17 de outubro de 2014

Lemon rolls para os meus padrinhos :D

'Friendship is everything. Friendship is more than talent. It is more than the government. 
It is almost the equal of family.'

Don Corleone, The Godfather


Eu já não tenho padrinhos. Quando fui baptizada os meus pais escolheram para meus padrinhos o meu avô materno (que morreu quando eu tinha onze anos) e a minha avô paterna (que nunca foi particularmente presente e que morreu há três anos atrás), e por isso fiquei sem padrinhos propriamente ditos.

Até que depois de casar percebi que agora tenho novamente dois padrinhos: a Joana e o Bernardo, os meus amigos mais antigos.


Talvez vos pareça estranho que não existam por aqui muitos textos dedicados à Joana e ao Bernardo, principalmente tendo em conta que tenho posts que falam de coisas tão pouco importantes como as minhas infecções urinárias, a minha alcunha no InterRail ou o meu tripé. Mas a verdade é que aquilo que sentimos uns pelos outros não necessita de confirmação constante: nós sabemos o quão valioso é aquilo que temos, e isso basta.

Porque a verdadeira amizade é assim - pode ser feita por entre silêncios partilhados e olhares que sorriem.


Agora que tenho novamente padrinhos, posso pôr em prática todos os momentos que até agora pertenciam apenas à minha memória. Posso entusiasmar-me à espera de receber uma pequena prendinha na Páscoa, desde que tenha tido boas notas no segundo período. Posso felicitá-los no dia em que se tornaram meus padrinhos (e neste caso até tenho a vantagem de eles serem nossos padrinhos do casamento civil e religioso, por isso posso dar-lhes os parabéns em dois dias diferentes!). Posso mimá-los e acarinhá-los com gestos queridos.


E se quando era criança presenteava o meu avô com abraços e beijinhos, agora que me tornei anti-violações-do-espaço-pessoal-que-isso-dos-abraços-é-coisa-para-me-deixar-meia-desconfortável agradeço às pessoas de quem gosto com as receitas que faço e onde coloco tanto de mim.

E esta é a história destes lemon rolls. Tal como a amizade, também eles exigem paciência: é preciso esperar, deixá-los crescer com o tempo e dar-lhes espaço e conforto para que se tornem cada vez mais fortes. Tal como a amizade, também eles são frágeis: exigem algum cuidado e uma mão firme e precisa. Tal como a amizade, também eles combinam o sabor doce com aquele toque ácido que nem toda a gente aprecia.


Porque nós somos como os lemon rolls: bem doces, algo ácidos e sempre a crescer juntinhos. E garanto-vos que não foram precisas palavras no lanche em que devorámos todos juntos estes rolinhos divinais. Bastaram silêncios partilhados e olhares que sorriem.


Lemon rolls (receita adaptada do blog 'Sally's Baking Addiction')

Ingredientes (para doze rolinhos):

* 345g de farinha de trigo;
* 45g de açúcar branco;
* Uma pitada de sal;
* Uma saqueta de fermento de padeiro (4g);
* 120ml de água;
* 60ml de leite;
* 40g de manteiga sem sal;
* Um ovo;

Para o recheio:
* 150g de açúcar branco;
* Raspa de três limões;
* Meia colher de chá de essência de baunilha;
* 20g de manteiga amolecida.

Confecção:

* Juntar a farinha, o açúcar, o sal e o fermento e misturar bem;

* Aquecer a água e o leite juntamente com a manteiga até que a manteiga fique derretida;

* Misturar os ingredientes líquidos com os ingredientes secos e juntar o ovo;

* Amassar bem a massa numa superfície enfarinhada;

* Colocar numa taça untada (usei o óleo em spray) e deixar descansar durante dez minutos;

* Para o recheio juntar o açúcar, a raspa de limão e a baunilha e misturar bem até que fique uma mistura semelhante a areia;

* Estender a massa num rectângulo, pincelar com a manteiga e polvilhar com o recheio de limão;

* Enrolar a massa num rolo e cortar em doze partes iguais;

* Colocar num tabuleiro, cobrir com papel de alumínio e deixar levedar num local quente (coloquei no forno previamente aquecido a 90º e posteriormente desligado) durante noventa minutos;

* Retirar os rolos e pré-aquecer o forno a 190º;

* Cozinhar os rolos durante trinta minutos, cobrindo com papel de alumínio a meio se necessário para evitar que queimem por cima;

* Deixar arrefecer, cortar e servir :)

  


Tenham um óptimo fim-de-semana :D

2 comentários:

