18 de março de 2014

Chili de bulgur e (mais) um assunto controverso :)

Have no fear for giving in,
Have no fear for giving over.
You better know that in the end
It's better to say too much
Than to never to say what you need to say again.

Say what you need to say...

John Mayer


Os meus pais não me educaram com grandes pudores. Em casa deles sempre se falou abertamente de todo e qualquer assunto sem vergonhas ou preconceitos, e é graças a isso que hoje sou uma pessoa extremamente aberta e liberal em relação à grande maioria das coisas.

Não tenho problemas em falar sobre o que quer que seja, e para mim não há temas tabu. Gosto de discutir as minhas opiniões e de partilhar as minhas histórias, e sinceramente não consigo ser de outra maneira.


Um dia estava com duas amigas minhas e fomos as três conhecer o namorado de uma delas. Pelo caminho ela disse-me:

'Podias tentar ser um bocadinho menos tu própria? É que falas sempre de uma maneira tão despreocupada, não quero que o *inserir-aqui-nome-do-namorado-com-quem-ela-andou-três-semanas* fique assustado.'

Gostava de vos dizer que foi a primeira vez que eu me senti julgada por ser 'demasiado eu própria', mas de facto não foi. No entanto, foi certamente a última vez que fiquei triste por alguém me acusar disso.

Por isso mentalizem-se: aqui em casa fala-se mesmo de tudo. E agora que estão avisados, vamos ao assunto concreto do post.


Durante anos eu evitava comer pimentos porque ficava sempre a (chamemos-lhe assim) eructar depois. Era capaz de passar horas maldisposta por causa de um prato com um pimentinho inocente, o que era extremamente frustrante porque eu sempre gostei de pimento.

Até que descobri o segredo: basta juntarem o pimento directamente no refogado em vez de o acrescentarem depois, e juro que nunca mais vos acontece isto. Além disso o prato fica bem mais saboroso, o que é uma vantagem inegável :)


Desde que comecei a usar esta técnica (já há uns anos atrás) os pratos com pimento são uma constante cá em casa - especialmente o chili nas suas mais variadas formas. Hoje trago-vos um chili de bulgur delicioso e bem saudável, não fosse o bulgur um cereal cheio de proteínas e fibras e com um baixo índice glicémico! :D


Chili de bulgur

Ingredientes (para duas pessoas):

* Uma cebola picada;
* Dois dentes de alho picados;
* Um pimento vermelho picado;
* Um fio de azeite;
* Meia chávena de bulgur;
* Uma lata pequena de feijão vermelho cozido;
* Uma chávena de molho de tomate;
* Uma colher de chá de pimentão-doce;
* Uma colher de chá de paprika;
* Meia colher de chá de cominhos;
* Meia colher de chá de coentros;
* Uma pitada de canela (opcional);
* Uma pitada de sal;
* Uma pitada de piri-piri;
* Uma colher de chá de tabasco.

Confecção:

* Refogar a cebola picada, o alho picado e o pimento vermelho picado num fio de azeite;

* Juntar o bulgur e deixar refogar;

* Juntar o feijão vermelho (sem o molho) e o molho de tomate e misturar bem;

* Temperar com o pimentão-doce, a paprika, os cominhos, os coentros, a canela, o piri-piri e o tabasco;

* Deixar cozinhar e servir.


Até amanhã! :D 

11 comentários:

  1. Que bela maravilha, adorei esse pratinho e a explicação do pimento.
    Bjs

    ResponderEliminar
  2. Eu também gosto muito de pimentos mas nunca tive problemas em digeri-los. Normalmente também junto o pimento ao refogado mas desconhecia que tinha esse efeito.
    Gostei muito do post e do prato e já agora, adoro pessoas sinceras que são sempre elas próprias.
    bjinhos

    ResponderEliminar
  3. E a porção de água, Joana? É qb?
    PS - Não há nada melhor que pessoas sinceras :)*

    ResponderEliminar
  4. Ok, não consigo perceber o que poderá levar alguém a fazer um comentário desse género do que a tua "amiga" fez... mas adiante.

    Quanto à receita tem óptimo aspecto e agradeço a dica, porque é precisamente por esse motivo que não gosto de comer pimentos.

    ResponderEliminar
  5. lol... se me dissessem isso acho k já nem ia querer conhecer o tal namorado!!!

    Mas aviso desde já que me ia sentir em casa com esse pratinho e umas belas conversas sobre tudo :)
    Beijinhos,
    http://sudelicia.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  6. Depois da introdução pensei que fosses contar uma coisa bastante pior... Arrota à vontade, mulher! ;) ihih
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  7. Nunca deixes de ser tu própria, quem não gostar...paciência!
    Nós também somos assim aqui em casa e ensinamos assim a Ana, espero que ela seja sempre ela própria e de mente aberta.
    adorei a receita.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  8. que boa receita, três dos alimentos mais usados por mim, bulgur, feijão e pimento :)

    ResponderEliminar
  9. Lembro-me de te perguntar se pimentos recheados eram bons e tu dizeres que uma vez fizeste e ficaste com problemas depois :P
    Eu não noto nada com os pimentos, mas conheço quem note (e só aos de uma cor... Excentricidades :P) . Ainda bem que descobriste a solução, porque pode ser bastante difícil (pode ser tanta coisa!) :)
    Por acaso tinha reparado nisso na tua receita de chili e achei estranho... Depois de algumas vezes comecei a refogar primeiro a cebola e o alho e depois passei a fazer sempre assim. Mesmo assim deixo-os amolecer imenso :)
    O chili está mesmo com bom aspeto! Gosto da maneira como os feijões ficam. Sobressaem muito! Adoro feijões, e os teus estão bonitos :)
    Agora também deitas canela no chili? Que estranho, pensei que era mais no caril (talvez porque nunca vi mais nenhuma receita salgada com canela) :)
    Tabasco é uma palavra gira :) (parecida com o "Tomaco" ou lá o que era dos Simpsons) e nunca vi à venda :) mas parece muito exótico :P

    ResponderEliminar
  10. Que boa ideia, Joana! Eu cada vez como menos carne. Nas últimas semanas deitei duas vezes comida fora (coisa que detesto e raramente faço), porque não fui capaz de comer. No entanto, há dias em que me dá uma vontade enorme de ir comer um bom hamburger o um bom bife...
    Por isso, a tua receita vem mesmo a calhar, até porque adoro chili e feijão e pimento.;) ADOREI a tua dica sobre o pimento e vou já experimentar na próxima oportunidade.
    Quanto à forma como cresceste e foste educada, identifico-me por completo. Por acaso, nunca ninguém me chamou à atenção por eu ser "demasiado eu própria", mas tenho a perfeita noção de que algumas pessoas se afastaram ou falavam pelas costas por pensarem precisamente que eu tinha umas ideias que não cabiam nas suas cabeças...
    Mais uma vez, gostei de te ler!:)

    Bom fim-de-semana!
    Olivia

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...r: 0" />