isso é meio caminho andado para uma pessoa se conseguir levantar de manhã: saber que se está a fazer uma diferença no mundo (ou pelo menos no mundo deles).

    Bem, dito isto, inspiraste-me a fazer uma pavlova para o almoço do dia 1 em casa dos pais do namorado. Mas agora caíram-me umas quantas dúvidas.
    1. Que açúcar usas? Na do Masterchef acho que me lembro de usarem açúcar em pó, mas aqui não referiste e assumo que usaste o normal.
    2. O forno usas opção com ou sem ventoinha?
    3. Estava a pensar fazer um curd de clementina para gastar as que tenho cá em casa e dar uso às gemas que sobram pós-pavlova, achas que é boa ideia?

    Beijoca e feliz 2015 para vocês :*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Então cá vão as respostas Ana :)

      1. Eu uso açúcar branco normal. Nunca usei em pó, mas quem sou eu para ir contra as dicas do Masterchef? :D

      2. Com ventoinha :) Em minha casa só uso com ventoinha (sem as resistências), em casa dos meus pais nem sei porque é um forno todo xpto e não percebo nada daquilo - simplesmente ligo o programa dos bolos e ajusto a temperatura. Fica sempre bem.

      3. Curd de clementina: adoro. Já fiz uma pavlova de cacau com chantilly, curd de maracujá e framboesas e continua a ser a preferida dos meus amigos até agora (porque não provaram esta, claro está!) :D

      Beijinhos e boas entradas :D

      Eliminar
  4. Desculpa, mas com "gold rings" só me lembro do Super Mário e o seu barulhinho triunfante a assinalar a captura de moedas.
    (Depois de escrever a última palavra fico a pensar se não estou a confundir as coisas. O Mário é aquele com cabelo azul, certo?)
    (Estou a brincaar. Nunca gostei muito do Sonic.)
    O mais ansiado post (pronto, houve uma avalanche de spoilers, mas continua a ser aguardado)! E que bem deve ter sabido escrevê-lo :)
    Com estas metáforas todas parece que estás indecisa no dia anterior a eleições :P
    A sério, de cada vez que alguém menciona o "sol" ou usa a palavra "sorridente" lembro-me da cara com um enorme sorriso palerma do Pateta enquanto se divertia a imprimir abusivamente o seu belo focinho (é tão refrescante usar esta palavra sem que seja insultuoso) em todo o lado para perseguir o Mickey. Da próxima vez que amuar também vou afixar a minha cara numas florezinhas.
    Não tenho a certeza quanto à comparação com uma rotunda, porque andar às voltas numa rotunda sem saber a saída até é divertido. :P
    Deve ter sido mesmo muito angustiante :(
    Foi uma mudança radical... Quando aperta é pior :P primeiro ainda tinhas opção, mas depois de ficar na ideia talvez fosse difícil esquecer o que não terias conseguido!
    Nunca tinhas pensado em pedopsiquiatria? Parece ser a tua cara :)
    Uau, daqui a tão pouquinho tempo! Boa sorte :D parece ter sido uma boa opção!
    Tanto sabor junto! Framboesas com caramelo é uma coisa em que nunca tinha pensado. Mas a descrição dessa coisa (nota: tentar tornar abstracto afinal não diminui a produção de saliva) dissipa qualquer dúvida!
    Ainda bem que não resistes a testar e publicar novas versões! O aspecto é assassino :) Eu gostava de fazer pavlova para a passagem de ano, mas acho que não vai dar :(

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Foi angustiante e horrível, mas agora já terminou. E é uma sensação tããããããão boa :D

      Eu não gosto de andar às voltas nas rotundas, fico sempre tonta e enjoada :D

      Beijinhos :)

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...r: 0" />