  1. Desculpa, tenho mesmo de apontar aquele pormenor do "a minha avô". É óbvio que é um "typo", mas tem imensa piada. Uma vez a senhoria da casa em que passamos férias estava a falar (por acaso foi numa altura em que ela foi lá agradecer bolo que lhe oferecemos :P feito por moi!) e estava a falar do neto (previsível). Alguém perguntou "mas o pai dele é o seu filho" e ela disse "não, o pai dele é a minha filha". E pronto, fizemos a maior figura de idiotas de sempre porque eu e a minha irmã não conseguimos conter o riso e desatámos às gargalhadas enquanto quase que abafávamos a tentar manter o bico calado e procurávamos desesperadamente guardanapos para tapar a cara. Como sabes isto é tipo efeito dominó, e toda a gente começou a rir também (menos a minha avó, que ficou vermelha como um tomate a oferecer olhares de reprovação). Sabes aquele som de metralhadora de saliva quando alguém tenta cerrar os lábios e tem uma explosão de riso? Houve alguns desses :P Eu fugi para o corredor e nem conseguia ver nada com as lágrimas :P foi a coisa mais engraçada de sempre... Haha :P no fim levamos todos uma reprimenda da minha avó ("coitada da senhora!"), mas eu continuo a achar que era inevitável e teve imensa graça :D
    (Acho que já fizemos as pazes porque este ano a minha avó lhe ofereceu um grelhador - ela deu-nos pêras podres, uma espécie de cachimbo da paz metafórico espanhol :P. Ainda bem, porque já estava a prever uns imprevistos com o gás e a luz... Haha :P)
    Eu não tenho padrinhos propriamente ditos, porque não fui baptizada. Mas os meus pais disseram assim sem jeitinho nenhum que os da minha irmã eram os meus tios maternos e os meus eram uns dos meus tios paternos, o que é super divertido porque eu quase não lhes ponho os olhos em cima basicamente durante o ano todo. Portanto os meus padrinhos "emprestados" também são os meus tios maternos - o que é um bocado idiota, porque se não tenho padrinhos "oficiais" não é preciso estar com formalidades e, para além do mais, são meus por isso eu escolho :P

    ResponderEliminar

  2. (Ou será que aqueles do quarto ano eram para a vida? :P)
    Para terminar a saga de divagações aleatórias e não-para-aqui-chamadas sobre padrinhos, tenho de dizer que: a história dos nomes padrinho-afilhado é um bocado idiota e provavelmente uma das grandes causas de sofrimento :P parece que as pessoas gostam de o impingir também aos afilhados para se vingarem! Até a minha avó admite que foi uma estupidez e uma crueldade fazer questão de que a afilhada se chamasse "Amélia" :P e os padrinhos da minha mãe queriam que ela se chamasse "Rosa do Sameiro" :P
    Se a quantidade de vezes que se fala de uma coisa fosse diretamente proporcional à sua importância eramos uns seres mesmo palermas :P no dia-a-dia só se fala de palermices casuais! O mais importante é o menos falado, ou porque admitir sentimentos é constrangedor ou porque não é preciso sequer (as duas coisas ao mesmo tempo?) :) não duvido que gostes imenso deles, e até acredito que os prefiras ao teu tripé :)
    Mas para quem tem padrinhos de nascimento tem de lhes dar os parabéns no seu proprio aniversário? Isso seria extremamente estranho :P
    Deve ser bom poderes fazer essas pequenas coisas de padrinhos, nem que seja por teres uma desculpa extra para mimares pessoas de quem gostas! :)
    Qualquer dessas manifestações de carinho me parece perfeita à sua maneira! :)
    Gostei da comparação lemon rolls-amizade! :P
    Se podes fotografar e postar com segurança uma foto do tabuleiro inteiro de "rolls" é porque fizeste alguma coisa certo :P é difícil, pegajoso e cansativo! Os meus até nem ficaram mal, eu estava à espera que saíssem umas aberrações :P fui ver a receita original por ter curiosidade sobre quantas vezes aumentaste a quantidade de limão, e o teu tabuleiro está bem mais bonito ;) de certa forma a cobertura fica idiota, parece cocó de pássaro, é tipo uma mancha demasiado opaca... se não for muita e não for demasiado espessa eu acho que é muito boa :P mas pronto, eu não vou insistir mais!
    Para estas coisas é preciso ter paciência, mas vale a pena! Com a textura e forma dos cinnamon rolls e um sabor intenso a limão deve ser uma sobremesa perfeita :D têm um ar mesmo fofinho :)
    Eu tenho sempre problemas com os "pacotes de fermento". Alguns tem umas 5g, outros umas 11 e muitas receitas só dizem "1 pacote"... Tenho sempre de fazer uma pesquisa irritante e profundamente enervante... isso acontece com todas as mentes brilhantes que listam "1 pacote de ..." nos ingredientes. E depois também me confunde que alguns fermentos em lata e em saquetas tenham os mesmos ingredientes, fico confusa :P

    PS: é uma pena que o polvilhar de açúcar adorável não esteja na receita :P haha

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...r: 0" />