11 de agosto de 2014

Queques de limão com crumble de limão para o fim de um estágio.

For this is the end,
I've drowned and dreamt this moment.
So overdue I owe them,
Swept away I'm stolen.

Let the skyfall.
When it crumbles
We will stand tall
Face it all together.

Adele


Há uns tempos tive uma semana particularmente má.

Na Segunda-feira fiquei com um doente novo, e mal entrei no quarto o senhor desatou aos gritos porque queria ir embora. Nunca um doente tinha sido agressivo comigo desta forma, e confesso que fiquei absolutamente congelada de medo. Depois de looooongos minutos de conversa lá convenci o senhor a ficar, mas toda a experiência foi bastante desagradável.

Na Terça-feira recebi o resultado de um exame de um doente meu com quarenta anos e descobri que ele tinha um cancro do pulmão. Já é o segundo doente com quem me cruzo nesta situação, e garanto-vos que transmitir isto às pessoas nunca se torna mais fácil.

Na Quarta-feira morreu um doente meu que estava particularmente mal. Não posso dizer que a morte dele tenha sido propriamente uma grande surpresa, mas deixou-me roída com dúvidas: será que fiz o que devia? Será que agi bem? Será que me escapou alguma coisa? Será que investi o suficiente?


Na Quinta-feira fiz banco e andei sempre de um lado para o outro. A dada altura entrou um doente em estado muito grave e tive que ir informar a esposa e a filha que o melhor era irem despedir-se. Nunca tinha dado esta notícia à família de alguém e achei ainda mais doloroso do que informar os próprios doentes: a negação, a revolta, a dor e o sofrimento, tudo explode em todas as direcções e cola-se ao nosso coração e à nossa alma.

Na Sexta-feira estava tão cansada e abatida que passei todo o dia a arrastar-me e a chafurdar em auto-comiseração. Apetecia-me largar tudo e correr dali para fora, queria desistir e não aguentava mais o peso da frustração e da impotência. Não tinha forças para sorrir, mal podia esperar para voltar para casa e por breves momentos desejei que algum dos doentes com tuberculose que tinha na enfermaria tossisse para cima de mim para eu poder ficar de baixa (sim, isto estava mesmo mau).

Eventualmente a semana terminou, e gostava de vos poder dizer que a semana seguinte foi melhor. Mas não foi. Nem a que se seguiu a essa.


Apesar disso, confesso que quando terminei o meu estágio em Medicina Interna fiquei com uma estranha sensação agridoce. É verdade que foi doloroso e deprimente, mas também é um facto que nunca tinha tido um estágio de Medicina tão espectacular e interessante, em grande parte graças às pessoas extraordinárias que conheci.

Em jeito de despedida, decidi juntar duas receitas que julgo personificarem bem o que foi a minha passagem pelo serviço: a pavlova bem docinha e os queques de limão um bocadinho ácidos. E partilhei-os com todos aqueles que me acompanharam, como forma de agradecimento por todo o apoio e carinho que me deram nestes três longos meses.

O Pedro também levou estes queques para toda a equipa de Fisiatria (olá a todos!), e parece que quem provou aprovou. Espero que gostem também :)


Queques de limão com crumble de limão (receita adaptada do blog 'Tastes of Lizzy T')

Ingredientes (para doze queques):

* Duas chávenas de farinha de trigo;
* Uma colher de sopa de fermento;
* Uma pitada de sal;
* Um ovo;
* Seis colheres de sopa de açúcar;
* Uma colher de sopa de raspa de limão;
* Seis colheres de sopa de óleo vegetal;
* Uma chávena de leite;

Para o crumble:
* Quatro colheres de sopa de farinha;
* Quatro colheres de sopa de açúcar;
* Duas colheres de sopa de manteiga bem fria;
* Uma colher de sopa de limão.

Confecção:

* Para o crumble juntar a farinha, o açúcar, a manteiga cortada em pedacinhos e a raspa de limão e misturar com os dedos até a mistura ficar semelhante a areia molhada;

* Numa tigela grande juntar a farinha, o fermento e o sal;

* Numa tigela média bater o ovo com o açúcar até ficar um creme claro e espesso;

* Juntar a raspa de limão, o óleo e o leite, batendo bem entre cada adição;

* Misturar os ingredientes líquidos com os ingredientes secos e misturar apenas até ficarem misturados - sem misturar demasiado!;

* Colocar nas forminhas para queques e cobrir com o crumble;

* Levar ao forno pré-aquecido a 220º durante sete minutos;

* Sem retirar do forno, baixar a temperatura para os 190º e deixar cozinhar durante mais treze minutos.

Até amanhã! :D

3 comentários:

  1. Olá Joana!!!
    Adorei a receita, queques sempre alegram nossos dias nebulosos...
    De coração, desejo semanas cheias de luz e que dos dias tristes restem só a experiência!
    Beijos!! =)

    ResponderEliminar
  2. Já fiz os queques se quiseres ver diz! :)
    Beijinhos,
    http://cereja-dooce.blogspot.pt/

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...r: 0" />